Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

A História das Nêsperas

No meio do nosso quintal temos uma pequena nespereira que, todos os anos, no início de cada Primavera, nos oferece os seus frutos docinhos e sumarentos.

 

Este ano, para nosso grande espanto, tivemos esta surpresa:

Nesperas 2.jpg

 

Por alguma razão que desconhecemos, as nêsperas apareceram assim - murchas, secas e escuras.... em vez do habitual tom alaranjado, reluzente e apetitoso.... que desilusão!

Além disso, a maior parte das nêsperas permaneceram pequenas e verdes ou então ficaram completamente escuras, e as poucas que restavam estavam a ser devoradas pelos passarinhos!! 

A avó em particular andava bastante chateada com a situação, depois de ter cuidado com tanto carinho da sua árvore favorita.... Que havemos de fazer?

 

Ora, um dia, estávamos nós a discutir o assunto no quintal, quando olhamos para um quintal vizinho, abandonado há mais de 2 anos, e eis senão que - não pode ser possível! - reparamos na bela nespereira do vizinho, carregadinha de nêsperas grandes, todas bem laranjinhas e com tão bom aspecto!

 

Como é que uma árvore abandonada, sem ninguém para a regar ou cuidar, cresce assim tanto e fica carregada de frutos ... e a nossa, tão estimadinha, nos oferece tão poucos frutos e tão feinhos...? Oh, não é nada justo...

 

À típica maneira portuguesa, "assaltámos" o quintal vizinho abandonado e colhemos umas "perninhas" cheias de nêsperas. Olhem lá bem para elas:

Nesperas 1.jpg

 

Tão grandes! Tão bonitas! Com tão bom aspecto! Ah, que maravilha! 

Alguém quer provar? 

 

Ora imaginem a cena seguinte: eu, a avó e a mãe, as três confortavelmente sentadas na mesa da cozinha, preparadas para lanchar um autêntico banquete de nêsperas (já devem ter percebido que não gostamos nada de nêsperas, não é? ) quando, ao darmos cada uma a primeira dentada nas nêsperas do vizinho .....

 

Baaaaaaah! Iecaaaaa!

São tão ácidas!! Uii, são tão amargas!!

Oh, era por isso que não havia nenhum passarinho que lhes pegasse! ....

 

Oh, se estas tão assim, então as nossas...

Damos as primeiras dentadas nas nossas e quase que voltamos a ouvir o coro da vigília pascal a cantar o Aleluia!!

Ai que bom!!!! Tão docinhas!!! Ai que boas!!...

 

Mais tarde, ao pensar novamente neste episódio, apercebi-me de como esta cena se assemelha a tantas situações na nossa vida...

 

A galinha da vizinha parece sempre melhor que a minha, não é? 

Pois, a galinha, as coisas lá de casa, as roupas, a profissão, o ordenado, a personalidade dos familiares ... enfim, a vida dos outros parece sempre, aos nossos olhos invejosos, melhor que a nossa vida, tão pequenina, tão "seca", tão escura, "com mau aspecto", aparentemente sempre a ser "picada pelos pássaros” à nossa volta ....

 

Mas as aparências iludem muito, não é verdade? 

Às vezes, vemos esta situação acontecer no nosso dia a dia - julgamos imediatamente alguém pelo seu aspecto, por aquilo que parece, pelo seu exterior, por aquilo que ouvimos dizer ....

Às vezes, as pessoas que parecem mais bonitas por fora são depois, por dentro, bastante "amargas e ruins”, ....

E, às vezes, as pessoas mais "feias" e pouco atraentes por fora .... são na realidade as mais doces e belas, meigas e afectuosas ….

 

“Naquele tempo, Jesus disse: «Eu Te louvo, Pai, Senhor do Céu e da Terra,

porque escondestes estas coisas dos sábios e inteligentes, e as revelastes aos pequeninos».”

Mateus 11:25

 

Ah, grande Deus, que escondes estas coisas dos sábios ... e as ensinas aos pequeninos ... 

Que eu seja sempre pequenina, Pai!

E que eu me maravilhe sempre com as pequenas lições que, com tanto carinho e ternura, me ensinas todos os dias…

 

Coroa de Espinhos

Hoje não consigo ter palavras para vos expressar o que sinto ... assim, deixo-vos com uma das melhores canções da belíssima cantora norte-americana Danielle Rose - Coroa de Espinhos.
 

3º Mistério Doloroso: A Coroação de Espinhos de Jesus

 

Letra escrita com base nos Evangelhos de S.Mateus 27: 27-31, S.Marcos 15: 16-20, e S.Lucas 23:11

A letra da canção descreve o ponto de vista da Rosa

 

 

 

My seed was born
One bright spring morn
In gardens grown by God.
Out of the earth
My stem gave birth
To petals red as blood.

 

The gentle rain
My growth sustained,
And like each seed God sows,
I dreamed one day
That I’d be named
A king’s most precious rose.

 

***

 

One day a soldier
Bent me over,
Tore me from my bed.
All beaten, battered,
My stem tattered,
Wanted but for dead.

 

In cruel hands gripped,
My beauty stripped,
‘Twas not the dream I chose.
And filled with shame,
I wept in pain,
No more a precious rose.

 

***

 

Then I did see
The soldiers lead
A man through palace doors.
Was this my king?
Why did they bring him in,
This man so poor?

 

A purple garment
Hid the torment
None but I could see.


They mocked and laughed,
Gave him a staff,
And bowed on bended knee.

 

***

 

They bent me ‘round
And wove a crown
And placed me on his head.


My petals found
Crushed on the ground,
Like tears of God turned red.

 

With each small sin
I was pressed in.
I pierced with self-disdain.


In thought and deed
I made him bleed,
My selfishness, his pain.

 

***

 

“Behold!” they’d sing,
“Behold your King! Hail,
King of the Jews!”
With each reeds’ blow,
Our pain did grow.


As one we were abused.

Despite the crown,
He did not frown.


He smiled with love instead,
And carried me
For all to see
Upon His tender head.

 

***

 

Once placed with awe
In manger straw,
Anointed by John’s hands,
Transfigured on
A mountain dawn,
Now wore a mangled branch.

 

Once gently kissed
By Mary’s lips,
And blessed with magi’s myrrh,
Baptized by
A parting sky,
Now streamed with blood so pure.

 

***

 

An innocent brow
Calls to us know
To follow this example:
To let our thorns
And all that scorns
Be healed within His Temple.

 

Though dreams may fade,
Each one was made
In seed that Jesus sows.
And now I see
I’m called to be
The King’s most precious rose.

 

***

A minha semente nasceu

Numa manhã clara de primavera

Nos jardins cultivados por Deus.

Fora da terra

O meu caule deu à luz

Pétalas vermelhas como o sangue.

 

A chuva suave

O meu crescimento continuou,

E como cada semente que Deus semeia,

Eu sonhei (que) um dia

Seria chamada

A rosa mais preciosa do rei.

 

***

 

Um dia, um soldado

Inclinou-se sobre mim,

(E) arrancou-me da minha cama.

Totalmente espancado, golpeado,

O meu caule esfarrapado,

Procurado, mas para morrer.

 

Agarrada em mãos cruéis,

Fui despida da minha beleza,

Este não era o sonho que eu escolhi.

E cheia de vergonha,

Chorei de dor

Nunca mais (seria) uma rosa preciosa.

 

***

 

Então, eu vi

(Que) os soldados conduziam

Um Homem através das portas do palácio.

Seria este o meu Rei?

Porque trazem eles

Este Homem tão pobre?

 

Um manto de púrpura

Escondeu a tortura

Mas eu (ainda) podia ver.

 

Eles ridicularizaram(-No) e riram-se (Dele),

Deram-Lhe uma equipa,

E se inclinaram ajoelhados.

 

***

 

Eles dobraram-me sobre mim mesma

E teceram uma coroa

E colocaram-me sobre a Sua cabeça.

 

As minhas pétalas encontravam-se

Esmagadas pelo chão,

Como se fossem as lágrimas vermelhas de Deus.

 

Com cada pequeno pecado

Eu estava pressionando-O.

(E) eu perfurei-O com auto-desprezo.

 

Em pensamentos e em acções,

Eu fi-Lo sangrar,

O meu egoísmo, a Sua dor.

 

***

 

"Eis", eles cantam,

"Eis o vosso Rei! Saúdem,

O Rei dos judeus!"

Com cada golpe dos juncos,

A nossa dor aumentava.

 

Como (se fossemos) um, nós fomos maltratados.

Apesar da coroa,

Ele não franziu as sobrancelhas.

 

Em vez disso, Ele sorriu com amor,

E carregou-me

Para todos verem

Sobre a Sua querida cabeça.

 

***

 

Outrora colocado com reverência

Sobre as palhas duma manjedoura,

Ungido pelas mãos de João,

Transfigurado

Numa montanha ao amanhecer,

Agora usava um ramo destruído.

 

Outrora beijado delicadamente

Pelos lábios de Maria,

E abençoado com mirra dos Magos,

Baptizado por

Um céu que se dividiu (ao meio),

(Estava) agora raiado do sangue mais puro.

 

***

 

Uma fronte inocente

Chama-nos a conhecer

(E) a seguir este exemplo:

Deixemos que os nossos espinhos

E tudo o que nos despreza

Seja curado no interior do Seu Templo.

 

Embora os sonhos possam desaparecer,

Cada um (deles) foi criado

Nas sementes que Jesus semeou.

E agora eu vejo

(Que) fui chamado a ser

A Rosa mais preciosos do Rei.

 

***

 

 

Se quiserem, podem ouvir as canções dos outros Mistérios Dolorosos e seguir a letra de cada uma aqui.

 

Retiro Quaresmal ... Virtual

Custa-me a acreditar que estamos já no final da Quaresma .... e que amanhã entramos em pleno Tríduo Pascal! Esta Quaresma parece que passou a voar!...

Apesar de ter realizado um retiro quaresmal na primeira semana da quaresma (Missão País 2016) ... bem, digamos que parece que foi há imensoo tempo atrás!

Assim, comecei no fim-de-semana um retiro quaresmal ....virtual!

 

O quê, ainda vou a tempo de realizar um retiro quaresmal? Sim…

Como? Pela maravilhosa internet….

Onde? No site do Passo a Rezar

Paga-se? Não!

 triduo pascal.jpgFonte da imagem

 

No site do Passo a Rezar, desenvolvido pelo Apostolado de Oração, podem encontrar aqui um verdadeiro Retiro Quaresmal, com o tema “Chamados a ser Santos”, inspirado na Carta de S. Paulo aos Romanos.

 

Este retiro pode ler lido, ou ouvido, em casa, no parque, numa pausa do trabalho ou em qualquer lugar onde estejam! Está dividido numa introdução + 7 sessões, de cerca de 10-15 min cada. Podem realizar o retiro num único dia ou podem reparti-lo por sessões: uma de manhã, enquanto tomam o pequeno-almoço ou na viagem para o trabalho; outra na hora de almoço ou ao voltarem para casa; e outra à noite, antes de irem para a cama; com o cuidado de darem sempre o tempo necessário para reflectirem bem e meditarem nas diversas perguntas que são lançadas em cada sessão.

 

Então, quem alinha??

 

A iniciativa do Passo a Rezar é magnífica, incrível e admirável! Aproveitem para pesquisarem no site outras formas de oração e podcasts* que esta plataforma imensamente abençoada nos oferece! O meu enorme e incomensurável obrigado a todas as pessoas envolvidas nesta belíssima forma de Evangelização. Rezarei pelo contínuo sucesso da vossa excelente iniciativa!

 

A todos vós, queridos leitores, desejo uma abençoada Semana Santa!

 

*Podcast é o nome dado ao arquivo dum audio digital, normalmente em formato MP3, que é publicado através da internet.

Sugestões de Leitura #1

Bem sei que na Semana Santa se privilegia o silêncio e o recolhimento interior ...

Mas se houver aí desse lado alguém como eu, que precisa sempre dum "empurrãozinho" nestas coisas, permitam-me que vos sugira a leitura de alguns textos que, na minha humilde opinião, vos irá favorecer e facilitar grandemente a reflexão e a meditação nesta que é a semana mais importante do ano:

 

 

6 metas pessoais para esta Semana Santa.jpg6 Metas pessoais para esta Semana Santa

 

"A Quaresma e a Semana Santa são caminhos de crescimento espiritual para ratificar, diante de nós mesmos e dos outros, que Deus passou pelas nossas vidas para fazer de nós pessoas melhores

E para que esta mudança seja verdadeira, o Senhor nos convida a deixar morrer em nós tudo aquilo que nos afasta Dele e dos outros."

 

 

 

Que faz Deus numa cruz.jpg

Que faz Deus numa cruz?

 

“São Paulo dirá mais tarde, que um "Deus crucificado" será motivo de escândalo para os pagãos. E não será para tantos de nós, cristãos?

«As perguntas são inevitáveis: Como é possível acreditar num Deus crucificado pelos homens? Temos consciência do que estamos a dizer? Que faz Deus numa cruz? Como pode subsistir uma religião fundada numa concepção tão absurda de Deus?»” 

 

 

Quem sou eu diante do meu Senhor.jpg

Quem sou eu diante do meu Senhor?

 

"Ouvimos a Paixão do Senhor. Será bom pormo-nos apenas uma pergunta: Quem sou eu? Quem sou eu, face ao meu Senhor?

Sou eu como Judas?

Ou sou como os discípulos, que não compreendiam o que era trair Jesus?

Sou eu como Pilatos?

Ou sou eu como Simão de Cirene que voltava do trabalho, cansado, mas teve a boa vontade de ajudar o Senhor a levar a cruz?

Quem sou eu, face a Jesus que sofre?"

 

 

DOM DAS LÁGRIMAS.jpegO Dom das Lágrimas

 

"As lágrimas têm um lugar fundamental na nossa vida.

O choro, seja pelo sofrimento, pelo desespero ou pela angústia, constitui um primeiro passo de libertação.

Chorar é dar um lugar ao sofrimento, é colocá-lo diante de nós, é dar-lhe um rosto: ele deixa de ser parte de nós, e torna-se uma realidade que enfrentamos."

 

 

 

Canções de Louvor

  Missão País 2016  

 

Finalmente, chegamos ao último post sobre a Missão País.

Tinha pensado em partilhar convosco uma canção cantada na Missão País no final de cada post, mas depois pensei que seria melhor juntá-las todas num só post. Penso que algumas destas canções já serão vossas conhecidas mas, de qualquer maneira, apresento-vos as canções que mais me marcaram nesta Missão País: 

 

Obrigado

 

Obrigado
Por este dia que passou
Pelos passos pelos voos
E pela vida que há em mim

Obrigado
Por essa força ao olhar
Por essa chama que me queima
E pela vida que há em mim

Obrigado (obrigado)
Por essa voz que em mim habita (obrigado)
Por essa mão que necessita
De outra mão que saiba amar e ser feliz

Obrigado (obrigado)
Pela estrada percorrida (obrigado)
Pelos exemplos que dão vida
Obrigado pelos dons que recebi

Obrigado
Pela amizade e confiança
Pela saudade e a lembrança
De tudo aquilo que nos marcou

Obrigado
Pela presença que não passa
Pela esperança que abraça
E pelo amor que em nós ficou

 

Obrigado (obrigado)
Por essa voz que em mim habita (obrigado)
Por essa mão que necessita
De outra mão que saiba amar e ser feliz

Obrigado (obrigado)
Pela estrada percorrida (obrigado)
Pelos exemplos que dão vida
Obrigado pelos dons que recebi

 

 

Vasos de Barro

 

Nós não nos pregamos a nós, mas ao Senhor,
e apenas o fazemos por Seu Amor.
Das trevas, resplandece a Luz, disse Deus,
e foi Ele quem brilhou no coração dos Seus.

 

Trazemos, porém, este Tesouro em vasos de barro,
para que se possa ver vir de Deus esse poder.

 

Em tudo somos atribulados e perseguidos,
mas não desamparados e nunca vencidos.
No nosso corpo levamos, sem cessar,
a morte de Jesus, p’ra Sua Vida manifestar.

 

Trazemos, porém, este Tesouro em vasos de barro,
para que se possa ver vir de Deus esse poder.

 

Sabemos que Aquele que O ressuscitou
também ressuscitará aqueles para quem olhou.
E assim, jamais iremos perder a alegria.
Grande é o peso da Glória que nos espera um dia.

 

Trazemos, porém, este Tesouro em vasos de barro,
para que se possa ver vir de Deus esse poder.

 

 

Ninguém te ama como Eu

 

Quanto esperei este momento
Quanto esperei que estivesses aqui
Quanto esperei que Me falasses
Quanto esperei que viesses a Mim

 

Sei bem o que tens vivido
Sei bem porque tens chorado
Eu sei o que tens sofrido
Sempre estive a teu lado

 

Ninguém te ama como Eu
Ninguém te ama como Eu
Olha pra Cruz é a Minha maior prova


Ninguém te ama como Eu
Ninguém te ama como Eu
Ninguém te ama como Eu
Foi por ti só por ti porque te amo
Ninguém te ama como Eu

 

[Eu sei bem o que tu dizes
Mesmo que às vezes não Me fales
Eu sei bem o que tu sentes
Mesmo que não o partilhes Comigo.

 

A teu lado caminharei,
Junto a ti sempre estive;
Tenho sido o teu apoio,
Fui o teu melhor amigo.]

 

 

Perdoa Senhor

 

Perdoa, Senhor, o nosso dia,
a ausência de gestos corajosos,
a fraqueza dos actos consentidos,
a vida dos momentos mal amados.

 

Perdoa o espaço que Te não demos,
perdoa porque não nos libertámos,
perdoa as correntes que pusemos
em Ti, Senhor, porque não ousámos.

 

Contudo, faz-nos sentir,
perdoar é esquecer a antiga guerra.
E, partindo, recomeçar de novo,
como o sol, que sempre beija a terra.

 

 

Senhor, aqui nos tendes

 

Senhor, aqui nos tendes
juntos para Te amar.
Só Tu conheces e entendes
tudo o que temos p’ra dar:

 

Dor e pobreza, toda a alegria,
tanto sofrer e a paz,
que a vida oferece e cria,
que a vida leva e traz.

 

Ó Cristo, de braços cansados,
sem Ti, Senhor, que seria,
a tormenta dos pecados
e o medo da manhã fria.

 

Então, faz de nós, ó Deus,
Teu repouso e morada,
e o amor dos que são Teus
torne a terra abençoada.
Faz ó Deus…

 

 

Tomai, Senhor, e recebei

 

 Tomai Senhor, e recebei

Toda a minha liberdade, a minha memória
E o meu entendimento,
Toda a minha vontade,
E tudo o que eu possuo.
Vós me destes, a Vós o restituo.

 

Tudo é Vosso, disponde.
Pela Vossa vontade
Dai-me apenas, Senhor,
O Vosso amor e graça
Que isso me basta.

 

 

Vem Espírito

 

Eu quero amar, eu quero ser aquilo que Deus quer,
Sozinho eu não posso mais
Sozinho eu não posso mais viver.

Eu quero viver, eu quero fazer aquilo que Deus quer,
Sozinho eu não posso mais
Sozinho eu não posso mais viver.

Vem Espírito, vem Espírito
Sozinho eu não posso mais viver.

 

 

Semente Crescida

 

Ensinaste-me a pedir,
O pão de cada de dia;
Que apenas nos dá força,
Na Tua... Companhia!!



Semente crescida,
És o pão que nos dá vida,
da agua nos dás,
gota a gota,
a Tua paaaaz…



Abençoai Senhor
a nossa refeição,
que à volta desta mesa
haja sempre união



Abençoai Senhor
o pão de cada dia,
que à volta desta mesa
haja sempre alegria



A tua paaaz!

 

 

E para terminar, uma canção que ouvi pela primeira vez no Retiro do meu Crisma, mas que ainda não tinha tido oportunidade de a partilhar convosco.

 

Tu és a Água Viva

 

Manifesta a Tua santidade em mim
Toma-me de entre a minha dispersão,
Recolhe-me de onde me perdi
Enche-me de novo o coração.

 

Tu és a água viva,
Tu és a água pura,
Inunda-me, inunda-me
E tudo se transformará em mim. (bis)

 

Minha terra se abrirá de chuva
As minhas pedras não farão mal a ninguém
Mesmo tecerão caminho para todos;
Meu pasto abundante cura será;
Para todo o que coma de mim,
Eu serei a terra que emana leite e mel.

 

Tu és a água viva,
Tu és a água pura,
Inunda-me, inunda-me
E tudo se transformará em mim. (bis)

 

 

 † ALEGRA-TE, FOSTE ENCONTRADO! † 

 Missão País 2016 

 

No fim, é o Amor que Salva

  Missão País 2016 - 8ºdia (2ªparte)  

 

Missão País 2016.jpg

Foto de todos os participantes na Missão País 2016 na Chamusca.

 

Conclusão da Parábola do Filho Pródigo

Como vimos ao longo da "viagem" que foi esta série de posts, a Parábola do Filho Pródigo é uma história extremamente rica e cheia de diferentes sentidos, significados, imagens e analogias. 

Em apenas algumas frases, com base numa pequena história, Jesus resume toda a Boa Nova que Ele nos veio trazer, todo o Evangelho e até, atrevo-me a dizer, toda a mensagem da Bíblia....

 

Jesus mostra-nos, por um lado, o rosto dum Pai misericordioso, bondoso e compassivo, sempre capaz de perdoar e de aceitar de volta todos os seus filhos perdidos. 

E, por outro, mostra-nos as duas formas principais pelas quais cada um de nós se pode afastar do amor do Pai.

 

Em algumas fases da nossa vida, podemo-nos comportar como o Filho mais novo: procurando uma vida fisicamente longe da casa do Pai; perdendo-nos numa busca desenfreada do prazer, do excesso material, do desperdício e da insensatez; e desperdiçando toda a “herança” que nos foi dada gratuitamente pelo nosso Pai.

Mas, incrivelmente, todos estes pecados são carinhosamente perdoados pelo nosso misericordioso Pai.

 

Contudo, talvez na maior parte da nossa vida católica, acabamos por nos comportar como o Filho mais velho. Nas palavras do Papa Francisco:

“Temos uma atitude “justiceira”, ou seja, presumimos que pelos nossos méritos somos justos e que, por causa desse facto, temos a autoridade para julgarmos o outro. Julgamos até Deus, porque pensamos que Ele deveria castigar os pecadores e condená-los à morte. E não somos capazes de aceitar a atitude misericordiosa do Pai para com um irmão.

Desta forma, corremos um enorme risco de permanecermos fora da casa do Pai, como Irmão mais velho. Se no nosso coração não há misericórdia e não há a alegria do perdão, então não estamos em comunhão com Deus, ainda que observemos todos os Seus preceitos – porque é o amor que salva, e não a prática dos preceitos. É o amor a Deus e ao próximo que dá cumprimento pleno a todos os mandamentos.”

Papa Francisco, no Angelus do dia 15 de Setembro de 2013

 

Na verdade, os dois Filhos desta Parábola são Filhos Pródigos, porque ambos são exemplos da negação e da rejeição do amor de Deus que conduz ao pecado. É necessário apercebermo-nos da nossa própria condição, da nossa pobreza e do nosso nada sem o amor de Deus, para finalmente encontrarmos o acolhimento, a reconciliação, a ternura, a alegria e a misericórdia do nosso Pai!

 

Para terminar, partilho convosco um vídeo feito por uma colega/missionária da nossa missão, em que cada um de nós tenta explicar o que é a Missão País:

 

 

 

 † ALEGRA-TE, FOSTE ENCONTRADO! † 

 Missão País 2016 

 

O Filho Mais Velho Também Estava Perdido

   Missão País 2016 - 8ºdia (1ªparte)  

 

Hoje terminamos o estudo da Parábola do Filho Pródigo, com os versículos que, a meu ver, são os mais surpreendentes e desconcertantes:

 

"Ora, o filho mais velho estava no campo. Quando regressou, ao aproximar-se de casa ouviu a música e as danças. Chamou um dos servos e perguntou-lhe o que era aquilo. Disse-lhe ele: ‘O teu irmão voltou e o teu pai matou o vitelo gordo, porque chegou são e salvo.’

Encolerizado, não queria entrar; mas o seu pai, saindo, suplicava-lhe que entrasse. Respondendo ao pai, disse-lhe: ‘Há já tantos anos que te sirvo sem nunca transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito para fazer uma festa com os meus amigos; e agora, ao chegar esse teu filho, que gastou os teus bens com meretrizes, mataste-lhe o vitelo gordo.’

O pai respondeu-lhe: ‘Filho, tu estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. Mas tínhamos de fazer uma festa e alegrar-nos, porque este teu irmão estava morto e reviveu; estava perdido e foi encontrado.’»”

Lucas 15:25-32

 

O Filho mais velho também se afastou ...

Ao lermos atentamente estes versículos, acabamos por constatar que, apesar de sempre ter vivido na casa do seu Pai, o Filho mais velho também se sentia longe dela ...

Ele vê-se como sendo um filho fiel e exemplar, que sempre cumpriu todos os seus deveres e que sempre seguiu todas as ordens do seu Pai. E, por causa disso, dos seus méritos e acções (aparentemente) exemplares, pensa que devia ser recompensado.

Mas, apercebemo-nos depois, o Filho mais velho, na verdade, não se comportava como verdadeiro filho, mas sim como um escravo obediente. O Filho mais velho demonstra ser capaz de fidelidade, sem dúvida, mas também demonstra uma incapacidade em amar e deixar-se ser amado. 

É por esta razão, simultaneamente tão simples mas tão decisiva, que o Filho mais velho não consegue compreender o amor que perdoa manifestado pelo Pai.

Para ele, o mais importante é o mérito prático, os sacrifícios públicos e visíveis, e as formalidades rígidas e indiferentes - o que muito me lembra o comportamento dos fariseus descritos nos Evangelhos e que Jesus tanto criticava ....

Para ele, não existe lugar para a solidariedade, nem para a gratuidade, muito menos para a caridade ou o amor desinteressado….

Na verdade, o Filho mais velho estava tão afastado do Pai tanto quanto o Irmão mais novo...

 

Rembrandt - Return of the Prodigal Son

 O Regresso do Filho Pródigo (1668) - Rembrandt

 

O Filho mais velho também estava perdido ...

Nestes versículos, vemos o Filho mais velho a acusar o Pai de cegueira e de injustiça. De notar que, ao falar, ele usa expressões como "esse teu filho" e "os teus bens", demonstrando uma frieza, um isolamento, uma separação, um afastamento e um sentimento de não pertença na sua família.

Assim, verifica-se que ocorreu com o Filho mais velho o mesmo que com o seu irmão, ou seja, também ele estava perdido e precisava voltar...

Porém, o seu regresso, ao contrário do irmão, ainda não aconteceu. Ele encontra-se ainda perdido, no interior da própria cada do seu Pai. Também ele é o Filho Pródigo... 

 

 

O Filho mais velho também foi encontrado pelo Pai...

O Pai que, momentos antes saíra da sua casa ao encontro do Filho mais novo, parte agora em busca do Mais velho. Pede-lhe, suplicando, que participe da sua alegria, que só será completa quando houver verdadeira comunhão entre todos os filhos. Vemos um Pai que anseia por uma completa união e reconciliação da sua família.

Portanto, «é preciso» que também o Filho mais velho "caia em si", reconhecendo os seus erros e experimentando também ele o perdão do Pai. 

Na verdade, ao rivalizar com o irmão, o Filho mais velho não se apercebe que o amor do Pai não tem preferências nem predilecções; e é tão grande que chega para todos…

 

 

 † ALEGRA-TE, FOSTE ENCONTRADO! † 

 Missão País 2016 

 

Pág. 1/2