Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem rapariga católica. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que este blog vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem rapariga católica. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia e do amor incondicional ao próximo. Espero que este blog vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Arte de Aproveitar-se das Próprias Faltas - 2

praying.jpg

Imagem retirada daqui

"Queixai-vos de que, em vossa vida, terdes muitas imperfeições e defeitos, a despeito do vosso desejo da perfeição e da pureza do amor de nosso Deus.

Certíssimo é que, enquanto andamos neste mundo, envolvidos neste corpo tão pesado e corruptível, sempre em nós alguma coisa, um não sei quê nos falta ...

Temos de nos suportar a nós próprios, até que Deus nos leve para o Céu."

São Francisco de Sales

 

"Não pensemos em viver neste mundo sem imperfeições ... Somos todos meros homens e, por consequinte, todos temos de aceitar como certíssima esta verdade, para não nos admirarmos das nossas imperfeições.

Mandou-nos Nosso Senhor, que dissessemos todos os dias estas palavras do Pai Nosso: «Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido» ... "

São Francisco de Sales

 

 

Capítulo I do livro "A Arte de aproveitar-se das próprias faltas", da autoria do Pe José Tissot

Este livro pode ser encontrado na Alexandria Católica ou então fazendo o download aqui. 

A Felicidade numa Família

Como já tinha contado anteriormente, o mês de Maio é muito importante para a nossa família. E Deus tem-nos dado tantas outras oportunidades diferentes para celebrarmos e festejarmos a nossa família e cada um dos seus elementos!

 

A Diocese de Aveiro, como a Teresa anunciou no seu blog esta semana, irá também celebrar neste domingo o Jubileu das Famílias

 

Providencialmente, no início desta semana, descobri um documentário maravilhoso e incrivelmente inspirador, realizado pela Opus Dei, e intitulado "Take a Chance on Happiness", onde inúmeras famílias inglesas, escocesas e irlandesas dão o seu testemunho sobre os desafios da vida familiar, mas também da oportunidade que receberam de se santificarem através desse abençoado caminho. O documentário tem um total de 25 minutos, tem legendas, e apresenta também várias gravações de palestras dadas por São Josemaria Escrivá, apelidado de "santo do quotidiano" pelo papa Bento XVI, com vários conselhos, muito práticos, às mães e pais de famílias. Aproveitem o fim-de-semana para o verem!  

 

 

 

A santa que só eu posso ser

A vida está cheia de imprevistos.

E os últimos dias mostraram-me exactamente isso. De repente, Deus deu-me várias oportunidades para pôr em prática a 5ª pedrinha do Rei David -  ou agora, a 5ª talha das Famílias de Caná - a Visitação! Desde puder visitar queridos amigos ao hospital, até ajudar na recolha de alimentos para a Cáritas local!

A visitação sempre foi, para mim, o mais difícil de cumprir dentre os vários objectivos que as Famílias de Caná se auto-propõem. E, apesar do imenso trabalho que tenho neste momento na faculdade, não consegui dizer que não a Deus e aos Seus múltiplos pedidos. Sim, Jesus! Tu queres Jesus, então eu também quero!

Assim, tive de utilizar o tempo que seria dedicado a escrever o post da semana passada nestas actividades! 

 

Esta situação vem bem a propósito do tema que tinha planeado falar no post desta semana - a santidade.

Nomeadamente, a minha santidade. E se quiserem, a vossa também.

 

É sempre bom ler e ficar a conhecer mais sobre a vida dos vários Santos. É sempre bom seguirmos os seus exemplos e tentarmos imitá-los em tudo o que fizeram. É sempre bom tentarmos ser cada vez mais como eles. Eles continuam a ser nossos amigos, mesmo estando no Céu! E eles tentam guiar-nos nesta estrada multifacetada, mas sempre atribulada, que é o caminho da santidade em direcção à vida eterna e ao amor infinito de Deus Pai!
 
Mas a verdade, é que há dias em que penso que Deus ficaria muito mais feliz se, em vez de tentar imitar o que um santo fez, eu apenas tentasse ser santa à minha maneira!
Esta é, afinal, a mensagem que se tenta sempre passar nas Famílias de Caná! :)
 

20151115_080849.jpg

O meu Crisma

 
Há uns tempos, tive a oportunidade de ouvir uma canção, escrita, tocada e cantada pela belíssima Danielle Rose, uma cantora católica americana. A canção chama-se The Saint That Is Just Me (que eu tomei a liberdade de traduzir por, A Santa Que Só Eu Posso Ser).
A letra falou-me ao coração desde o primeiro instante! Tanto porque eu própria tentei tudo o que ela descreve, como também pelo facto de eu ter chegado à mesma conclusão no mesmo dia em que a ouvi pela primeira vez
Ora deliciem-se!

 

 

Danielle Rose - The saint that is just me 

 

O I thought Iʼd be heroic and inspiring.

I wanted to offer you the greatest sacrifice.

Like all the saints whoʼd gone before me,

I tried to prove my love for you, and so to gain the prize.

 

I thought Iʼd be a martyr like Cecilia.

I hoped Iʼd disappear like Saint Therese,

Or wear a hidden crown of thorns like Rose of Lima,

To heal the sick and raise the dead.

 

When you hung upon the cross looking at me,

You didnʼt die so I would try to be somebody else.

You died so I could be the saint that is just me.

 

I wanted to be poor and free like Francis,

To cut off my long hair like lovely Clare.

To be faithful like Mother Teresa in the darkness,

Lord, wonʼt you make me just like her?

 

I tried to kneel for hours in the chapel corner,

To persevere like Paul with all my sleepless nights,

To stay awake and trim my lamp with ten wise virgins,

To really give the devil a good fight.

 

When you hung upon the cross looking at me,

You didnʼt die so I would try to be somebody else.

You died so I could be the saint that is just me,

Just me, you died just for me.

Just me, just me, you died just for me.

 

You saw that I was perfectly imperfect.

O happy fault, the sin of Adamʼs pride.

Thatʼs the reason that you became man,

And bore the new Eve from your wounded side.

 

If it werenʼt for my sins and wounds and weakness,

Then you wouldnʼt have married me upon the cross.

Why do I fear being seen naked and broken?

Thatʼs why you came; ʻcause I need you that much.

 

When you hung upon the cross looking at me,

You didnʼt die so I would try to be somebody else.

You died so I could be the saint that is just me

Danielle Rose - A santa que só eu posso ser (tradução minha)
 
Oh, eu pensei em ser uma heroína e uma inspiração. 
Eu queria oferecer-Te o maior sacrifício.
Como todos os santos o fizeram antes de mim,
Eu tentei provar o meu amor por Ti, e assim ganhar o prémio...
 
Eu pensei em tornar-me numa mártir como St. Cecília.
Eu esperava conseguir desaparecer como Santa Teresa,
Ou usar uma coroa de espinhos escondida como St. Rosa de Lima,
Curar os doentes e ressuscitar os mortos.
 
Quando, pendurado na cruz, Tu olhas para mim,
Tu não morreste para que eu tentasse ser outra pessoa.
Tu morreste para que eu pudesse tornar-me na santa que só eu posso ser.
 
Eu queria ser pobre e livre como São Francisco
Cortar o meu cabelo comprido como a adorável St. Clara.
Ser fiel como a Madre Teresa na escuridão,
Senhor, porque é que não me fazes exactamente como ela?
 
Eu tentei ajoelhar-me durante horas num canto da capela,
Perseverar como St. Paulo em todas as minhas noites sem dormir,
Ficar acordada e cuidar da minha lâmpada como as dez virgens prudentes,
Dar realmente uma boa luta ao diabo!
 
Quando, pendurado na cruz, Tu olhas para mim,
Tu não morreste para que eu tentasse ser outra pessoa.
Tu morreste para que eu pudesse tornar-me na santa que só eu posso ser.
Apenas eu, Tu morreste apenas por causa de mim
Só eu, apenas eu, Tu morreste apenas por causa de mim
 
Tu vistes que eu era perfeitamente imperfeita. 
Oh, culpa feliz, o pecado do orgulho do Adão.
Esta é a razão pela qual Tu te tornaste homem,
e ergueste a nova Eva do Teu lado ferido. 
 
Se não fosse pelos meus pecados e feridas e fraquezas,
Tu não terias casado comigo na Cruz
Porque tenho medo de ser vista nua e despedaçada?
Foi por essa razão que Tu vieste, porque eu precisava assim tanto de Ti!
 
Quando, pendurado na cruz, Tu olhas para mim,
Tu não morreste para que eu tentasse ser outra pessoa.
Tu morreste para que eu pudesse tornar-me na santa que só eu posso ser.

 

A história de cada pessoa é diferente. A vida de cada filho de Deus é diferente. Não existe ninguém neste mundo que tenha uma história exactamente como a minha - porque a história de vida de cada um de nós é escrita por Deus! Ele é o melhor, mais eloquente, mais pormenorizado e mais surpreendente escritor que eu alguma vez conheci! As histórias escritas por Deus são sempre as mais bonitas! 

 

Então, porque é que eu às vezes insisto em retirar-Lhe a caneta das mãos, e tentar escrever eu própria a minha história? Porque não confio mais Naquele que me criou e me deu vida? Porque não confio mais Naquele que mais me ama neste mundo? Porque não confio mais Naquele que cuida de mim, com tanto zelo e carinho, a cada segundo?

 

Foi Deus que me concebeu e desenhou, desde o início da Criação do Universo: ele decidiu quais seriam as minhas qualidades, mas também os meus defeitos e as minhas limitações. Em relação a estas últimas, não tenho dúvidas de que Deus mas deu exactamente para as poder ultrapassar com a Sua ajuda, pela Sua graça - e, às vezes, com a ajuda dos nossos irmãos nesta Terra. 

 

Assim, eu penso, sinceramente, que Deus ficaria muito mais feliz se eu deixasse de sonhar em ser tão corajosa e destemida, tão sábia e inteligente, tão pura e cristalina, tão forte e resistente, como foram os milhares de santos que Deus chamou!

Deus ficaria bem mais feliz se eu tentasse, hoje e aqui mesmo, ser santa à minha própria maneira, à minha pequena maneira, exactamente no local onde estou, na fase de vida em que me encontro, nas circunstâncias particulares da minha vida - afinal, foi Ele que me trouxe até aqui! 

 

20151115_080951.jpg

 A minha madrinha de Crisma e eu.

 

A Teresa escreveu recentemente um lindo e inspirador post acerca de rabiscos

A minha pequena acção, o meu pequeno desenho rabiscado, pode parecer insignificante, vão e ignorável aos olhos dos homens. Mas nunca o será aos olhos de Deus!

Deus tudo vê e tudo sabe! Ele está sempre atento à mais pequena coisa que eu faça e nunca nada Lhe passa despercebido. Todas as mini-mini-mini boas acções que fazemos no nosso dia a dia, todas elas são contabilizadas, todas elas são valorizadas e todas elas agradam profundamente nosso querido Pai! 

Tenho a certeza que nenhum dos sacrifícios e das ofertas que fizemos ao Senhor serão desperdiçados! Deus é muito bom na reciclagem .... Nada se desperdiça quando falamos do Reino dos Céus! ;)

 

Deus chama-me a ser a santa que só eu posso ser! Responderei eu ao Seu chamamento?

 

Estamos prestes a terminar o ano litúrgico e a começarmos um novo! O Advento está quase a bater na nossa porta! É altura de começarmos a preparar o nosso coração para recebermos o Rei-Menino! 

Porque eu quero ser santa já!

Lembram-se do meu post (super pessimista) acerca do já não conseguir fazer mais? De decidir pôr tudo o que fosse extra-faculdade para 2o plano? De já não conseguir aceitar mais nenhum compromisso?

 

Pois, Deus afinal tinha outros planos! :)

 

Poucos dias depois de ter escrito aquele post começaram, literalmente, a chover convites para integrar novos grupos na igreja, assim como vários pedidos de ajuda/cooperação em diversas actividades! 

E de repente, a minha vida tornou-se novamente super interessante (ou seja, aconteceram várias coisas bastante blogaveis - e acho que acabei de inventar uma palavra)

 

A verdade é que, a cada dia que passa (e depois do meu fantástico e maravilhoso Crisma de ontem!) torna-se cada vez mais difícil dizer que não a Jesus!!

 

Sim, Jesus, eu aceito.

Sim, Jesus, por Ti também farei isto.

Sim, Jesus, se Tu queres, então eu também quero!

Nós Jesus, faremos isso tudo!

 

Porque, como decidi desde o retiro do Crisma, há algumas semanas atrás, o meu lema de vida e de missão evangélica será, como disse um dia a nossa querida Beata Chiara Luce:

 

Se é para ser santa, quero ser santa já! 

 

E claro, tanto o exemplo diário da Teresa como o da Olivia são sem dúvida um fonte inesgotável de inspiração, força e coragem! O meu mais sincero obrigado a ambas! :)

 

Oh bem, aqui vamos nós outra vez! - Jesus, Espírito Santo e eu! :)

Nossa Senhora Auxiliadora, rogai por nós!

 

Ps.1: E vou tentar manter o blogue minimamente activo (dentro das minhas possibilidades) ;) 

 

Ps.2: Um gigantesco e enormíssimo obrigado, acompanhado dum xi-coração de urso e montanhas de beijinhos a todos que escreveram comentários, emails e até sms! de apoio acerca do post anterior. Têm o meu eterno agradecimento! :)

Oração de S. Francisco de Assis

Hoje mostro-vos outro quadro que fiz este Verão para o meu quarto.

Descobri a oração de S. Francisco de Assis, adivinhem, pelo blog da Teresa

Reparei depois que esta oração era já muito conhecida e difundida pelo mundo, havendo até canções com a letra da oração (esta canção foi apresentada na JMJ 2013 no Rio de Janeiro)! E ainda bem, porque é sem dúvida uma das mais belas orações que alguma vez tive a oportunidade de aprender. 

 

Nem sempre é fácil sermos filhos de Deus.

Não sei se sou só eu que penso assim. Nem todos os dias, a qualquer hora ou em qualquer momento, consigo ser, dizer e fazer o que devia.

Nem sempre respondo com palavras doces a quem me fala com antipatia ou irritação, como aprendo com os outros elementos das Famílias de Caná.

Nem sempre perdoo instantaneamente o outro que me ofende, como Deus faz comigo.

Nem sempre levo paz, calma e sossego aonde está prestes a rebentar uma tempestade, como Maria fez nas Bodas de Caná.

Nem sempre procuro apaziguar as dúvidas, nem sempre tenho a fé suficiente para enfrentar as adversidades, como o Espírito Santo nos inspira a fazer.

Nem sempre acredito, nem sempre creio, nem sempre confio, como Jesus nos ensinou.

Quadro 2

Caso estejam interessados em imprimir o documento que criei com a Oração de S. Francisco, podem fazer o download aqui ou então aqui.

 

 Oração de S. Francisco de Assis

 

"Senhor, fazei de mim um instrumento da vossa paz:

onde houver ódio, que eu leve o amor;

onde houver ofensa, que eu leve o perdão;

onde houver discórdia, que eu leve a união;

onde houver dúvida, que eu leve a fé;

onde houver erro, que eu leve a verdade;

onde houver desespero, que eu leve a esperança;

onde houver tristeza, que eu leve a alegria;

onde houver trevas, que eu leve a luz.

 

Ó Mestre, fazei com que eu

procure mais consolar que ser consolado;

compreender que ser compreendido;

amar que ser amado.

Pois é dando que se recebe;

é perdoando que se é perdoado;

e é morrendo que se ressuscita para a vida eterna."

 

Nesses dias, nessas horas, nesses momentos, se puder refugio-me no meu quarto e digo a oração tão humilde, tão sábia, tão refrescante de S. Francisco. Às vezes, acreditem, tenho de a dizer mais que uma vez!

 

"É preciso que Ele cresça e que eu diminua." João 3:30

 

Oh meu bom Deus, meu Pai, meu Mestre, ajudai-me e inspirai-me a mudar, a contrariar os meus instintos.

Ajude-me a vencer o pecado. Use-me meu Senhor, para Sua glória. Sirva-se de mim, para fazer a Sua vontade e a Sua obra.

Ensine-me a tornar-me menos eu, para que o mundo O possa ver mais. Para que o mundo O conheça melhor. Para que o mundo O descubra e se apaixone.

 

Começo a descobrir que, é realmente ao morrermos para nós, que renascemos e vivemos verdadeiramente em Cristo, com Deus, no caminho para a vida eterna.

 

"Fui morto na cruz com Cristo. Eu vivo, mas já não sou eu que vivo, pois é Cristo que vive em mim." Gálatas 3:19-20

 

A Procura da Santidade

Hoje é Dia de Todos os Santos. Que dia tão especial!

 alphabet of saints.jpg

Imagem retirada do Pinterest

 

A festa deste dia é celebrada em honra de todos os santos e mártires, nossos conhecidos ou não. Pudemos assim aproveitar o dia para relembrarmos santos que nos tocaram particularmente com as suas vidas, ler algumas biografias e agradecer-lhes por todas as vezes que rogaram e intercederam por nós.

 

Há já algum tempo que um dos sites que se encontra na minha barra de marcadores da internet, é este:

Portal Paulinas - Santo do dia

 

Abro este site todos os dias que venho ao computador e tem-me ajudado diariamente, quer a ter inspiração para o que tenho que fazer, quer a aprender acerca das vidas e dos feitos de vários santos e santas que eu não conhecia.

 

Quando ponderava sobre o que escrever neste post, dei por mim, como já é costume, a pensar nos vários posts que a Teresa escreve. Ando particularmente pensativa acerca dos seus posts sobre a santidade e do dever que cada cristão tem de a procurar todos os dias da sua vida. Nunca antes me tinha apercebido desta responsabilidade até a Teresa o dizer tão explicitamente.

E, de repente, parece que encontro por todos os lados mais passagens bíblicas a dizer isto mesmo e me deparo com outros textos e pensamentos de diferentes cristãos acerca deste assunto. Falo, por exemplo, das ideias defendidas pelo Santo Papa João Paulo II e pelo Papa Francisco. Ambos dedicaram o seu papado a divulgarem ao mundo este chamamento pessoal que Cristo nos faz, da vocação individual para a santidade:

 

«Sede perfeitos, como o vosso Pai celeste é perfeito» (Mateus 5:48)

 

Os santos não estão todos mortos. Alguns vivem hoje, no mesmo mundo que nós. Os santos não são só pessoas que viveram há muito tempo e que fizeram coisas extraordinárias, que no presente nos parecem quase impossíveis. A verdade, parece-me que esquecida pelo mundo, é que cada pessoa tem o potenciar para ser santa. Pois, Deus encheu-nos de bênçãos, ofereceu-nos inúmeros dons e concedeu-nos infinitas graças.

 

«Os cristãos, de qualquer estado ou ordem, são chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade. (…) Para alcançar esta perfeição, empreguem os fiéis as forças recebidas segundo a medida em que Cristo as dá, a fim de que (…) obedecendo em tudo à vontade do Pai, se consagrem com toda a alma à glória do Senhor e ao serviço do próximo. Assim crescerá em frutos abundantes a santidade do povo de Deus, como patentemente se manifesta na história da Igreja, com a vida de tantos santos» - Concílio Vaticano II.

 

E nós? E eu? E tu?

Estaremos finalmente dispostos a aceitar o chamamento para a santidade de Jesus?