Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Catequese para adultos

O mês passado comecei a frequentar a catequese para adultos na nossa paróquia, com o objectivo de fazer para o ano o Crisma, como vos expliquei aqui.

Para vos ser sincera, a catequese está a ser muito diferente do que esperava. Talvez porque a imaginei como se fosse a catequese das crianças que eu me lembrava ter. Catequese com adultos é outra coisa completamente diferente!

Somos ainda mais pessoas na catequese do que vos contei na primeira vez. Parece que somos, por enquanto, 20! Sim, 20 pessoas! (Ainda estou admirada com isto, depois desta história toda…. que grande milagre!).

A catequese começa às 21h de 2ªfeira, com missa, e depois reunimo-nos numa sala até às 22:30h. O meu grupo de catequese é todo muito mais velho que eu. São todos pais ou avós, com vivências e experiências muito diferentes das minhas. E depois existo eu, a ave rara, uma rapariga, solteira, estudante universitária, com ideias diferentes.

Além de não ser fácil para mim estar em grupo. Fico tímida e acanhada, e não abro a boca. Típico. Só rezo para que, com o tempo eu consiga familiarizar-me com as outras pessoas....

 

De qualquer das formas, o primeiro dia de catequese foi muito especial para mim, e queria partilhar convosco o porquê.

Apesar de já ter passado algum tempo desde que voltei para a Igreja, ainda penso bastante no meu passado. Penso sobretudo no mal que fiz, e no quão arrependida estou. Penso também no quanto estou grata a Deus por me ter perdoado e aceitado de volta. Ainda hoje acho incrível e extraordinário a profundidade do amor que Deus demonstrou comigo. É algo que me leva às lágrimas com facilidade.

Para vos ser sincera, acho que no dia em que me esquecer de todos estes sentimentos deixarei de ser cristã. Porque, para ser verdadeiramente cristã (e este é apenas o meu ponto de vista), eu preciso de pensar todos os dias naquilo que Deus e que Jesus fez por mim. Preciso de me lembrar do mal que eu fiz, e do facto que, apesar disso, fui perdoada. Eu sou intensa e infinitamente amada por Alguém que morreu por mim. E morreu por mim apesar de ainda nem me conhecer naquela altura. Apesar de quem eu fui e apesar do que fiz.

 

Assim, não imaginam o meu espanto, quando entrei na nossa igreja, na primeira segunda-feira de catequese para a missa inaugural e me deparei com isto:

Bem vindo a casa.jpg

 

O lema da nossa paróquia neste ano catequético vai ser este, fiquei a descobrir mais tarde:

Bem-vindo a casa… Também tu és nossa Família!”.

 

Eu estava com dúvidas se teria tomado uma boa decisão ao comprometer-me num grupo semanal. O curso de Medicina é sempre tão imprevisível. E não me estava a sentir confortável no meio de tantas pessoas estranhas, que se conheciam todas, menos eu.

 

Depois, vejo esta mensagem escrita na parede da igreja. Eu acredito que naquele dia Deus falou-me pessoalmente. Ele tem-me tentado dizer-me isto de tantas formas. Esta foi sem dúvida a mais explícita até agora.

 

Agora, é comigo! Agora, tenho que aceitar ser recebida como membro nesta grande família!

2 comentários

Comentar post