Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem rapariga católica. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que este blog vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem rapariga católica. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que este blog vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Sobre mim - a minha história (parte 2)

Para ler a minha história (parte 1) clicar aqui.

 

Aos 18 anos comecei a minha jornada de volta para Deus. Uma caminhada que demoraria cerca de 3 anos, até me encontrar de novo na mesma estrada que Jesus, em direcção a Deus.

Apesar de ter muito apoio da minha amiga de faculdade católica, durante muito tempo hesitei em voltar à Igreja. Porque, pensava eu, agora que tinha voltado a encontrar Deus, queria descobri-Lo e conhecê-Lo sozinha, sem que houvesse influências externas, que me pudessem enviesar.

Assim, comecei a ler sozinha a Bíblia, ao mesmo tempo que fui estudando por diversos sites na internet, por diversos livros que ia descobrindo, e até por documentários na televisão que às vezes encontrava. Gosto particularmente de blogs: por ficarmos a conhecer aos poucos uma pessoa que vive num mundo tão distante do nosso, pela partilha de pensamentos e experiências, pela intimidade que se cria, pela camaradagem continua, pelo entusiasmo partilhado. 

Houve muitos blogs que me acompanharam nesta viagem. Blogs católicos, blogs evangélicos, blogs metodistas, blogs presbiterianos, blogs amishs, blogs de testemunhas de Jeová, blogs judeus.... Não pretendia escolhê-los, ia lendo aqueles que pareciam que mais me falavam ao coração naquele momento.

 

Precisei destes 3 anos para me voltar a conhecer, para me voltar a encontrar. Mais importante ainda, para desenvolver a minha relação com Deus. Estes anos foram, sem dúvida, essenciais à construção da minha vida religiosa e da minha vida com Deus. Esta construção teve que ser iniciada desde as suas fundações, porque o que restava do meu passado católico era muito pouco ou muito frágil. Considero-me como uma recém-convertida, como alguém que só recentemente teve a oportunidade de conhecer o Nosso Senhor.

 

Faz parte da minha personalidade demorar a tomar decisões, pois tenho a necessidade de ponderar muito bem antes de agir. Apesar disso, quando tomo uma decisão, não volto atrás. Assim, pouco tempo depois da Páscoa deste ano, quando acabei os exames finais do 3ºano da faculdade, tomei a decisão de voltar para a Igreja Católica. E confessei-me pela primeira vez em 7 anos. Estive com o sr. padre durante mais de uma hora!

E, pela primeira vez, tive a coragem de pronunciar alto todos os pecados que tinha cometido. Pela primeira vez, chamei-os a todos pelo seu devido nome, sem desculpas, sem eufemismos. Pela primeira vez, admiti a Deus todo o mal que tinha feito. Pela primeira vez, não tive vergonha, não me reprimi, não me julguei. Pela primeira vez, pedi verdadeiramente e com todo o meu coração perdão a Deus. 

 

No final, senti-me carinhosamente perdoada.

No final, senti-me a ser aceite e recebida de novo. 

No final, senti uma alegria eufórica. 

No final, senti-me limpa e purificada.

No final, senti-me a ser renovada interiormente, a renascer para uma nova vida. 

 

"Ora, Cristo morreu por todos, e assim, aqueles que vivem, já não vivem para si, mas para Aquele que por eles morreu e ressuscitou. Se alguém está em Cristo, é nova criatura. As coisas antigas passaram; eis que uma realidade nova apareceu. Tudo isso vem de Deus,que nos reconciliou consigo por meio de Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação." 2 Coríntios 5:15, 17-18