Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem esposa e mãe católica portuguesa. Neste blog partilho a minha caminhada em busca de Deus e da santidade, através da nossa Igreja Doméstica crescente!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem esposa e mãe católica portuguesa. Neste blog partilho a minha caminhada em busca de Deus e da santidade, através da nossa Igreja Doméstica crescente!

Vida em mim

"Parece que tu não ovulas!"

Lembro-me perfeitamente do dia em que me disseram que provavelmente seria infértil. Claro que, como estudante de medicina na altura, eu já suspeitava há algum tempo. Os ciclos menstruais irregulares, os sinais físicos do desequilíbrio hormonal que ocorria dentro de mim, os sintomas típicos todos presentes ... Mas, se mais ninguém o afirmasse, talvez a ideia de puder ser infértil fosse apenas mais um "macaquinho" na minha cabeça, uma ideia tola e sem fundamento ... 

 

Pela graça de Deus, ao longo da minha caminhada católica, tive a imensa graça de ficar a conhecer o Fertility Care que, mais do que um método para ajudar famílias cristãs a gerir a sua fertilidade conjugal e a sua abertura à vida, é também uma forma bastante eficaz de ajudar a mulher a monitorizar a sua saúde ginecológica e procriativa. O método do Fertility Care baseia-se na auto-observação diária de vários sinais e sintomas do corpo da mulher, de modo a compreender e interpretar o que se passa com o seu corpo a cada dia do ciclo. É um método natural de espaçamento familiar, muito versátil e adaptável às necessidades de cada casal, ecológico e económico, extensamente estudado e aplicado um pouco por todo o mundo desde há mais de 50 anos. 

Foi através das consultas com as instrutoras deste método que comecei a compreender o que se passava com o meu corpo. Percebi que tinha de mudar o meu estilo de vida se queria tornar-me saudável. Tentei ajudar o meu corpo a recuperar a normalidade de todas as formas que consegui. Mas as medidas não pareciam surtir efeito. Os meses passavam, eu continuava a monitorizar diariamente os sinais e sintomas do meu corpo, voltava a repetir os exames e as análises, e não parecia haver grandes diferenças ... A minha doença não regredia, permanecia lá, por mais que eu tentasse controlá-la. Por fim, o passar dos anos ajudou-me a aceitar esta minha condição, que parecia tornar altamente improvável que eu alguma vez pudesse ser mãe. 

 

Parte do meu grande interesse na vida consagrada devia-se ao conhecimento desta minha condição. Se eu não podia ser mãe biológica, não fazia qualquer sentido na minha cabeça que o Senhor me pudesse chamar a uma vida matrimonial. Foram muitos os anos a viver este dilema, entre aquilo que o meu coração desejava intensamente - ser esposa e mãe - e aquilo que a minha razão me levava a pensar. Foram muitas as horas de oração, de encontro com o Senhor, de feridas a serem destapadas, devagarinho, uma a uma, para puderem ser então curadas ...

 

Quando conheci o meu marido, alguns anos depois, o tema da minha provável infertilidade foi algo largamente discutido, meditado e rezado entre ambos. Curiosamente, o Senhor tinha feito com que o meu marido tivesse conhecido o método do Fertility Care ainda antes de eu própria o conhecer e praticar! E ele aceitava-me exactamente como o Senhor me tinha feito. Claro que foi necessário aprender a gerir expectativas e alguns sonhos de vida prévios. Mas, nem por um segundo sequer, esta minha condição fez diminuir a certeza absoluta que o meu marido tinha de que o Senhor o chamava e convidava a doar toda a sua vida por mim, como meu esposo. 

Assim, durante anos, li, estudei e ouvi todos os testemunhos que encontrei de outras mulheres e famílias que tiveram de lidar com a cruz da infertilidade. Foram incontáveis as horas a rezar, a preparar-me, a planear, a mentalizar-me - como é típico da minha personalidade - para a nossa futura vida matrimonial e para a longa e árdua luta contra a infertilidade que nos esperava. Até, finalmente, conseguir encontrar e viver naquela paz que só o Senhor nos pode oferecer, de, em tudo, fazer sempre a Sua vontade, de seguir sempre os Seus caminhos, carregando a nossa Cruz às costas atrás d'Ele, nunca tirando os olhos do Céu do Seu amor ...

 

O que eu não me apercebi foi que, ao longo dos meses de namoro e noivado, o meu corpo foi, aos poucos, mudando e normalizando. Devagarinho, lentamente, de forma quase imperceptível, os meus ciclos menstruais foram-se tornando cada vez mais regulares.... e o impossível aconteceu.

Inacreditavelmente, miraculosamente, estamos grávidos!

20210605_124617.jpg

E o Senhor nunca se deixa vencer em generosidade - o nosso bebé, o nosso primeiro filho, foi prenda de lua de mel! Está previsto nascer exactamente 9 meses do dia do nosso casamento, em Janeiro do próximo ano! 

Oh, alegrem-se e regozijem-se connosco! O Senhor fez em nós maravilhas! O Senhor fez em nós um autêntico milagre! Oh, como o Senhor é bom!