Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem rapariga católica. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que este blog vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem rapariga católica. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que este blog vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

O dom de estar doente

Não faço ideia como é que o mês de Janeiro está quase no fim... No dia 2 de Janeiro comecei um novo estágio hospitalar, desta vez em Pediatria. O trabalho tem sido muito e os ponteiros do relógio não perdoam ... tic tac, tic tac ... e o tempo voa!

 

No início desta semana, fiquei doente, de cama, com uma valente amigdalite. Muita febre, arrepios e suores, muito sono e cansaço, tantas dores por todo o lado e oh, tantas dores de garganta! ... e, quase dum dia para o outro, eis que a minha voz praticamente desaparece. Para conseguir dizer uma única palavra, numa voz muito rouca e baixinha, tinha de suportar um aumento significativo nas dores de garganta e ui, como doía ....

 

Claro que me revi na situação da nossa querida Teresa Power todos os dias  

Deus fez questão que eu experimentasse em primeira mão grande parte das experiências que ela tem partilhado connosco no site das Famílias de Caná - e que experiências!!

 

cruz e flor.jpg

 

Louvado seja o Senhor pelo dom de estar doente!

Mas será que eu endoideci? 

 

Que maravilhosa experiência é poder compreender, completamente, o sofrimento dos doentes de quem cuido todos os dias.

Que dom é aceitar ser vulnerável e frágil e de precisar da ajuda de alguém.

Que lição de humildade é ter que deixar que alguém cuide de mim.

Que óptima oportunidade para oferecer este meu (gigante, a meu ver) sofrimento por uma intenção especial.

E que bom que é estar calada ...

 

Sim, estar calada, leram bem.

O pecado que eu mais repito a cada confissão há-de ser certamente as respostas tortas que eu digo aqui por casa....

Ao longo destes 6 anos em medicina, já me disseram por diversas vezes que a paciência e o carinho que eu demonstro ao lidar com os doentes será com certeza um dos meus maiores pontos fortes .... mas parece que essas capacidades se esgotam totalmente no meu local de trabalho. 

Cá por casa, exactamente para as pessoas que eu mais amo, o que se ouve mais sair da minha boca são respostas tortas e muitas, muitas, muitas declarações de cansaço e frustração ...

 

Ora, quando Deus me coloca numa situação, como a desta semana, em que cada palavra que eu quisesse pronunciar tinha de estar disposta a sofrer ... aprende-se uma bela lição, não é verdade?

Quem nos dera que fosse sempre assim. Como seria diferente a nossa postura no mundo.

Como seria diferente a minha vida, se eu me lembrasse sempre antes de falar: valerá a pena? estaria disposta a sofrer para a pronunciar?

 

Fez-me lembrar uma frase que li, algures, na internet:

think.jpg

Imagem retirada daqui

 

Antes de falar, pensa (THINK):

T - é verdade?

H - vai ajudar?

I - é inspirador?

N - é necessário?

K - é amável e gentil?

 

Nem queiram saber a paz que reinou aqui por casa nestes últimos dias ... como desejo que permaneça assim, mesmo quando a minha voz voltar.

 

Já São Paulo nos tinha exortado:

 

"Irmãos, tudo o que seja verdadeiro, tudo o que seja nobre,

tudo o que seja justo, tudo o que seja puro,

tudo o que seja amável, tudo o que seja respeitável,

tudo o que seja virtuoso e louvável,

eis o que deve ocupar os vossos pensamentos."

Carta de S.Paulo aos Filipensses 4:8

 

E eu vou acrescentar: eis o que deve sair da vossa boca ... 

 

P.s: Ao longo deste mês tenho adicionado novos links de blogs/sites na barra lateral do blog, que gosto e vos recomendo, se quiserem descobrir novas páginas católicas ...