Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem rapariga católica. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que este blog vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem rapariga católica. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que este blog vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Novo padre, nova missa

No verão, um dos nossos dois padres teve de voltar à sua terra-natal, no Brasil. Este tinha sido o padre que me confessou pela primeira vez em sete anos, e que me tinha continuado a ajudar a reintegrar na Igreja Católica. Tenho-lhe muita estima e muito carinho por isso.

Assim, recentemente a nossa paróquia teve de acolher um novo padre (a nossa paróquia é constituída por 2 igrejas em localidades diferentes).

Este novo padre acabou de ser ordenado. Parece-me que vem com muita energia, novas ideias e imensa vontade de trabalhar, como é costume nos padres recém-ordenados. E isso é óptimo! :)

Contudo, parece-me que este padre vai ser especial. Diferente dos que já tivemos.

 

Até ao momento, já assisti a 3 missas dadas por ele. E penso que já toda a gente na paróquia notou o quão diferentes são. 

Na explicação das leituras, trás consigo umas folhas pequeninas, tipo bloco de notas. Vê-se que tem um discurso bem preparado, que reflectiu bastante naquilo que nos pretende dizer. 

 

Agora, a maior diferença nestas missas vem depois, já na parte da Liturgia da Eucaristia e dos Ritos da Comunhão. O sr. novo padre usa frases e declarações diferentes das que estava habituada: são declarações muito mais ricas e compostas, abundantes em palavras de amor e louvor a Deus, atribuindo-Lhe títulos gloriosos e enaltecendo-O de mil maneiras distintas. Também refere os nomes de todos os apóstolos e dos santos principais e das suas excepcionais acções e demonstrações de fé.

E o sr.padre diz tudo isto com imenso sentimento e significado em cada palavra!!

  

O mais importante nisto tudo, que queria partilhar convosco, foi o pensamento que me ocorreu no final da terceira missa:

Será que eu uso as minhas melhores palavras para me dirigir a Deus?

Será que tento, tal como este novo padre, usar palavras ricas, magníficas, belas, sempre que me refiro ao Nosso Pai celeste?

Será que procuro diariamente novas facetas de Nosso Senhor, tentando descobrir toda a Sua glória, misericórdia, perdão, amor?

Será que busco novas formas de O louvar? De O bendizer? De O glorificar? De O amar?

Será que reflicto em todas as razões porque Lhe devo dar graças ou agradecer?

 

E além de Deus, será que no resto da minha vida tenho boas palavras para dizer ao próximo?

Serei meiga, tolerante ou bondosa ao falar? Direi sentenças justas?

Serei sempre verdadeira?

Defenderei sempre os mais necessitados, os pobres, os desfavorecidos, os mais pequeninos?

 

Inspiremo-nos nos esplêndidos Salmos:

 

"O Teu amor vale mais do que a vida:

os meus lábios Te louvarão.

Vou bendizer-Te durante toda a minha vida,

e ao Teu Nome levantarei as minhas mãos."

Salmo 63 (62): 4-5

 

"Aclama a Deus, Terra inteira,

toca em honra do Seu Nome,

canta hinos à Sua glória.

Exultemos de alegria com Deus,

que governa com o Seu poder para sempre.

Povos, bendizei o nosso Deus,

fazei ressoar o Seu louvor.

Todos vós que temeis a Deus, vinde escutar.

Vou contar-vos o que Ele fez por mim.

A minha boca gritou para Deus,

e a minha língua exaltou-O.

Bendito seja Deus."

Salmo 66 (65): 1-2, 6, 8, 16-17, 20