Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

A actual situação cá por casa ...

Há algum tempo que penso em escrever este post, mas tenho vindo a adiar e adiar ... sempre na esperança de que a situação vai melhorar em breve ... mas na verdade, não vai.

 

O meu avô (aquele com quem nós vivemos) foi diagnosticado com doença de Alzheimer há cerca de 1 ano e meio. O diagnóstico não foi surpresa nenhuma para nós, já conhecíamos os sintomas-chave da doença e estavam todos presentes há algum tempo ... o facto dos diversos exames estarem (quase) normais vieram apenas confirmar este diagnostico (que é sempre de exclusão). Concomitantemente, suspeita-se que o avô tenha também uma demência vascular (que é mais frequente que a doença de Alzheimer) que basicamente acaba por ter os mesmos efeitos... só acelera ainda mais o processo ... 

 

Na semana antes de ir para a Missão País, o estado físico do avô agravou num ápice. Ele vinha a envelhecer bastante fisicamente ao longo do último ano, perdendo rapidamente a mobilidade e a força muscular, principalmente a nível dos membros inferiores. Nessa semana, ele praticamente deixou de conseguir andar. E estava a piorar tanto e tão depressa que, por alguns dias, pensávamos que ele poderia morrer a qualquer momento... Eu estive muito perto de não ir à Missão País - acabei por ir, mas com o coração bastante pesado e na promessa de voltar para casa ao menor sinal de qualquer contrariedade... 

 

O avô neste momento está acamado e continua a definhar a cada dia que passa... e nós perguntamo-nos se ele ainda estará connosco no próximo mês, para celebrarmos os seus 81 anos no dia 3 de Maio ... 

 

Esta situação tem sido especialmente difícil para a avó que, além de ser a principal enfermeira e empregada, de dia e de noite, tem também de ver o seu companheiro de há mais de 50 anos a perder-se e a esquecer-se de tudo e de todos ... e a situação piora a cada dia ... e tem sido tão, tão difícil, tanto física como mentalmente, para os quatro cá em casa, lidarmos com tudo ... É sempre preciso muita ajuda para tratar do avô. Dá imenso trabalho. E além disso, passámos a ter que fazer as imensas tarefas que a avó fazia diariamente... sim, tem sido muito, muito, muito difícil....

 

Porque escrevo eu isto? Também não sei ... 

Achei que estava na hora de vos contar porque, apesar de tentar que este blogue seja um local onde qualquer pessoa possa sair daqui a sentir-se melhor, mais alegre, com mais esperança e fé.... na verdade, esta é a minha vida real - confusa, difícil, imperfeita, dolorosa, cheia de frustrações e de dores de cabeça e de lágrimas e ....

O nosso mundo, tal como o conhecíamos, está a desabar. Já nada será como ontem. Aguarda-nos um futuro desconhecido e imprevisível e que nos mete tanto medo ... 

 

Se não fosse o Senhor... ai, se não fosse pelo Senhor....
Com certeza, todas as pessoas desta casa já tinham desabado ....

Ai se não fosse o Senhor a segurar-nos ... 

 

Louvado seja o Senhor! Louvado seja o Senhor, para sempre!

Só por acção da Divina Providência poderia acontecer que, num dia de especial dor e tristeza cá em casa, tenha literalmente chovido emails, cartas, telefonemas e mensagens de apoio inesperadas de todo o lado
Obrigado Senhor, oh, muito obrigado!

 

Sugestões de Leitura #1

Bem sei que na Semana Santa se privilegia o silêncio e o recolhimento interior ...

Mas se houver aí desse lado alguém como eu, que precisa sempre dum "empurrãozinho" nestas coisas, permitam-me que vos sugira a leitura de alguns textos que, na minha humilde opinião, vos irá favorecer e facilitar grandemente a reflexão e a meditação nesta que é a semana mais importante do ano:

 

 

6 metas pessoais para esta Semana Santa.jpg6 Metas pessoais para esta Semana Santa

 

"A Quaresma e a Semana Santa são caminhos de crescimento espiritual para ratificar, diante de nós mesmos e dos outros, que Deus passou pelas nossas vidas para fazer de nós pessoas melhores

E para que esta mudança seja verdadeira, o Senhor nos convida a deixar morrer em nós tudo aquilo que nos afasta Dele e dos outros."

 

 

 

Que faz Deus numa cruz.jpg

Que faz Deus numa cruz?

 

“São Paulo dirá mais tarde, que um "Deus crucificado" será motivo de escândalo para os pagãos. E não será para tantos de nós, cristãos?

«As perguntas são inevitáveis: Como é possível acreditar num Deus crucificado pelos homens? Temos consciência do que estamos a dizer? Que faz Deus numa cruz? Como pode subsistir uma religião fundada numa concepção tão absurda de Deus?»” 

 

 

Quem sou eu diante do meu Senhor.jpg

Quem sou eu diante do meu Senhor?

 

"Ouvimos a Paixão do Senhor. Será bom pormo-nos apenas uma pergunta: Quem sou eu? Quem sou eu, face ao meu Senhor?

Sou eu como Judas?

Ou sou como os discípulos, que não compreendiam o que era trair Jesus?

Sou eu como Pilatos?

Ou sou eu como Simão de Cirene que voltava do trabalho, cansado, mas teve a boa vontade de ajudar o Senhor a levar a cruz?

Quem sou eu, face a Jesus que sofre?"

 

 

DOM DAS LÁGRIMAS.jpegO Dom das Lágrimas

 

"As lágrimas têm um lugar fundamental na nossa vida.

O choro, seja pelo sofrimento, pelo desespero ou pela angústia, constitui um primeiro passo de libertação.

Chorar é dar um lugar ao sofrimento, é colocá-lo diante de nós, é dar-lhe um rosto: ele deixa de ser parte de nós, e torna-se uma realidade que enfrentamos."

 

 

 

Ultimamente

Já por inúmeras vezes que tentei voltar a escrever aqui no blogue, mas simplesmente não consigo. Os 5 minutos espalhados em vários dias não resultam em nada de jeito ....

 

Teoricamente, eu já suponha o quão difícil e trabalhoso viria a ser o 5ºano de Medicina. Mas pelos vistos eu nem sabia da ponta do icebergue....!!!

Em 3 semanas, o meu horário foi mudado 4 vezes. Mudei 2 vezes de hospital onde iria ter algumas aulas. Ontem saí de casa às 7h e voltei às 21h. Hoje estive no bloco operatório de manhã, acabámos perto das 15h, almocei e cheguei à pouco a casa. Eu ando cheia, mas caramba mesmo cheia!, de coisas para fazer, livros para estudar, aulas a que tenho mesmo de ir. A exigência está super elevada!!

 

No meio disto, tento por tudo não descuidar da minha vida católica - o tempo de oração e o Terço, a missa dominical e a confissão frequente mantêm-se. Afinal, dentro de poucos dias realizarei o meu Crisma! :)

Mas depois, a maior parte dos meus colegas continuarão na catequese de adultos. Alguns pensam tornar-se catequistas. E todos estão envolvidos em actividades da igreja....

Eu não irei conseguir fazer nada disso. Este ano não conseguirei mais manter nenhum compromisso semanal. Simplesmente não é possível. Não consigo....

 

E por causa desta situação, tenho-me sentido bastante triste e infeliz. Sinto-me fraca e incapaz. No fundo, sinto-me como uma católica de 2ºcategoria que nem encontra um tempinho para levar Jesus aos outros  .... 

 

Assim, uma das coisas que também terei que pôr de parte por agora será este blogue. Este blogue não é uma prioridade, é apenas mais um meio de evangelização. Contudo, neste próximo ano da minha vida não conseguirei mantê-lo como antes. Peço-vos desculpa, mas eu simplesmente não consigo mais .....

Os meus joelhos

20150407_090732.jpg

 

Hoje quero falar-vos dos meus joelhos. Sim, leram bem, dos meus joelhos. 

 

Os meus joelhos foram incrivelmente mal amados durante a minha adolescência. Durante anos considerei-os feios, horrendos e indignos de verem sequer a luz do dia.

 

Os meus joelhos feios e tortos. Os meus joelhos "metidos para dentro".

Os meus joelhos esfolados e cheios de marcas e cicatrizes.

 

Durante muito tempo foram a parte do meu corpo que menos gostava. Aliás, eu odiava-os profundamente!!

 

Na Semana Santa, durante uma das várias Adorações que fiz ao Santíssimo Sacramento, dei por mim a olhar para os meus joelhos (não, nesse momento não estava a meditar na Paixão de Jesus, perdoem-me!).

E de repente, um pensamento formou-se na minha mente - Como são fortes os meus joelhos!

 

Desde que voltei à Igreja que tenho vindo a reparar o quanto não me custa estar de joelhos. Vejo as outras pessoas, da minha idade ou pouco mais velhas que eu, aos ais e aos gemidos depois de estarem 5 min ajoelhados, e eu só pensava - a mim não me custa nada!

 

Nesta Páscoa vim a descobrir o quão fortes são os meus joelhos - numa das Adorações tive 3 horas de joelhos no chão - sim, 3 horas, no chão de pedra, com 3 intervalos de 5 min!

E sabem, não me custou nada! Nada mesmo!

 

Escusado será dizer que agora estou apaixonada pelos meus joelhos. Eles continuam tortos, e marcados, e cheios de cicatrizes. Mas, por alguma estranha razão anatómica, eles são capazes de aguentar longos tempos de oração. 

Talvez Deus os tenha feito assim de propósito, para que eu descobrisse um dia, e confirmasse mais uma vez a razão da minha existência - Louvar a Deus, sobre todas as coisas, e a toda a hora!

 

Agora, de cada vez que olho para os meus joelhos sorrio. Eles são perfeitos para adorarem o Senhor! 

 

Eis o que diz o Senhor que te criou, que te formou desde o seio materno e te socorreu:

nada temas, Jacob, meu servo, meu Israel, a quem Eu escolhi!

Isaías 44: 2

Amor Salvador

20150407_165238.jpg

Aqui por casa ainda estamos em festa!

 

Parece que estou em sintonia com a Olivia - não encontro palavras para vos descrever a minha semana santa e em particular o meu Tríduo Pascal. Ou devia antes dizer nosso - meu e de Jesus.

Sim, porque estes dias foram vividos em intensa e profunda união e comunhão com o nosso Príncipe Salvador. E foi incrivelmente maravilhoso, extraordinariamente belo e absolutamente estonteante!!!!!

Perdoem-me, simplesmente ainda não encontrei as palavras certas para descrever todos os acontecimentos da última semana...

                                                                     

Hoje queria relatar-vos algo que aconteceu ontem. Como já tinha dito antes, nesta quaresma uma das minhas resoluções era descobrir uma forma de ir à missa diária (ou quase diária). Consegui encontrar uma solução e consegui manter esta resolução durante toda a quaresma, o que só por si, dado o meu horário irregular e inacreditavelmente preenchido, foi algo incrível!

Agora, estou motivada em manter esta resolução! Já é algo que faz parte da rotina do meu dia, como antes tinha conseguido alcançar com o Terço.

 

Missa das 12.30h no Hospital de Santa Maria - com um senhor padre que possui um dom das palavras como não se vê todos os dias, além duma voz melodiosa!

As passagens da Bíblia falam-nos do primeiro aparecimento de Jesus após a Sua Ressurreição, à Santa Maria Madalena.

 

Mas porquê a Maria Madalena?

Com tantas, tantas pessoas diferentes que Jesus poderia ter escolhido para serem os primeiros a vê-lO ressuscitado, porquê Maria Madalena?

Porque não Maria, sua mãe tão amada? Porque não um dos apóstolos? Porque não outra pessoa qualquer? 

 

Segundo o senhor padre, Jesus escolheu Maria Madalena devido à sua vida anterior em grande pecado

Diz no Evangelho que Jesus expulsou 7 demónios de dentro de Maria Madalena. Vejam bem quantos pecados esta mulher não teria cometido ao longo da sua vida! 

 

Antes de conhecer Jesus, Maria Madalena estava morta. Jesus era o único capaz de lhe restaurar a vida, de lhe dar uma nova vida. Tal como fez.

 

Segundo o senhor padre, só alguém que soubesse o que era estar morto, só alguém que tivesse pecado muito, só alguém que tivesse sofrido muito, como Maria Madalena, poderia ser a primeira pessoa a acreditar na Ressurreição de Jesus! 

Porque, se não soubermos o quão perdidos estamos sem a salvação de Deus, não saberemos reconhecer a imensidão da vitória do Seu Filho, não saberemos reconhecer o mistério maravilhoso que é a Ressurreição, nem saberemos reconhecer o quão abençoados e amados somos!

Assim como, só alguém que saiba o nada que é sem Jesus, poderá aceitar o Seu Amor Salvador!

 

Ainda existem alturas em que eu penso em todos os pecados que cometi. E arrependo-me sempre tanto tanto tanto... Como fui capaz? Como?

Mas, de cada vez que penso nesses tempos negros e tenebrosos, nesses tempos de morte e sofrimento atroz, sinto novamente aquela alegria incontrolável e transbordante, aquela sensação de agradecimento eterno, aquela paz, aquele amor intensíssimo, que senti na primeira vez que me confessei depois de tantos anos de má vida.

 

Meu querido e amado Jesus, obrigado por Te teres sacrificado por mim. Eu jamais poderei agradecer-Te o suficiente, e jamais conseguirei recompensar-Te por isso. Assim, eu simplesmente aceito-Te e ao Teu Sacrifício de Amor, e prometo obedecer-Te, amar-Te, louvar-Te e honrar-Te sempre e em todas as circuntâncias. Amén.

A prova

la-equilibrista.jpg

Eu sinto que neste momento da minha vida estou a realizar um autêntico número de circo. Sinto como se Deus me tivesse pedido para subir sobre uma corda alta e andar sobre ela, pé ante pé, tentando atravessar o rio Tejo, duma margem para a outra, sem cair na água. E eu que tenho tantas vertigens…

Nas minhas mãos, o Senhor colocou-me uma vara na horizontal, e em cada extremidade desta 2 baldes cheios de pedras no seu interior. E disse-me “Tens de chegar ao outro lado com o mesmo número de pedras”.

A vara ajuda-me levemente a manter o equilíbrio, mas é tão pesada, e às vezes parece que me vai escorregar das mãos. Se me deixo vencer pelo cansaço e me inclino ligeiramente para um lado, arrisco-me a perder o conteúdo do balde desse lado.

Além disso, à minha volta reúnem-se umas nuvens muito escuras, o vento começa a soprar forte e uma trovoada parece estar prestes a rebentar sobre mim.

 

Para vos ser inteiramente sincera, sinto-me exactamente dentro desta imagem.

E não sei o que irá acontecer.

 

Contudo, o Deus da Eterna Misericórdia, não me abandonou nem num único milímetro desta prova. Ele sabia que eu iria precisar de (muita) ajuda para chegar até ao outro lado da margem. Para isso, Ele criou (através da família Power) o Retiro Quaresmal no passado fim-de-semana :)

 

Eu continuo e continuarei pelo menos até Julho no meio da tempestade, tentando dar diariamente mais um passo na direcção que Deus escolheu para mim. Não sei o que irá acontecer. Mas sei que nunca estarei sozinha! Porque, como descobri no retiro, ....

 

"Agora assim diz o Senhor que te criou, ó Jacob, e que te formou, ó Israel:

Não temas, porque Eu te res­gatei; chamei-te pelo teu nome, tu és Meu.

Se tiveres de atravessar as águas, estarei contigo, e os rios não te submergirão.

Se caminhares pelo fogo, não te queimarás, e as chamas não te consumirão.

Porque Eu sou o Senhor teu Deus, o Santo de Israel, o teu Salvador;

dei o Egipto por teu resgate, a Etiópia e a Seba em teu lugar.

Visto que és precioso aos Meus olhos, porque Eu te estimo e porque te amo,

assim entrego os reinos por ti, e os povos pela tua vida.
Não temas, porque Eu estou contigo!"
Isaías 43:1-5
"

 

A grande asneirada

O início do ano de 2015 podia ter sido (bem) melhor do que acabou por ser....

 

O ano começou com uma morte inesperada na família da mãe, com o falecimento da minha última tia-avó. Esta senhora passou por várias doenças terríveis ao longo dos anos, mas parecia que tinha finalmente melhorado nos últimos meses.

miserável.JPG

Quando a vimos pela última vez no verão (a família da mãe é de Lamego, ou seja, a 5 horas de viagem daqui....) tinha-nos parecido mais "rija" que nunca! Assim, apanhou-nos a todos de surpresa... Infelizmente, nenhum de nós pode estar presente no velório, eu tinha 2 exames nesse dia e a mãe não conseguiu dispensa do trabalho. Esta senhora era a última irmã do meu muito amado avô materno, que celebrou o seu primeiro aniversário da partida para a casa do Pai no passado dia 1 de Fevereiro....

 

Simultaneamente a esta situação, eu sentia-me tão assoberbada e sobrecarregada pelos exames da faculdade que, por diversos dias, deixei que as minhas prioridades (erradamente) mudassem. Coloquei a faculdade e o estudo acima de Deus e das Suas obras. Deixei de ir à catequese, depois à missa, e no fim já nem rezava sequer!

Foram dias difíceis e muito negros. Por dias voltei a olhar para o caminho mundano que durante tantos meses me andava a esforçar por deixar de todo para trás. Deixei que o mundo me tentasse e não lhe coloquei nenhuma resistência. Foram dias muito tristes...

 

Como eu me sentia naqueles primeiros dias de Janeiro - seca, miserável e destruída (foto minha)

 

Num desses dias, recebo inesperadamente um email duma queridíssima família de Caná, a família da Olivia! Um simples email, desejando força e fé nos exames …. oh, eu desatei num autêntico pranto!!!

Que pessoa mais imerecida era eu para eles se lembrarem de mim! Que pessoa mais pecadora, hipócrita e egoísta! Tanta bondade, tanto carinho, tanta caridade, tanto amor era completamente imerecido da minha parte!!

 

Depois pensei, “Mas será que o Senhor me aceita de volta?....”

 

Lá eu comecei o meu caminho de volta para a casa do Senhor, de gatas e a rastejar, imunda e ferida, bem devagarinho pelo peso do meu pecado …

 

Dois dias depois, recebo OUTRO email de outra família de Caná, a família Power!!! OUTRO email simples para desejar concentração e esperança nos exames…. e adivinhem só …. desatei novamente num pranto!!!

Eu não mereço nada disto! Senhor, por favor, dê isto a outra pessoa, porque eu não o mereço nem um bocadinho!! Tem a certeza que me aceita de volta?”

 

É simplesmente incrível como, ainda no meio das nossas (minha neste caso) grandes asneiradas, o Senhor nos ama e como Ele nos ama! É indiscritível, é inacreditável, é inimaginável! É impossível! Como?? Como??Como pode um amor ser assim TÃO grande? Como pode existir um amor ilimitado, incondicional, INFINITO?Como é possível que o Senhor Se tenha lembrado no mim, como se fosse a Sua única filha, e Se tenha dado ao trabalho de mo dizer tão explicitamente?!

 

Perdão, oh perdão meu bom Deus!

perdão.jpg

Muito semelhante ao meu estado naqueles dias - Imagem retirada do Pinterest.

 

Como se isto não fosse suficiente, Deus decidiu enviar-me um TERCEIRO email. Desta vez, contudo, não duma família de Caná, mas duma colega de profissão! Imaginem! Uma colega estudante de Medicina em Coimbra enviou-me um (maravilhoso) email a agradecer a iniciativa do meu blog, felicíssima, dizia ela, por ter encontrado outra futura médica católica!

(E é com alegria que partilho com vocês que desse email inicial resultou numa série de trocas de emails, ideias, milagres e desabafos, como eu há muito não tinha!! :) )

 

Acreditem, nesta altura eu só chorava e já não dizia nada. Se calhar lá balbuciei “PRONTO, eu rendo-me!!!!”  

 

Tenho um grande agradecimento a fazer às famílias de Caná, por permitirem que o Senhor vos use diariamente como Seus instrumentos, para realizar as Suas obras e os Seus desejos. Que humildade vossa! Que generosidade! Abençoados sejam, para sempre!!

 

Dias depois um autêntico milagre acontece! Conto-vos acerca dele amanhã ;)

 

"Bendiz, ó minha alma, o Senhor!

Senhor, meu Deus, Vós sois imensamente grande! Ao Senhor, glória eterna!

Enquanto viver, cantarei à glória do Senhor, cantarei ao meu Deus enquanto existir.

Possam as minhas palavras Lhe serem agradáveis! A minha única alegria encontra-se no Senhor.

Bendiz, ó minha alma, o Senhor! Aleluia!"

Salmo 103

A Fuga à Dor e ao Sofrimento

Em Medicina, um dos sintomas cardinais, ou seja, mais importantes, é a dor. É, aliás, o primeiro sintoma que aprendemos a caracterizar, a esmiuçar, a procurar e a desenvolver. A intensidade dessa dor permite-nos logo excluir e diagnosticar várias patologias, que de seguida devemos explorar melhor.

 

Este ano, no meu primeiro ano clínico (com contacto directo e diário com doentes), tenho aulas com médicos mais velhos, que se formaram numa altura em que quase não existia qualquer método auxiliar de diagnóstico. Os diagnósticos eram assim feitos baseando-se só nos sintomas que o doente nos dava e nos sinais que encontrávamos ao realizar o exame objectivo. 

 

Um dia destes, o meu tutor falou-nos da dificuldade que existe hoje em dia na avaliação da dor. Isto porque, hoje, quando uma pessoa tem a mais pequena dor, vai logo tomar um analgésico. Ou dois. Ou três. Ou mais.

Hoje é raro um doente vir à urgência por dor e não ter tomado antes em casa vários analgésicos. Assim, ao perguntarmos o nível da sua dor, a resposta já não será verdadeira. E é assim que muitas doenças graves não são logo identificadas. 

 

Outra coisa que se verifica também é o aumento generalizado dos níveis de dor dos pacientes. Explicando-vos melhor: em medicina usa-se diversas escalas para quantificar a dor dos doentes. A mais usada, considera como zero (0) ausência de dor e como dez (10) a pior dor que o doente alguma vez sentiu.

O que se tem verificado é que hoje a maioria dos doentes refere tudo como tendo uma intensidade de 10/10. Eu acredito que eles estejam a falar a verdade e que aquela seja mesmo a pior dor que alguma vez sentiram. Mas a verdade está adulterada, pelo facto de hoje em dia já ninguém suportar os níveis de dor, que até há pouco tempo seriam perfeitamente aceitáveis. Estão a perceber?

 

I am here.jpg

Imagem retirada do Pinterest

 

Eu penso que esta fuga, às vezes desenfreada, à dor se reflecte também noutras áreas da vida das pessoas.

Parece-me que hoje todos tentamos fugir de tudo o que nos magoe de alguma forma.

Fugimos das situações que não gostamos e onde nos sentimos desconfortáveis. Fugimos dos nossos sentimentos e impedimo-nos de sentir o que for pelo próximo. Fugimos de conversas, com medo da discussão. Fugimos do outro, com medo da sua opinião e do que possa achar de nós. Fugimos das relações, porque no passado algo correu mal e é provável que nos magoemos no futuro. Fugimos da dor física, da dor psicológica e da dor espiritual. Fugimos. Fugimos. Fugimos

 

E assim, desistimos de lutar, porque achamos que não vale a pena. Desistimos de lutar pelos nossos princípios, valores e tradições, porque já ninguém o faz. Desistimos de lutar por o que está certo, porque isso daria imenso trabalho. Desistimos de lutar pela vida, porque a morte é tão mais fácil. Desistimos de lutar pela nossa família, porque o mundo diz que o melhor são os amigos. Desistimos de lutar pelas relações, por medo do exemplos alheios. Desistimos de amar, de viver pelos outros, de ser felizes. Desistimos e baixamos os braços.

 

Desistimos, pensando que é o mais fácil e que nos iremos sentir melhor. Mas na verdade ainda nos sentimos pior. Desistimos. E partimos para outra. Porque é isso que o nosso mundo hoje nos diz para fazer.

 

Temos tanto medo da dor. E por isso fugimos dela em todas as circunstâncias da nossa vida.

 

Uma particularidade que encontro nas vidas de todos os santos é a quantidade de dor. Reparem que todos os santos sentiram dor. A dor fisica nos martírios, a dor psicológica nas perseguições e a dor espiritual pelo sofrimento existente no mundo. Os santos compreenderam que tinham de a aceitar, para a poderem combater de frente. Todos tiveram duvidas, todos tiveram medo. Mas escolheram confiar em Deus e nas Suas promessas.

 

andar sobre a água.jpg

Imagem retirada do Pinterest

 

Uma vez li que a frase "Não tenhas medo" está escrita exactamente 365 vezes na Bíblia. Reparem, 365 vezes. TODOS os dias do ano Deus relembra-nos para não termos medo. Ele prometeu que estaria sempre connosco até ao fim dos tempos. 

 

"Enquanto viveres, ninguém te poderá resistir;

estarei contigo como estive com Moisés;

não te deixarei nem te abandonarei.

Isto é uma ordem: sê firme e corajoso.

Não te atemorizes, não tenhas medo,

porque o Senhor está contigo em qualquer parte para onde fores."

Josué 1:5,9

 

O caminho da santificação é doloroso. Se queremos ser santos, como tantos antes de nós, temos de estar dispostos a sofrer. Jesus não nos prometeu que viria para retirar as nossas dores. Aliás Jesus disse-nos para cada um pegar na sua cruz e segui-Lo.

 

"Jesus disse aos seus discípulos: Se alguém quiser vir Comigo,

renuncie-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me.

Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á;

mas aquele que tiver sacrificado a sua vida por Minha causa, encontrá-la-á."

Mateus 16:24,25

 

Mas não desanimem. Não fujam, como o resto do mundo. Deus, na sua misericórdia, dar-nos-á a recompensa divina. Não procuremos substitutos dela aqui na terra. Busquemos sim a recompensa eterna e celeste.

Tenham fé e acreditem nas promessas de Deus como Maria.

 

"Então disse Maria: «Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a Tua palavra»."

Lucas 1:38

 

"«Bem-aventurada é aquela que acreditou que o Senhor cumprirá tudo quanto lhe foi revelado!»"

Lucas 1:45