Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem esposa e mãe católica portuguesa. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade e o meu encontro com o amor misericordioso do Senhor. Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem esposa e mãe católica portuguesa. Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade e o meu encontro com o amor misericordioso do Senhor. Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a alegria do Evangelho!

São José, o Justo

Vamos continuar a "montar o nosso presépio"? 

Hoje reflectiremos, com a ajuda do nosso querido Papa Bento XVI, acerca de São José, adequadamente chamado de «o Justo».

 

José.jpg

A designação de José como homem justo (zaddik) (...) oferece um retrato completo de São José e, ao mesmo tempo, insere-o entre as grandes figuras da Antiga Aliança, a começar por Abraão, o justo.

 

O Salmo 1 representa a imagem clássica do «justo». O justo, segundo este salmo, é um homem que vive em intenso contacto com a palavra de Deus, que «põe o seu enlevo na lei do Senhor» (v.2). É como uma árvore que, plantada à beira das águas correntes, produz continuamente o seu fruto. Com a imagem das águas correntes, das quais se nutre a árvore, entende-se naturalmente a palavra viva de Deus, onde o justo faz penetrar as raízes da sua existência. Para ele, a vontade de Deus não é uma lei imposta a partir de fora, mas «alegria»; para ele, a lei torna-se espontaneamente «evangelho», boa nova, porque ele interpreta-a numa atitude de abertura pessoal e cheia de amor para com Deus, e assim aprende a compreendê-la e a vivê-la a partir de dentro. (...)

Esta imagem - do homem que tem as suas raízes nas águas vivas da palavra de Deus, não cessa jamais de dialogar com Deus e, por isso, produz sempre fruto - torna-se realidade concreta (...) em José de Nazaré. Depois da descoberta feita por José, trata-se de interpretar e aplicar a lei de maneira justa; e ele fá-lo com amor: não quer expor publicamente Maria à ignomínia. Ama-a, mesmo no momento de grande desilusão. (...) José vive a lei como evangelho, procura o caminho da unidade entre direito e amor. E assim está preparado interiormente para a mensagem nova, inesperada e humanamente incrível, que lhe virá de Deus.

 

Enquanto «entra em casa» de Maria, o anjo a José aparece só em sonho, mas num sonho que é realidade e revela realidade. Mais uma vez é-nos apresentado um traço essencial da figura de São José: a sua sensível percepção do divino e a sua capacidade de discernimento. (...)

A mensagem que lhe é comunicada é enorme e requer uma fé excepcionalmente corajosa. (...) Antes, Mateus dissera que José estava «considerando interiormente» a questão da justa reacção à gravidez de Maria. Podemos, pois, imaginar como terá então lutado, no seu íntimo, com esta mensagem inaudita do sonho: «José, filho de David, não temas receber Maria, tua esposa, pois o que ela concebeu é obra do Espírito Santo» (Mt 1,20). (...) 

 

Depois da informação sobre a concepção do Menino por virtude do Espírito Santos, é confiado a José um encargo: Maria «dará à luz um filho, ao qual darás o nome de Jesus, porque Ele salvará o povo dos seus pecados» (Mt 1,21). Juntamente com o convite a tomar consigo Maria como sua esposa, José recebe a ordem de dar um nome ao Menino e, deste modo, de O assumir juridicamente como seu filho. (...)

 

Mateus completa a narração referindo que José se levantou do sono e fez o que lhe fora mandado pelo anjo do Senhor. (...) Mais uma vez e de maneira muito concreta, José é-nos apresentado aqui como «homem justo»: o seu permanecer interiormente alerta para Deus - uma atitude que lhe permite acolher e compreender a mensagem - torna-se, espontaneamente, obediência. Se antes procurara adivinhar com as próprias capacidades, agora sabe que coisa justa deve fazer.

 

Reflexão retirada do livro "Jesus de Nazaré - A infância de Jesus",

do Papa Bento XVI, 2012, pág. 37-43

A resposta de Maria ao anjo Gabriel

Estamos já na segunda semana do Advento. Este ano, o Advento "tem uma semana a menos", uma vez que celebramos o 4º Domingo do Advento na véspera de Natal, dia 24 de Dezembro. No dia seguinte celebraremos logo a vinda do Amor até junto de nós.

 

Então, está na altura de "preparar o presépio". Hoje, começaremos com Maria; depois falaremos de José e do Menino Jesus.

Neste sentido, partilho convosco uma reflexão do Papa Bento XVI, acerca da resposta de Nossa Senhora à anunciação por parte do anjo Gabriel.

Maria.jpg

 

A resposta de Maria desenvolve-se em três etapas.

A primeira reacção à saudação do anjo é feita de perturbação e ponderação. A sua reacção é diferente da de Zacarias; dele é referido que ficou perturbado e «encheu-se de temor» (Lc 1,12). No caso de Maria, no início usa-se a mesma palavra (ela perturbou-se), mas o que se segue depois não é o temor, mas uma reflexão íntima sobre a saudação do anjo. Maria reflecte (entra em diálogo consigo mesma) sobre o que deva significar a saudação do mensageiro de Deus. Assim, vemos surgir já aqui um traço característico da figura da Mãe de Jesus, um traço que encontramos no Evangelho mais duas vezes em situações análogas: o confronto íntimo com a Palavra (ver também Lc 2,19 e Lc 2,51).

Não se detém no primeiro sentimento que a assalta, ou seja, a perturbação pela proximidade de Deus no seu anjo, mas procura entender. Por isso, Maria aparece como mulher corajosa, que conserva o autocontrolo mesmo diante do inaudito. Ao mesmo tempo, é apresentada como mulher de grande interioridade, que conjuga o coração e a mente e procura entender o contexto, o conjunto da mensagem de Deus. Assim, torna-se imagem da Igreja, que reflecte sobre a palavra de Deus, procura compreendê-la na sua totalidade e guarda o dom da mesma na sua memória.

 

Enigmática, para nós, é a segunda reacção de Maria. (...) O anjo comunica-lhe que foi escolhida para se tornar mãe do Messias. Então Maria fórmula uma pergunta breve e incisiva: «Como será isso, se eu não conheço homem?» (Lc 1,34). Considere-se de novo a diferença da sua resposta, relativamente à de Zacarias: enquanto este reagiu duvidando da possibilidade da tarefa que lhe foi atribuída (...) Maria não dúvida, não levanta questões sobre o facto «de que» se possa realizar a promessa, mas quanto ao «como» está se realizaria. (...) [Mas] o anjo confirma-lhe que não será mãe pelo modo normal depois de ser recebida em casa de José, mas através da «sombra da força do Altíssimo», por meio da vinda do Espírito Santo e, com veemência, assegura: «Porque nada é impossível a Deus» (Lc 1,37).

 

Depois disto, segue-se a terceira reacção, a resposta essencial de Maria: um simples «sim» daquela que se declara serva do Senhor. «Faça-se em mim segundo a tua palavra» (Lc 1,38). (...) São Bernardo de Claraval afirma que, no momento do pedido a Maria, o céu e a terra como que suspendem a respiração. Dirá «sim»?! Ela demora.... Porventura lhe servirá de obstáculo a sua humildade? Só por esta vez - diz-lhe Bernardo - não sejas humilde, mas magnânima. Dá-nos o teu «sim»! Este é o momento decisivo, em que dos seus lábios, do seu coração, surge a resposta: «Faça-se em mim segundo a tua palavra». É o momento da obediência livre, humilde e simultaneamente magnânima, na qual se realiza a decisão mais sublime da liberdade humana. (...)

 

Penso que é importante ouvir também a última frase da narração da Anunciação: «E o anjo retirou-se de junto dela (Lc 1,38). A grande hora do encontro com o mensageiro de Deus, na qual toda a vida muda, passa; e Maria fica sozinha com a tarefa que verdadeiramente supera toda a capacidade humana. Não há anjos em seu redor, ela deve prosseguir pelo seu caminho, que passará através de muitas obscuridades, a começar pelo espavento de José perante a sua gravidez até ao momento em que se diz de Jesus que está «fora de si» (Mc 3,21 e Jo 10,20), até à noite da Cruz. (...) O anjo parte, a missão permanece e, juntamente com ela, matura a proximidade interior com Deus, o íntimo ver e tocar a sua proximidade."

 

Reflexão retirada do livro "Jesus de Nazaré - A infância de Jesus"

do Papa Bento XVI, 2012, pág. 33-37

A mensagem mais importante do Natal

Não faço a mínima ideia como é possível que dentro de poucos dias estejamos a celebrar o Natal!

Para mim, o Advento passou a correr! Não tive tempo, com muita pena minha, para grandes preparações meditativas ou espirituais, aliás, não tive tempo para quase nada do que costumava fazer .... Além do facto destas últimas semanas terem sido bastante atípicas e não pelas melhores razões... 

 

De qualquer das formas, o Senhor assegurou-Se que eu me mantinha bastante ocupada a fazer minúsculos, (aparentemente) infinitos e (quase) insignificantes mini-mini-mini actos de amor e de sacrifício, que Ele lá me ía pedindo ...  muitos "quase nadas", muitas "coisinhas pequeninas", bastante mascaradas e disfarçadas mas ... ainda assim, actos de amor e de sacrifício, feitos com todo o coração. Não tenho dúvidas que o Senhor esteve atento a todas elas, como está sempre em relação ao que cada um de nós faz.

 

No meio disto tudo, ontem acabei por me lembrar dum texto que escrevi no Natal passado - precisamente acerca de não me sentir preparada para receber Jesus como Ele merecia. Reler aquele texto ajudou-me bastante a aceitar a minha situação e as minhas limitações neste período da minha vida, e espero que vos ajude um pouco também. 

 

Quando temos pouco tempo, temos de escolher o que é mais importante.

Existem inúmeros temas acerca dos quais se pode reflectir durante o Advento e nas celebrações do Natal que se avizinham. Mas, este ano, escolho focar-me apenas no essencial - na mensagem mais importante, mais profunda e primordial por detrás do Natal, belissímamente apresentada pelo nosso querido Pe. Paulo Ricardo (vídeo do Natal de 2015).

 

 

A todos os meus amigos e leitores, 

 

* Um Santo e Feliz Natal! *

Imaculada Conceição

Em honra do dia de hoje, em que celebramos a Imaculada Conceição de Nossa Senhora, partilho convosco duas das minhas canções favoritas, tocadas e cantadas pela extraordinária Danielle Rose 

 

 

Hail Holy Queen

 

Hail Holy Queen, Mother of mercy,

Our life, our sweetness, and our hope.

To thee do we cry, poor banished children of Eve.

To thee do we send up our sighs mourning and weeping

in this valley of tears.

Turn then, most gracious advocate,

thine eyes of mercy toward us,

and after this our exile,

show unto us the blessed Fruit of thy womb, Jesus.

O clement,

O loving,

O sweet Virgin Mary!

Pray for us O most holy Mother of God,

that we may be made worthy of the promises of Christ.

Amen

Salvé Rainha

 

Salvé Rainha, Mãe de Misericórdia

Vida, doçura e esperança nossa, Salvé!

A Vós bradamos, os degredados filhos de Eva

A Vós suspiramos, gemendo e chorando

neste Vale de Lágrimas.

Eia, pois, advogada nossa

Esses Vossos olhos misericordiosos a nós volvei!

E depois desse desterro,

Mostrai-nos Jesus, bendito fruto do Vosso Ventre

Ó Clemente,

Ó Piedosa,

Ó Doce Sempre Virgem Maria.

Rogai por nós Santa Mãe de Deus,

Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Amen.

 

 

Mary's Heart

 

(This song is a prayer written by Mother Teresa. It is prayed by the Missionaries of Charity to prepare their hearts to receive Jesus in the poorest of the poor.)

 

O Mary, Mother of Jesus,

Give me your heart

That I might receive Jesus.

Give me your heart,

So beautiful, so pure,

So immaculate, so full of love and humility.

 

Give me your heart,

To love Him as you loved Him,

And serve Him as you served Him,

In the distressing disguise of the poorest of the poor.

 

In the Bread of Life,

In the poorest of the poor,

In distressing disguise,

In Christ our Lord.

Coração de Maria

 

(Esta canção é uma oração escrita pela Madre Teresa de Calcutá e é rezada pelos Missionários da Caridade, para prepararem os seus corações a fim de receberem Jesus no mais pobre dos pobres).

 

Ó Maria, Mãe de Jesus,

Dá-me o Teu coração

Para que eu possa receber Jesus.

Dá-me o Teu coração,

Tão belo, tão puro,

Tão imaculado, tão cheio de amor e humildade.

 

Dá-me o Teu coração

Para poder amá-Lo como Tu O amaste,

E servi-Lo como Tu O serviste,

No aflitivo disfarce do mais pobre dos pobres.

 

No Pão da Vida,

No mais pobre dos pobres,

Num aflitivo disfarce,

Em Cristo, nosso Senhor.

Um Feliz Natal!

Apesar de toda a preparação que planeei e tentei fazer durante este Advento, a verdade é que as circunstâncias da vida têm sempre a mania de se meterem no meio dos nossos planos. E raramente as coisas saem como nós imaginávamos. Mas vai ser sempre assim, não é?

Para vos ser sincera, não me “sentia” nada preparada para celebrar a Encarnação do Filho de Deus neste mundo. Não me “sentia” mesmo nada preparada! Havia muitas áreas do meu coração que eu queria ter trabalhado mais, mais coisas que gostaria de ter feito, mais actividades que gostava de me ter voluntariado….

 

Há uns dias atrás estava bastante desanimada comigo e com o (pouco) que o meu coração estava preparado para uma celebração de tal dimensão e importância! Senti-me bastante tentada em desistir e simplesmente dizer ao Senhor:

“Jesus, o meu coração não está, nem de perto nem longe, devidamente preparado para Te receber. O meu coração não está cheio de generosidade, misericórdia, amor, paz e alegria como eu To desejava oferecer. O meu coração não está pronto para Ti, meu Querido…. E por isso, por favor, não venhas! Mantém-te longe de mim! Tenho tanta vergonha que Tu o vejas, tanta vergonha de Te deixar entrar dentro Dele e de veres a confusão tão feia em que está neste momento … “

 

Uns dias depois deste pensamento, o Senhor respondeu-me, através dum texto que encontrei pela internet (e que entretanto já não o consigo voltar a encontrar …) e o meu coração encheu-se finalmente de Paz!

 

Presépio 1

 

Porque é que Jesus nasceu em Belém, numa manjedoura?

Belém era uma das cidades mais pequenas daquela altura. Uma cidadezinha insignificante. Que, curiosamente (ou talvez não), o seu nome hebraico poderia ser traduzido como Cidade do Pão.

Vejam, Jesus, o Pão da Vida, nasceu numa cidadezinha que se chamava Cidade do Pão, e foi colocado numa manjedoura depois de nascer – no local onde os animais comem!....

 

Além da razão que já vos expus, ainda assim, porque é que Jesus quis nascer longe da Sua casa, a casa de São José e da Virgem Maria, em Nazaré?

Só imagino o carinho e o amor que a Santíssima Virgem não deverá ter colocado na decoração da sua casa. Como a Melhor das mães, Ela mais do que ninguém, deverá ter escolhido tudo o mais confortável e aconchegante possível, apesar do pouco dinheiro que São José ganhava como carpinteiro. E São José, sendo carpinteiro, quanto amor ele não deverá ter colocado na construção, tão trabalhada e ornamentada, dos móveis da sua casa. Que lindo que deveria ser o berço que São José deverá ter construído para Jesus…. 

A casa de Nossa Senhora e de São José devia estar mais perfeitamente preparada para a chegada do Filho de Deus do que as nossas alguma vez estarão para receberem os nossos filhos …

 

E apesar disso tudo, Jesus quis ir nascer numa cidadezinha que nem O quis receber nas suas habitações quentinhas e aconchegantes …. O único sítio livre era um estábulo! Um estábulo! Uma construção tosca, cheia de gretas, buracos e rachas nas paredes e no tecto, por onde o frio e a chuva entravam! O local onde os animais dormiam! Só imagino o cheiro agradável … Um local nu e despido, solitário e longe da companhia e da ajuda de outras pessoas, familiares e amigos …. Que local mais horrível para alguém dar à luz ou para alguém nascer!!

 

Canto oração 2015 (4)

 

Desde o Seu nascimento que Jesus nos mostra o Seu tremendo e imensurável amor pelos lugares pobres, desconfortáveis, sujos e feios …. que é como por vezes vejo o meu coração…

 

Portanto, se é mais ou menos assim que o nosso coração está neste Natal, tenham esperança! Foi exactamente num lugar assim que o nosso Salvador nasceu. Talvez o nosso coração Lhe lembre Belém e aquele local feio que os Seus olhinhos viram quando se abriram pela primeira vez neste mundo que Ele criou. Não se preocupem, Ele está habituado! Mais ainda, Ele AMA locais assim! Ele AMA os corações que estão assim!

 

Porque, apenas se o nosso coração estiver vazio, partido e sujo, é que o Senhor poderá entrar nele e transformá-lo, como só Ele pode, num coração cheio, completo e imaculado! Um coração reluzente, incrivelmente alegre e agradecido! Um coração misericordioso, à semelhança do Seu Criador!

 

 

Uma última questão que também gostava de vos deixar…

Presépio 6

 

Porque é que Maria foi a Belém com José?

Certo, havia um recenseamento que tinha sido ordenado pelo Imperador mas … na antiga Roma apenas os homens tinham importância, e portanto eles só queriam saber o número de homens daquela população! As mulheres não entravam nas contas, nem as crianças!

 

Porque é que Maria, já no fim da Sua gravidez, faria uma viagem tão longa e tão difícil?

Desde que comecei a pensar nesta questão já cheguei a várias respostas possíveis. As que mais me satisfazem são: porque era essa a vontade do Senhor e do próprio Jesus (por exemplo, por uma das analogias que já expliquei em cima) e também porque a nossa querida Mãe Maria devia amar tanto São José que não suportaria ficar todo aquele tempo sem ele, logo agora quando já tinham celebrado oficialmente o Seu Matrimónio no Templo à frente do Senhor … Estou mesmo a imaginar Maria a dizer a José: "Nem penses nisso, querido! Aonde tu fores, eu também vou, grávida e tudo!!" (ahahaha)

 

Hoje, no meio da azáfama das celebrações da Encarnação do nosso Redentor, lembremo-nos, por um pequeno momento, de pedir à nossa querida Mãe para organizar o nosso coração! Para o tornar aconchegante, confortável, exactamente à medida para a vinda de Cristo, como Ela certamente o fez naquele estábulo em Belém …

 

Desejo-vos um Santo Natal, cheio do amor, da paz e da alegria que só o Senhor nos pode dar!


Santo Natal 2015.jpg 

Véspera de Natal

O que fazem os estudantes de Medicina na véspera de Natal?

A grande maioria de nós tenta estudar o máximo possível, na tentativa de "compensar" o estudo que não será feito no dia seguinte... outros põem o estudo de lado e dedicam-se à sua família e amigos!

E depois existem aqueles estudantes que decidem dedicar algumas horas do seu dia aos doentes que, infelizmente, terão de passar o Natal numa cama de hospital... 

 

Natal diferente Logo.jpg

 

 

Natal Diferente é uma iniciativa das Faculdades de Medicina de Lisboa e da Madeira, que tem como objetivo alegrar o dia de véspera de Natal de quem o passa internado num hospital.

 

E o que fazemos nós neste dia?

Nada de muito especial, na verdade. Coisas simples como um sorriso, palavras de conforto e de ânimo, uma canção de Natal, algumas brincadeiras ... e alguns presentes! 

 

 

O ano passado tivemos muitos patrocinadores nesta iniciativa, e pudemos dar presentes à maioria dos doentes internados nos hospitais onde estivemos. Eu estive no Hospital Garcia de Orta, onde pudemos alegrar um pouco o dia dos doentes na Medicina Interna e das crianças na Pediatria (que eram apenas 5 internadas!). Nesse ano, até tivemos a alegria de ter um verdadeiro Coro a cantar especialmente para os doentes!

Natal diferente 2014.jpg

Participantes do Natal Diferente 2014 

(eu sou a rapariga de casaco vermelho, na fila da frente à direita)

 

Este ano tivemos poucos patrocinadores, e portanto tinhamos poucas prendas para dar... No Hospital Garcia de Orta tivemos assim apenas na Pediatria, onde infelizmente tinhamos este ano mais de 20 crianças internadas ... 

Natal diferente 2015.jpg

 Participantes do Natal Diferente 2015

(eu sou a rapariga de casaco vermelho, na direita)

 

Não custou nada dar (mais) um pouco do nosso tempo, da nossa atenção e do nosso amor, àqueles que nós já pensamos todos os dias -  os doentes! Eles estão sempre no nosso coração, na nossa mente e nas nossas orações. É por eles que estudamos tanto, que trabalhamos tanto e que damos tanto de nós!

 

"Então dirá o Rei aos que estiverem à Sua direita:

Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o Reino

que vos está preparado desde a fundação do mundo;

Porque tive fome, e destes-me de comer;

Tive sede, e destes-me de beber;

Era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me;

Adoeci, e visitastes-me;

Estive na prisão, e foste me ver.


Em verdade vos digo que,

quando o fizestes a um destes meus irmãos pequeninos,

a Mim o fizestes."
Mateus 25:34-26, 40

Pedacinhos do nosso Advento

Ops!

Não tinha programado ficar tanto tempo sem escrever no blogue! Mas seguiram-se imprevistos atrás de imprevistos e de repente .... chegámos já à última semana do Advento??!!... Mas como?....

Pelo menos, durante estes dias consegui ir tirando, aqui e ali, uma foto das nossas actividades do Advento cá em casa. E hoje, partilho-as com vocês :)


O nosso Calendário do Advento - no início do Advento

- Podem descobrir como fizemos o nosso aqui!

Calendário 2015 (1)

 Que já estava assim neste fim-de-semana .... 

Calendário 2015 (2)

 

A nossa Coroa do Advento - Muito simples este ano!

- Podem ver a Coroa do ano passado aqui!

Velas 1

 Eh eh - este ano não me enganei, e já escrevi em português! ;)

Velas 2

No II Domingo do Advento

Velas 3

 No IV Domingo do Advento

Coroa Advento 4

 

Canto de oração do meu quarto

- Podem ver o do ano passado aqui!

Canto oração 2015 (1)

Canto oração 2015 (3)

 

A minha mini-árvore de Jessé

Arvore de Jesse 1

 Cheia de histórias! Cheia de promessas! 

Arvore de Jesse 2

 

Uma prenda-surpresa da mãe

- Ornamentos para a minha árvore de natal do escritório, que ela própria fez (utilizando apenas cola quente e brilhantes)! Não ficaram lindíssimos?? Foi desde já a melhor prenda deste ano!

Ornamentos - fé

Ornamentos - paz

Ornamentos - Amor

Ornamentos - alegria

 

O meu mini-mini presépio:

Mini presepio.jpg

 

Por fim, o nosso presépio principal e grande árvore de natal - tudo feito pela mãe!

- Podem comparar com a árvore e o presépio de há 2 anos atrás aqui!

Presépio 1

A cabana foi feita pela mãe e pelo pai :)

Presépio 6

Presépio 5

Presépio 10

Presépio 9

Presépio 8

Presepio 7

 Presépio 11

 

Contudo, é preciso cuidado! Não nos podemos deixar levar por todas estas demonstrações exteriores de preparação para o Advento - a preparação mais valiosa e importante, e também mais querida e desejada pelo Senhor, deverá ser dentro de nós, no nosso coração! 

 

Toc toc! Ouves baterem-te à porta? Quem será?

É Jesus, num corpo pequeno e frágil, que te pede com ternura para morar no teu coração! Recebe-O, não tenhas medo! Ele foi, é e será sempre a melhor prenda que o mundo alguma vez recebeu!!

 

Deixo-vos com algumas palavras do Venerável Bispo Fulton J. Sheen (que eu admiro particularmente)

"Como podemos encontrar a paz do Natal num mundo tão agitado? Nunca encontraremos essa paz exteriormente, mas podemos encontrar essa paz dentro de nós, deixando que Deus faça nas nossas almas aquilo que Maria O deixou fazer no seu corpo - ou seja, deixem que Cristo se forme dentro de vós... 

" Tal como Ele foi fisicamente formado Nela, assim Ele deseja ser também formado dentro de nós espiritualmente. Se fosse Ele que visse através dos nossos olhos, então seriamos capazes de olhar para cada homem como filho de Deus! Se fosse Ele que trabalhasse através das nossas mãos, então seriamos capazes de abençoar tudo o que nos passasse pelas mãos ao longo do dia ...."

 

Texto encontrado num dos meus blogues favoritos de sempre - The Cloistered Heart!

 

Como celebrar o Advento

Eis que estamos quase no II Domingo do Advento ... Já?? Mas para onde têm ido os dias este ano?? 

Oh bem, quanto mais ocupados andamos, mais o tempo passa a correr!...

 

Este ano não conseguirei escrever tantos posts acerca do Advento como no ano anterior, e por isso mesmo organizei este post com alguns links dos textos escritos no ano passado. Se nunca os leram ou se já não se recordam bem deles - eis a vossa oportunidade:

 

calendário natal 2.jpg

 O meu calendário do Advento (24 Nov 2014)

- Como fazer um calendário do Advento

 

Advento.jpg

A preparação do nosso coração no Advento (1 Dez 2014)

- O significado da palavra Advento e como podemos preparar o nosso coração

 

canto de oração 3.jpg

As origens dos símbolos do Advento (4 Dez 2014)

- A origem da árvore de Natal, do presépio e da coroa do Advento

 

love.jpg

Um Natal diferente (12 Dez 2014)

- Primeira reflexão sobre o meu novo Tempo do Advento

 

antifonas do o.jpg

Antífonas do Ó (16 Dez 2014)

- O que são, qual a sua origem, e como integrá-las no nosso Advento

 

Poem “If You Look for Me at Christmas”.jpg

Poema: Se procurares por Mim no Natal ... (19 Dez 2014)

- Tradução dum pequeno poema que me tocou o coração... e que tocará o vosso certamente!

 

aprendi com jesus.jpg

Um Natal Diferente II (23 Dez 2014)

- Segunda reflexão sobre o meu novo Tempo do Advento

 

vespera de natal 2.jpg

A noite antes do Natal (24 Dez 2014)

- A versão do nascimento de Jesus, segundo a Irmã St. Thomas

 

dia de natal.jpg

Tu fazes parte da família agora (24 Dez 2014)

- Meditação sobre o nascimento de Jesus, por Jurell Sison

 

Recentemente, começámos um novo ano litúrgico (ano C) e estamos quase, quase a dar inicio a um ano especialmente dedicado à Misericórdia! 

Oh mal posso esperar pelo desenrolar deste novo ano! Vou contar-vos um segredo - dentro de algumas semanas, em Fevereiro, partirei numa aventura, muito relacionada com o Ano da Misericórdia! Mais perto da data, conto-vos mais coisas 

 

Agora, e tal como no ano passado, ofereço-vos a minha prenda de Natal para todos os leitores do blogue - um Calendário Católico para 2016 que eu fiz - este ano, integralmente em português. É grátis, podem imprimir à vontade e partilhar com quem quiserem. Só vos peço que, ao fazerem o download, rezem uma Avé Maria por mim e pelo sucesso dos meus exames da faculdade, por favor. Deus vos abençoe!