Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

A santa que só eu posso ser

A vida está cheia de imprevistos.

E os últimos dias mostraram-me exactamente isso. De repente, Deus deu-me várias oportunidades para pôr em prática a 5ª pedrinha do Rei David -  ou agora, a 5ª talha das Famílias de Caná - a Visitação! Desde puder visitar queridos amigos ao hospital, até ajudar na recolha de alimentos para a Cáritas local!

A visitação sempre foi, para mim, o mais difícil de cumprir dentre os vários objectivos que as Famílias de Caná se auto-propõem. E, apesar do imenso trabalho que tenho neste momento na faculdade, não consegui dizer que não a Deus e aos Seus múltiplos pedidos. Sim, Jesus! Tu queres Jesus, então eu também quero!

Assim, tive de utilizar o tempo que seria dedicado a escrever o post da semana passada nestas actividades! 

 

Esta situação vem bem a propósito do tema que tinha planeado falar no post desta semana - a santidade.

Nomeadamente, a minha santidade. E se quiserem, a vossa também.

 

É sempre bom ler e ficar a conhecer mais sobre a vida dos vários Santos. É sempre bom seguirmos os seus exemplos e tentarmos imitá-los em tudo o que fizeram. É sempre bom tentarmos ser cada vez mais como eles. Eles continuam a ser nossos amigos, mesmo estando no Céu! E eles tentam guiar-nos nesta estrada multifacetada, mas sempre atribulada, que é o caminho da santidade em direcção à vida eterna e ao amor infinito de Deus Pai!
 
Mas a verdade, é que há dias em que penso que Deus ficaria muito mais feliz se, em vez de tentar imitar o que um santo fez, eu apenas tentasse ser santa à minha maneira!
Esta é, afinal, a mensagem que se tenta sempre passar nas Famílias de Caná! :)
 

20151115_080849.jpg

O meu Crisma

 
Há uns tempos, tive a oportunidade de ouvir uma canção, escrita, tocada e cantada pela belíssima Danielle Rose, uma cantora católica americana. A canção chama-se The Saint That Is Just Me (que eu tomei a liberdade de traduzir por, A Santa Que Só Eu Posso Ser).
A letra falou-me ao coração desde o primeiro instante! Tanto porque eu própria tentei tudo o que ela descreve, como também pelo facto de eu ter chegado à mesma conclusão no mesmo dia em que a ouvi pela primeira vez
Ora deliciem-se!

 

 

Danielle Rose - The saint that is just me 

 

O I thought Iʼd be heroic and inspiring.

I wanted to offer you the greatest sacrifice.

Like all the saints whoʼd gone before me,

I tried to prove my love for you, and so to gain the prize.

 

I thought Iʼd be a martyr like Cecilia.

I hoped Iʼd disappear like Saint Therese,

Or wear a hidden crown of thorns like Rose of Lima,

To heal the sick and raise the dead.

 

When you hung upon the cross looking at me,

You didnʼt die so I would try to be somebody else.

You died so I could be the saint that is just me.

 

I wanted to be poor and free like Francis,

To cut off my long hair like lovely Clare.

To be faithful like Mother Teresa in the darkness,

Lord, wonʼt you make me just like her?

 

I tried to kneel for hours in the chapel corner,

To persevere like Paul with all my sleepless nights,

To stay awake and trim my lamp with ten wise virgins,

To really give the devil a good fight.

 

When you hung upon the cross looking at me,

You didnʼt die so I would try to be somebody else.

You died so I could be the saint that is just me,

Just me, you died just for me.

Just me, just me, you died just for me.

 

You saw that I was perfectly imperfect.

O happy fault, the sin of Adamʼs pride.

Thatʼs the reason that you became man,

And bore the new Eve from your wounded side.

 

If it werenʼt for my sins and wounds and weakness,

Then you wouldnʼt have married me upon the cross.

Why do I fear being seen naked and broken?

Thatʼs why you came; ʻcause I need you that much.

 

When you hung upon the cross looking at me,

You didnʼt die so I would try to be somebody else.

You died so I could be the saint that is just me

Danielle Rose - A santa que só eu posso ser (tradução minha)
 
Oh, eu pensei em ser uma heroína e uma inspiração. 
Eu queria oferecer-Te o maior sacrifício.
Como todos os santos o fizeram antes de mim,
Eu tentei provar o meu amor por Ti, e assim ganhar o prémio...
 
Eu pensei em tornar-me numa mártir como St. Cecília.
Eu esperava conseguir desaparecer como Santa Teresa,
Ou usar uma coroa de espinhos escondida como St. Rosa de Lima,
Curar os doentes e ressuscitar os mortos.
 
Quando, pendurado na cruz, Tu olhas para mim,
Tu não morreste para que eu tentasse ser outra pessoa.
Tu morreste para que eu pudesse tornar-me na santa que só eu posso ser.
 
Eu queria ser pobre e livre como São Francisco
Cortar o meu cabelo comprido como a adorável St. Clara.
Ser fiel como a Madre Teresa na escuridão,
Senhor, porque é que não me fazes exactamente como ela?
 
Eu tentei ajoelhar-me durante horas num canto da capela,
Perseverar como St. Paulo em todas as minhas noites sem dormir,
Ficar acordada e cuidar da minha lâmpada como as dez virgens prudentes,
Dar realmente uma boa luta ao diabo!
 
Quando, pendurado na cruz, Tu olhas para mim,
Tu não morreste para que eu tentasse ser outra pessoa.
Tu morreste para que eu pudesse tornar-me na santa que só eu posso ser.
Apenas eu, Tu morreste apenas por causa de mim
Só eu, apenas eu, Tu morreste apenas por causa de mim
 
Tu vistes que eu era perfeitamente imperfeita. 
Oh, culpa feliz, o pecado do orgulho do Adão.
Esta é a razão pela qual Tu te tornaste homem,
e ergueste a nova Eva do Teu lado ferido. 
 
Se não fosse pelos meus pecados e feridas e fraquezas,
Tu não terias casado comigo na Cruz
Porque tenho medo de ser vista nua e despedaçada?
Foi por essa razão que Tu vieste, porque eu precisava assim tanto de Ti!
 
Quando, pendurado na cruz, Tu olhas para mim,
Tu não morreste para que eu tentasse ser outra pessoa.
Tu morreste para que eu pudesse tornar-me na santa que só eu posso ser.

 

A história de cada pessoa é diferente. A vida de cada filho de Deus é diferente. Não existe ninguém neste mundo que tenha uma história exactamente como a minha - porque a história de vida de cada um de nós é escrita por Deus! Ele é o melhor, mais eloquente, mais pormenorizado e mais surpreendente escritor que eu alguma vez conheci! As histórias escritas por Deus são sempre as mais bonitas! 

 

Então, porque é que eu às vezes insisto em retirar-Lhe a caneta das mãos, e tentar escrever eu própria a minha história? Porque não confio mais Naquele que me criou e me deu vida? Porque não confio mais Naquele que mais me ama neste mundo? Porque não confio mais Naquele que cuida de mim, com tanto zelo e carinho, a cada segundo?

 

Foi Deus que me concebeu e desenhou, desde o início da Criação do Universo: ele decidiu quais seriam as minhas qualidades, mas também os meus defeitos e as minhas limitações. Em relação a estas últimas, não tenho dúvidas de que Deus mas deu exactamente para as poder ultrapassar com a Sua ajuda, pela Sua graça - e, às vezes, com a ajuda dos nossos irmãos nesta Terra. 

 

Assim, eu penso, sinceramente, que Deus ficaria muito mais feliz se eu deixasse de sonhar em ser tão corajosa e destemida, tão sábia e inteligente, tão pura e cristalina, tão forte e resistente, como foram os milhares de santos que Deus chamou!

Deus ficaria bem mais feliz se eu tentasse, hoje e aqui mesmo, ser santa à minha própria maneira, à minha pequena maneira, exactamente no local onde estou, na fase de vida em que me encontro, nas circunstâncias particulares da minha vida - afinal, foi Ele que me trouxe até aqui! 

 

20151115_080951.jpg

 A minha madrinha de Crisma e eu.

 

A Teresa escreveu recentemente um lindo e inspirador post acerca de rabiscos

A minha pequena acção, o meu pequeno desenho rabiscado, pode parecer insignificante, vão e ignorável aos olhos dos homens. Mas nunca o será aos olhos de Deus!

Deus tudo vê e tudo sabe! Ele está sempre atento à mais pequena coisa que eu faça e nunca nada Lhe passa despercebido. Todas as mini-mini-mini boas acções que fazemos no nosso dia a dia, todas elas são contabilizadas, todas elas são valorizadas e todas elas agradam profundamente nosso querido Pai! 

Tenho a certeza que nenhum dos sacrifícios e das ofertas que fizemos ao Senhor serão desperdiçados! Deus é muito bom na reciclagem .... Nada se desperdiça quando falamos do Reino dos Céus! ;)

 

Deus chama-me a ser a santa que só eu posso ser! Responderei eu ao Seu chamamento?

 

Estamos prestes a terminar o ano litúrgico e a começarmos um novo! O Advento está quase a bater na nossa porta! É altura de começarmos a preparar o nosso coração para recebermos o Rei-Menino! 

6 comentários

Comentar post