Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem rapariga católica. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que este blog vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem rapariga católica. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que este blog vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

O Grande Milagre

Em pleno espírito de Páscoa, hoje quero partilhar convosco um filme maravilhoso que descobri recentemente. É um filme mexicano (realizado por Dos Corazones Films - com legendas em português), que se chama "O Grande Milagre" e explica-nos de forma belíssima o que acontece na missa e na confissão, assim como outros aspectos da fé católica.

O filme conta a história de 3 personagens que, por diferentes razões, se encontram em fases muito difíceis das suas vidas: a Mónica, uma jovem viúva, mãe dum menino de 9 anos, que faz tudo o que pode para sustentar sozinha o seu filho, tentando seguir em frente após a morte inesperada do marido. O Sr. Chema, o motorista dum autocarro, que recebe inesperadamente a notícia de que o seu filho corre perigo de vida. E a Sra. Cata, uma idosa que se prepara para o fim da sua vida. 

Com um "empurrãozinho" dos seus Anjos da Guarda, as 3 personagens acabam por ir parar ao mesmo tempo a uma missa (numa igreja lindíssima!). E essa missa irá mudar as suas vidas para sempre!

Este filme ilustra a luta constante, nas nossas vidas e em todas as nossas acções, entre o bem e o mal, entre o desespero, o medo e as dificuldades do dia-a-dia e a fé, a esperança e a misericórdia que só o Senhor nos pode dar 

 

É um filme de animação, é verdade, e pode ser visto em família, mas é especialmente direccionado para adolescentes e adultos. Este filme não é bom, É MUITISSIMO BOM! É maravilhoso e extraordinário! É, sem dúvida nenhuma, um dos melhores filmes que já vi!! Recomendo-o vivamente a todos! 

 

 

Um abençoado Domingo da Divina Misericórdia para todos! 

Superando, aos poucos, o deserto

Nossa Senhora faz realmente milagres.

Se, nos últimos dias, tenho conseguido avançar um pouquinho neste deserto espiritual, de que vos falei no último post, o mérito é, sem dúvida, de Nossa Senhora! Tem sido com Ela e através Dela que comecei a ver finalmente um luzinha, no fundo deste túnel imenso … Tem sido o Seu exemplo de vida, infinito em graças e bênçãos, que me tem ensinado várias lições e me tem oferecido algumas respostas que eu procurava ....  E tudo graças a um pequeno livrinho, escrito há muito tempo atrás e que já transformou tantas pessoas antes de mim ... 

 

Adicionalmente, no início desta semana, já nem me lembro bem como, descobri um site com gravações de homilias dum padre americano, que me têm feito também, oh, tão bem à alma! Estas homilias estão em inglês, é verdade, e não tenho formas das vos traduzir, mas ainda assim espero que a sua partilha consiga, talvez, ajudar alguém, como me tem ajudado tanto a mim …

 

Podem ouvir todas as homilias aqui no site Luke 11:28.

Mas gostava de partilhar convosco algumas daquelas que mais me marcaram...

 

Homilia Mariana #1: Maria como nosso modelo de vida

O que especificamente nos pode ensinar Nossa Senhora nas nossas vidas? E como? Ora, não há melhor professora nesta vida do que a maior e melhor das Mães ...

 

Homilia Mariana #2: Nós seremos sempre filhos de Maria

O caminho da santidade não é fácil, tem sempre muitos obstáculos e barreiras a ultrapassar ... mas podemos contar sempre com o auxílio de Nossa Senhora, em todos os passos do nosso caminho, como só uma Mãe nos poderia ajudar...

 

 

Fazer a vontade de Deus não é nada fácil

O Evangelho diz-nos para amarmos os nossos inimigos, para abraçarmos o sofrimento, para obedecermos às autoridades na nossa vida .... mas isso não é nada fácil, como todos já pudemos comprovar, duma maneira ou de outra. Como poderemos então superar os nossos obstáculos e fazermos a vontade de Deus? A resposta foi já encontrada há muito tempo .... 

 

 

Defendendo o nosso castelo

Ao lutarmos contra os nossos pecados é extremamente fácil cairmos na armadilha, astutamente colocada pelo Maligno, de acreditar que podemos vencê-los com as nossas próprias forças, se estivermos no controlo das situações e de tudo o que acontece ... mas assim acabamos simplesmente por cair noutra tentação. Qual é então a solução?

 

 

 

Queria também agradecer a todos vós, queridos leitores e queridos amigos, pelas vossas inúmeras palavras de apoio! Obrigado 

Pequenas gotas de água

Passou-se mais uma semana de exames - e já vou a meio! Boaa!

Fiz 4 exames nas últimas 48h, o último hoje, sábado de manhã! Que maratona! 

Já acabei todas as avaliações da cadeira de Cirurgia, o próximo exame será de Pediatria, um dos mais difíceis de sempre, mas sem dúvida bastante recompensador!

Oh, santa Gianna Molla, roga por mim! :)

 

A época de exames, no caso dos estudantes, mas todas as épocas especialmente preenchidas da nossa vida, cheias de trabalho e de stress, são alturas de grandes tentações. Temos tantas coisas para fazer! Andamos tão cansados! A paciência já se esgotou há muito ... 

studying.jpg

Imagem retirada daqui.

 

Eis que uma vozinha se faz ouvir, traiçoeira e disfarçada como sempre:

 

Tu tens tanta coisa para fazer … porque é que ainda perdes tempo a ir à missa? Deus vê o que estás a fazer, Ele não se vai importar se faltares só desta vez … e da próxima também não … é só uma vezinha ou outra! Afinal, tu vais lá todos os domingos, Ele nem vai notar a tua falta!

 

E depois:

 

Oh, és tão parvo por gastares o teu tempo tão precioso a rezar! Que parvoíce, para quê? Devias era ligar a TV e “desanuviares” um pouco a cabeça…

 

E aos poucos, um pouquinho a cada dia, esquecemo-nos de Deus… Aos pouquinhos, Jesus deixa de ter importância, e é simplesmente esquecido, juntamente com todas as outras “coisas” que só nos “ocupam a mente”…. Quando eu tiver mais tempo, logo volto a rezar, está bem Jesus? Mas agora não ….

 

Amanhã, mas hoje não…

 

Quantas vezes esta já foi a minha história? Oh, tantas, tantas vezes ….

 

Felizmente estamos no Inverno, e as pequenas gotas de chuva que batem na janela do meu escritório fazem-me constantemente lembrar duma pequena história, que um dia o padre da nossa paróquia me contou. Uma pequena e simples história mas que me marcou verdadeira e profundamente.

 

woman with water vessel.jpg

Era uma vez uma senhora que ia buscar água a um poço, longe da sua casa, várias vezes ao dia. A senhora usava uma vasilha velhinha e bastante usada, com um pequeno furo no fundo, que deixava ir pingando, gota a gota, durante todo o caminho de volta para casa. Ora, no final da viagem a senhora perdia uma quantidade significativa de água. E assim, tinha de ir ao poço mais vezes ao longo do seu atarefado dia de trabalho….

 

Uma vizinha via esta situação e, querendo ajudar, dizia-lhe várias vezes:

“Porque não tapas o pequeno buraco da tua vasilha? Não vês que assim tens de ir ao poço mais vezes? E logo tu, que tens sempre tanta coisa em casa para fazer. Pouparias tanto tempo e trabalho!”

Mas a senhora recusava sempre….

 

Women Drawing Water from Stream... Shottery Brook, 

Warwickshire, England, UK. 1890.

Imagem retirada do Pinterest. 

 

Um dia, a vizinha tanto insistiu, e apesar dos protestos da senhora, lá emendou o pequeno furo da vasilha. Passado uns tempos, a mesma vizinha comenta:

“Antes havia aqui na nossa rua tantas flores espalhadas pelo caminho. Oh, estava tudo sempre tão bonito e florido. Agora, já não há aqui nada, já não há flores…. O que terá acontecido?”

Eis que a outra senhora lhe respondeu:

“O que aconteceu foi que remendaste o pequeno furo da minha vasilha velha, que deixava pingar várias gotas de água aqui e ali pelo caminho…..o que fazia com que as flores crescessem, e tudo ficasse florido!”

 

Às vezes, ao longo da nossa vida atarefada (e diria eu, quanto mais atarefada ela estiver!), é bom "perdermos" tempo com pequenas gotas de água que deixamos cair, aqui e ali … um sorriso, uma pequena ajuda, uma palavra de apoio. Mais 5 minutos de conversa alegre com os pais; ou 10 minutos de brincadeira com os filhos; ou 15 minutos para rezarmos a Jesus e agradecer-Lhe por tudo o que nos oferece diariamente, ou (que sacrifício!) uma hora inteira do total de 168 horas que o Senhor nos presenteia semanalmente….

Uma gota de água, aqui e ali …. um “Obrigado, Senhor!”.... um “Nós, Jesus” …

 

Não nos devemos nunca esquecer que serão essas pequenas gotas de água que, no final de tudo, fazem florir a nossa vida! 

 

E Domingo celebrem connosco!

A minha preparação para o Advento

O Advento está aí, mesmo à porta! :)

Cá em casa, já começamos a decorar a casa. Já começamos a pensar nas prendas, Já começamos a pensar nos pratos para a festa no dia de Natal - que, por tradição, a família toda reúne-se cá em casa!

 

Contudo, para vos ser sincera, todas essas coisas parecem-me irrelevantes este ano. E logo eu, conhecida por adorar tudo o que tinha haver com o Natal....!!

 

O ano passado já notei a diferença. Mas este ano, o sentimento está ainda mais forte!

Não, não quero saber de prendas, nem de decorações, nem de festas. Não quero saber de Pais Natais nem de barretes vermelhos com pompom na ponta. Não quero saber de compras, de lojas, nem de luzinhas.

 

Desde o meu Crisma que tenho tentado aumentar consideravelmente os momentos de oração no meu dia a dia. Não o tenho feito porque achava que devia. Tenho-o feito porque é o que desejo!

 

Desde o Crisma que, o desejo de conhecer e amar mais e mais o Senhor, tem aumentado de forma incrível e inexplicavelmente! Parece que esta minha sede não é saciada de maneira nenhuma!

Desejo sempre mais 5 min com Jesus! Por favor, Jesus, fica comigo mais 5min - a seguir já estudo! A seguir já vou a correr para a aula. A seguir já vou dormir...

 

20150423_082308.jpg

Este semeste, ao contrário do anterior e com enorme pena minha, não consigo ir com a mesma frequência à Eucaristia.... a minha hora de almoço é completamente diferente e irregular, e não me permite ir à missa das 12.30h no hospital de Santa Maria (onde este semestre passo a maior parte dos meus dias)....

 

Mas, graças ao exemplo da Teresa, que partilhou connosco no início do ano lectivo os seus 15 minutos com Jesus, que eu tenho tentado fazer o mesmo! Há dias em que consigo estar meia hora em oração na capela do hospital, noutros dias apenas 15 minutos, e às vezes, só tenho mesmo 2 min antes de ir a correr para a aula seguinte ....

 

Além disso, ao longo do meu dia, tenho outros momentos de oração:

  • A oração do Terço já é algo enraizado no meu dia. Durante a semana, rezo-o nos transportes. Ao fim de semana, vou rezando uma dezena por cada intervalo de estudo que faço.
  • Ao deitar, também tenho um momento de oração especial, onde faço um balanço do meu dia, onde peço perdão pelos meus erros e agradeço todas as graças e bênçãos no meu dia.
  • E, ao longo do dia, várias vezes rezo o Nós, JesusNós, Jesus, vamos lidar com aquela criança doente que está aos berros e aos pontapés! (E às vezes, como segundo recurso ....) Anjo da Guarda, podes por favor dizer ao Anjo da Guarda daquela criança que eu preciso MESMO de lhe ver os ouvidos e que ela tem de ficar quieta só 10 segundos??!! Ou então, Nós Jesus, vamos estudar aquela matéria gigantesca e super complicada que eu tenho tentado fugir nas últimas semanas, mas agora tem mesmo de ser! 

 

Mas o meu coração queria mais! Eu desejava mais momentos de oração! Eu desejava uma maior entrega! Parecia que Deus me pedia mais! Mais de mim!

 

Há uns dias atrás tomei a minha resolução para este Advento - passar mais tempo em oração! Como?

 

Claro que haverá dias e dias. Claro que não conseguirei rezar todas as orações. Claro que haverá dias em que conseguirei fazer mais, outros menos. Afinal, estou quase em exames da faculdade. Mas o primeiro passo está dado!

Deixará de haver tempo para o facebook, para seguir todos o blogs que gosto, de ler os 2 livros maravilhosos que tinha acabado de receber pelo correio, de fazer outras actividades de lazer. Não haverá tempo para a preguiça. Não haverá tempo a perder!

 

"Assim como a corça suspira pelas águas correntes,
suspira igualmente minh’alma por vós, ó meu Deus!

Minha alma tem sede de Deus, e deseja o Deus vivo.
Quando terei a alegria de ver a face de Deus?

 

Que o Senhor me conceda de dia sua graça benigna
e de noite, cantando, eu bendigo ao meu Deus, minha vida."

Salmo 41:2-3, 9

 

Amor Salvador

20150407_165238.jpg

Aqui por casa ainda estamos em festa!

 

Parece que estou em sintonia com a Olivia - não encontro palavras para vos descrever a minha semana santa e em particular o meu Tríduo Pascal. Ou devia antes dizer nosso - meu e de Jesus.

Sim, porque estes dias foram vividos em intensa e profunda união e comunhão com o nosso Príncipe Salvador. E foi incrivelmente maravilhoso, extraordinariamente belo e absolutamente estonteante!!!!!

Perdoem-me, simplesmente ainda não encontrei as palavras certas para descrever todos os acontecimentos da última semana...

                                                                     

Hoje queria relatar-vos algo que aconteceu ontem. Como já tinha dito antes, nesta quaresma uma das minhas resoluções era descobrir uma forma de ir à missa diária (ou quase diária). Consegui encontrar uma solução e consegui manter esta resolução durante toda a quaresma, o que só por si, dado o meu horário irregular e inacreditavelmente preenchido, foi algo incrível!

Agora, estou motivada em manter esta resolução! Já é algo que faz parte da rotina do meu dia, como antes tinha conseguido alcançar com o Terço.

 

Missa das 12.30h no Hospital de Santa Maria - com um senhor padre que possui um dom das palavras como não se vê todos os dias, além duma voz melodiosa!

As passagens da Bíblia falam-nos do primeiro aparecimento de Jesus após a Sua Ressurreição, à Santa Maria Madalena.

 

Mas porquê a Maria Madalena?

Com tantas, tantas pessoas diferentes que Jesus poderia ter escolhido para serem os primeiros a vê-lO ressuscitado, porquê Maria Madalena?

Porque não Maria, sua mãe tão amada? Porque não um dos apóstolos? Porque não outra pessoa qualquer? 

 

Segundo o senhor padre, Jesus escolheu Maria Madalena devido à sua vida anterior em grande pecado

Diz no Evangelho que Jesus expulsou 7 demónios de dentro de Maria Madalena. Vejam bem quantos pecados esta mulher não teria cometido ao longo da sua vida! 

 

Antes de conhecer Jesus, Maria Madalena estava morta. Jesus era o único capaz de lhe restaurar a vida, de lhe dar uma nova vida. Tal como fez.

 

Segundo o senhor padre, só alguém que soubesse o que era estar morto, só alguém que tivesse pecado muito, só alguém que tivesse sofrido muito, como Maria Madalena, poderia ser a primeira pessoa a acreditar na Ressurreição de Jesus! 

Porque, se não soubermos o quão perdidos estamos sem a salvação de Deus, não saberemos reconhecer a imensidão da vitória do Seu Filho, não saberemos reconhecer o mistério maravilhoso que é a Ressurreição, nem saberemos reconhecer o quão abençoados e amados somos!

Assim como, só alguém que saiba o nada que é sem Jesus, poderá aceitar o Seu Amor Salvador!

 

Ainda existem alturas em que eu penso em todos os pecados que cometi. E arrependo-me sempre tanto tanto tanto... Como fui capaz? Como?

Mas, de cada vez que penso nesses tempos negros e tenebrosos, nesses tempos de morte e sofrimento atroz, sinto novamente aquela alegria incontrolável e transbordante, aquela sensação de agradecimento eterno, aquela paz, aquele amor intensíssimo, que senti na primeira vez que me confessei depois de tantos anos de má vida.

 

Meu querido e amado Jesus, obrigado por Te teres sacrificado por mim. Eu jamais poderei agradecer-Te o suficiente, e jamais conseguirei recompensar-Te por isso. Assim, eu simplesmente aceito-Te e ao Teu Sacrifício de Amor, e prometo obedecer-Te, amar-Te, louvar-Te e honrar-Te sempre e em todas as circuntâncias. Amén.

O meu encontro diário com Jesus

Este semestre tenho aulas diariamente em 2 hospitais - no Hospital de Santa Maria e no Hospital Pulido Valente, ambos no centro de Lisboa. Apesar de ter passado os últimos 4 anos da minha vida a saltitar periodicamente dum para o outro, não sabia que ambos tinham capelas. Nem sequer sabia que ambos realizavam missas diárias.

 

Um dia destes, caíram-me literalmente nas mãos informações acerca destas capelas e dos seus horários.

Nas últimas semanas tenho passado todos os intervalos que consigo arranjar no meio do meu confuso horário numa delas, a rezar e em adoração. E tenho inclusive conseguido até celebrar algumas missas - neste momento, consigo assistir a cerca de 4-5 missas por semana! Uau. Quem diria!

(Lembram-se de eu ter dito que havia dias em que tinha 20-30min de hora de almoço - pois, agora já sabem porquê! :)

 

Ambas são capelas pequenas e simples, mas todos os dias encontro novos tesouros em ambas. Que belos locais são para nos reunirmos com Jesus e celebrar o Seu Sacrifício Divino!

 

Apresento-vos a capela do Hospital Pulido Valente - é linda, não é?

capela do HPV 7.jpg

capela do HPV 1.jpg

 

Vejam bem os pormenores dos vitrais - reconhecem as cenas representadas?

 

capela do HPV 6.jpgcapela do HPV 5.jpg

 capela do HPV 4.jpgcapela do HPV 3.jpg

São exactamente aquilo que estão a pensar - são os Mistérios Gozosos! A maravilha que é rezar o Terço a olhar para estas belíssimas representações!!

 

E claro, nenhuma igreja lisboeta estaria completa sem um Santo António de Lisboa...


capela do HPV 2.jpg

 

 

Esta tentativa de ir diariamente à igreja foi algo que consegui implementar no meu dia-a-dia, dentro das 66 ideias quaresmais que partilhei convosco anteriormente. 

Quando no início falei com a minha mãe, ela não achou que fosse possivel. Eu também estava incerta. Eu ando CHEIA de trabalho!

Mas tem sido incrível e tem sido uma bela lição para mim - apercebi-me que se eu tiver Deus como primeira prioridade dentre as milhares de coisas do meu dia, terei miraculosamente tempo para as fazer a todas!! Que bela lição de confiança e de humildade que tem sido! Garanto-vos que não estaria a conseguir fazer tudo, se não tivesse como primeira preocupação realizar as obras que Deus me pede e estar com Ele durante tanto tempo!

Não sei qual dos presidentes dos EUA foi, mas lembro-me de ler que um deles costumava dizer: "Eu hoje tenho tanta coisa para fazer que precisarei de estar horas a rezar para as conseguir fazer a todas! " :)

 

Por ti Jesus e para ti, ofereço-te este meu bocadinho mais ...

Um novo milagre

De repente, estava já na minha última semana de exames da faculdade. Só faltava mais um exame, e finalmente, descanso! Oh, mal podia esperar! :)

Esta época de exames estava talvez a ser a mais cansativa de sempre! Parecia que nunca mais acabava! E ao contrário das anteriores, esta época de exames terminava com o exame mais difícil. Bonito!

 

 Lembram-se de eu ter explicado no post anterior o que era um exame oral? Pois bem, o meu último exame seria isso mesmo: um exame oral de Psiquiatria! Ora Psiquiatria vem logo a seguir a Neurologia, na minha (pequena) lista de especialidades com as quais não me identifico muito...

Eu estava tanto física como mentalmente cansada. Aliás, estava exausta! Não fazia ideia onde iria encontrar energia para aquela última batalha...

 

Nesta época de exame, tinha acontecido uma situação engraçada: descobri por acaso uma série espanhola que retratava em pormenor a vida de Santa Teresa de Ávila (uma série muitíssimo bem feita!). São muitos episódios (e longos), e portanto, estava a vê-los em partes de 30 min ao mesmo tempo que almoçava. 

 

Ao tentar descobrir uma solução para o meu problema, de repente, fez-se luz! JÁ SEI!!

Na minha cabeça passaram várias imagens da série de Santa Teresa a rezar aos pés da Cruz de Cristo ao mesmo tempo que me lembrava dum post da Teresa, em que ela diz que quer voltar a conseguir ir à missa diariamente. Num acto de plena loucura (segundo a minha mãe) decido naquele momento que iria TODAS AS NOITES à missa!! Ora, se uma mãe de 6 filhos consegue ir, porque não eu?!

semana da loucura.jpg

Custou horrores, deixem-me já que vos diga. Não foi nada fácil. 

Para conseguir ir todos os dias à missa das 21h, tive que adiantar e concentrar as minhas normais 12 horas de estudo. Começava a estudar às 6 da manhã, e quase sempre jantava em 10 min para irmos a correr até à igreja. A mãe teve que reorganizar os seus afazeres para me conseguir levar. E de certa forma, toda a rotina da minha família teve que se ajustar de alguma forma a esta minha loucura.

Mas sei que a minha mãe notou o mesmo que eu.

 

De cada vez que entrava na igreja, eu ficava calma, serena e sossegada. As dúvidas iam-se todas embora, assim como as preocupações, as incertezas, e todos os Se....

Naquela hora, não pensava em mais nada, senão agradecer a Deus pelas maravilhas que tinha feito naquele dia. Coisas simples, como conseguir decorar todas aquelas listas de sinais e sintomas, ou de ter finalmente percebido uma teoria complexa que só os psiquiatras inventam! Agradecia pelo esforço feito pela mãe e pelas outras pessoas lá de casa para se adaptarem àquela loucura. Agradecia pela paciência, pela memória e pela inteligência que acreditava que Deus me transmitia. Agradecia pelo sentimento de confiança que sentia. E rezava pelos meus colegas que íam fazer o exame comigo, assim como pelos outros estudantes de medicina espalhados pelo país e pelo mundo. 

 

Sentia sempre uma sensação maravilhosa ao receber o Senhor dentro de mim, na comunhão diária. Pensava: Esta é a minha arma-secreta neste exame! Com o Senhor dentro de mim, até eu farei milagres! Com o Senhor dentro de mim, quem me conseguirá parar? Psiquiatria, tem medo! O Senhor lutará comigo contra ti! Prepara-te!!! :)

 

Naquela semana, desliguei-me de tudo. Os meus intervalos de estudo eram todos dedicados à oração, ao terço ou a ir fazer xixi. Mais nada! :) E claro, à noite, à missa. 

 

Lembro-me que, nos primeiros dias, vinha da missa e caia exausta na cama. Contudo, nos 2 dias antes do exame (que seria na 5ªfeira dia 5 de Fevereiro), deixei de conseguir dormir. Não por ficar a pensar no exame, apenas não conseguia adormecer. Lembro-me que no meio dessas noites, sorria, falando com Deus e dizendo-lhe: Já sei o que está a fazer Sr. Deus! Está já a treinar-me para ser mãe não é? Elas não dormem quando têm filhos pequenos pois não? Então vá, aguenta-te Marisa! :)

Agora consigo brincar comigo mesma acerca desta situação. Mas na altura foi difícil continuar a estudar sem dormir...

 

O dia do exame chegou. Como sempre, passo todo o meu tempo antes do exame a ajudar os meus colegas com dúvidas. É também comum, apesar de poder ter sido a primeira do dia, ficar lá até à noite a ajudar os meus colegas que entram depois de mim. Não seria a primeira vez, nem será a última!

É um pequeno gesto que não me custa quase nada. E além disso, costumo ficar muito mais calma, ao poder ajudar alguém que esteja mais nervoso que eu. Naquele dia, todo o meu nervosismo tinha ficado aos pés do Senhor, na missa da noite anterior.

 

Entrei, fiz o exame, e sai para continuar a ajudar os meus colegas. À hora de almoço saíram as primeira notas, tinha tido 18! Uipiii, estava de fériaaaaaaas!!! :D

Quando cheguei a casa, hibernei até ao dia seguinte (nesse dia, adormeci antes da hora da missa, e a minha mãe não me quis acordar ... deixem tar, passei lá a tarde toda do dia seguinte!!)

 

oração.jpg

Espero que tenham reconhecido nesta história o milagre que aconteceu.

Não foi a nota do exame, nem o facto de ter estado calma e confiante. Não foi ter conseguido passar no exame apesar de não ter dormido nas últimas duas noites.

 

O milagre foi eu ter conseguido cumprir a promessa que tinha feito com Deus, e conseguir rezar todos os dias o terço (uma dezena por cada intervalo) e ter conseguido ir todas as noites à Sua presença e tê-lO recebido dentro de mim. Esse foi o verdadeiro milagre que aconteceu nessa semana. Graças e louvores ao Senhor!

 

"Então David bendisse o Senhor, diante de toda a assembleia.

E disse: «Bendito sejas Tu, Javé, Deus de nosso pai Israel, desde sempre e para sempre. 

A Vós, Senhor, pertencem a grandeza, o poder, o esplendor, a majestade e a glória, pois tudo o que existe no Céu e na Terra Vos pertence.

Vosso é o Reino, e a Vós vos cabe elevar-se como soberano acima de tudo.

É de Vós que vêm a riqueza e a glória, sois Vós o Senhor de todas as coisas. Na Vossa mão residem a força e o poder. E é a Vossa mão que tem o poder de dar a todas as coisas grandeza e solidez.

Agora, ó nosso Deus, nós Vos agradecemos, louvamos e celebramos o Vosso nome glorioso.

Quem sou eu, e quem é meu povo, para que possamos fazer-Vos tudo isto?

Tudo vem de Ti e a Ti oferecemos tudo o que das Tuas mãos recebemos.»"

1 Crónicas 29:10-14

Como nos vestir para ir ao banquete do rei

Um destes dias, leu-se na missa uma passagem longa (e complexa a meu ver) do Evangelho segundo São Mateus 22:1-14. Nesta passagem, Jesus fala-nos acerca do reino dos Céus e de como poderemos um dia lá entrar. Como sempre, conta-nos isto através duma parábola.

Um rei preparou um grande banquete nupcial para o seu único filho. Preparou tudo pessoalmente e com a ajuda dos seus servos: o banquete foi servido com o melhor de tudo o que existia, a mesa tinha a melhor decoração, tudo estava iluminado e preparado para receber os convidados. Estava tudo pronto. Esta seria a festa de casamento do filho do rei! Que alegria deve ter sentido este pai!

 

O rei mandou os seus servos irem chamar e convidar várias pessoas para a sua festa. Enviou vários servos a diferentes convidados. Contudo, ninguém quis vir à festa. Todos recusaram. Todos estavam demasiado ocupados com as suas vidas, com os seus afazeres, com os seus problemas e trabalhos, e não tinham tempo para virem festejar com o rei.

Reparem que esta não seria uma refeição qualquer! Seria um banquete para celebrar a união entre o filho do rei e a sua esposa!

 

Na parábola o rei parece que quase suplica pela presença destes convidados, ficando muito triste quando estes o recusaram. Não ficariam vocês, depois de tanto trabalho, de tanta dedicação? E assim o rei viu que os seus primeiros convidados não eram dignos da sua festa. 

 

Contudo, ele não baixou os braços, e voltou a enviar os seus servos. Desta vez convidava todas as pessoas do reino. O rei abriu agora as portas do seu castelo para todos, querendo que todos os homens venham e se juntem a ele, na celebração.

Os servos, diz-nos a passagem, reuniram todos os que encontraram, maus ou bons. Então a sala do banquete encheu-se de vida, de alegria! Que ambiente de festa!

 

O rei porém reparou num homem. Esse homem não estava correctamente vestido para a festa, não tinha o seu fato nupcial como todos os outros. O rei perguntou-lhe porquê, e ele não lhe respondeu, talvez porque não soubesse a resposta.

O rei disse então algo que, admito-vos, eu não estava à espera de ouvir da primeira vez:

 

"Amarrai os pés e as mãos deste homem e lançai-o fora na escuridão; aí haverá choro e ranger de dentes". Porque muitos são os chamados e poucos são os escolhidos».

 

Esta passagem foi lida numa das primeiras missas do sr. novo padre na nossa paróquia. Eu já tinha lido esta parábola sozinha. Achava que tinha compreendido tudo. Mas quando cheguei a esta parte, já no fim, admito-vos que me causou algum medo e incerteza. Talvez porque não compreendia o que significava.

O sr. padre na missa, uma das questões que nos explicou foi acerca do fato nupcial. Que fato tão importante, tão essencial, tão especial, era este, que fez o rei dizer tal coisa?

 

Este fato, explicou-nos o sr. padre, pode representar muita coisa. Segundo São Gregório este fato nupcial representa a e a Caridade. Sem estes dois, não será possível para nós entrarmos no reino dos Céus.

"Cada um de vós, portanto, que, na Igreja, tendes fé em Deus, já tomeis parte do banquete nupcial, mas não podeis afirmar ter a veste nupcial se não preservais a graça da Caridade" (Homilia 38, 9: PL 76, 1287).

 

A leva-nos ao banquete. Pela , somos convidados para a celebração, aceitamos o convite e pudemos entrar no castelo, na sala da festa.

Mas isso não chega, é preciso estarmos vestidos a rigor para podermos participar realmente. É necessário praticarmos também a Caridade, o Amor. Tanto o amor a Deus como o amor ao próximo. Estão são os frutos que nascem da , e através dos quais seremos verdadeiros convidados, mas também participantes na celebração, na festa final do Senhor. 

 

Nós precisamos de agir concretamente neste mundo. Precisamos de exercer um amor prático, uma amor real, um amor visível. Assim como Jesus o fez, ao morrer na Cruz por todos nós. Todos nós: primeiros convidados que recusaram ou os segundos convidados que aceitaram, quer estes sejam bons ou maus.

Mas apesar de todos serem convidados, nem todos poderão um dia participar na festa do Filho de Deus. 

 

Foi graças ao sr. padre que percebi, que o homem que não usa o fato nupcial é o homem que se recusa a amar. Ele está lá, no banquete, mas está só a assistir. Não está a participar. E é por causa disso que o rei lhe diz tais palavras:

 

"Amarrai os pés e as mãos deste homem e lançai-o fora na escuridão; aí haverá choro e ranger de dentes".

 

Que triste me senti por agora ter compreendido. Que triste pensar que algo assim acontecerá às pessoas. São Domingos de Gusmão parece que passava horas na igreja a chorar e a perguntar 'Senhor, o que será dos pecadores?'. Há dias, como hoje, quando finalmente compreendo, que também eu o pergunto e choro.

Acreditemos na misericórdia infinita de Deus.