Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Pó da terra

Lembra-te que és pó e ao pó hás-de voltar 

É assim que começa cada Quaresma ... 

Lembra-te que tu, por ti mesmo, és apenas pó da terra e nada mais que isso. Lembra-te que tu, por ti mesmo, és apenas pó, frágil e minúsculo, susceptível a seres simplesmente levado com o vento. Lembra-te que és pó e que foi o Senhor que te deu a vida, como fez a Adão, usando o pó da terra transformado em barro, para formar e moldar o teu corpo, e finalmente dar-te a vida ao insuflar dentro de ti o Seu sopro, o Seu Espírito ...

 

Mistérios dolorosos, Jesus em agonia no Getsémani

Levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Disse-lhes, então: «A minha alma está numa tristeza de morte; ficai aqui e vigiai comigo.» E, adiantando-se um pouco mais, caiu com a face por terra, orando e dizendo: «Meu Pai, se é possível, afaste-se de mim este cálice. No entanto, não seja como Eu quero, mas como Tu queres.»

Mateus 26,37-39

Por três vezes, contam-nos os Evangelhos, Jesus reza intensamente, caindo com o rosto por terra ... Terra, pó da terra, tu e eu ... No Getsémani, Jesus recebe-nos a cada um de nós, voluntariamente, ao acolher na Sua face o pó da terra... Ele toma sobre Si e sobre o Seu rosto, os nossos pecados e as nossas enfermidades, nesta noite escura de oração - Que seja feita a Tua vontade, Pai ...

po da terra.jpg

Imagem retirada daqui

 

Mais tarde, ao rezarmos a Via Sacra, somos chamados a, voluntariamente, acompanhar, acolher e receber Jesus, a caminho do Calvário, no caminho do verdadeiro amor.... Também aí, por três vezes nos é dito que Jesus cai com o rosto por terra, sob o peso da cruz ... Também aí Jesus rebaixa-se até ao chão, até à nossa altura, tomando novamente sobre a Sua face o pó da terra, tu e eu ... Também aí, Jesus volta a receber-nos e a acolher-nos, fracos e frágeis como somos, mero pó da terra, que qualquer vento pode levar ... 

Com este gesto, tão simples e profundo, Ele leva-nos Consigo e permite-nos caminhar junto d'Ele, bem coladinhos à sua Santa face, misturados com o sangue, suor e lágrimas do Seu rosto, que nos darão, momentos depois, a possibilidade de entrarmos no Céu, a possibilidade da Vida Eterna ... Pó da terra misturado com sangue, suor e lágrimas ... agora sim, estamos preparados para uma nova Vida, uma nova Criação, que começa graças ao amor de Cristo Jesus ...

Lembra-te que és pó e ao pó hás-de voltar ...

Amén

Com Jesus em Cafarnaúm

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

Tendo ouvido dizer que João fora preso, Jesus retirou-se para a Galileia. Depois, abandonando Nazaré, foi habitar em Cafarnaúm, cidade situada à beira-mar.

Mt 4,12-13

Cafarnaum 1.jpg

Estamos em Cafarnaúm, a cidade no Norte da Galileia onde Jesus passou a maior parte dos seus três anos de pregação pública e realizou alguns dos Seus milagres mais conhecidos. 

Foi aqui, nesta cidade, que o evangelista S. Mateus, o antigo cobrador de impostos e o autor desta 1ª passagem do Novo Testamento referente a esta cidade, ouviu o chamamento de Jesus, como ele próprio nos relata:

Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado no posto de cobrança, e disse-lhe: «Segue-Me!» E ele levantou-se e seguiu-O

Mt 9,9

Quanta simplicidade ... Imagino Mateus, sentado no seu posto de cobrança, a contar as moedas que deveria entregar aos romanos naquela semana. É bem provável que algumas destas moedas caíssem, assim por acaso, para dentro do seu colo, das suas vestes, dos seus bolsos, uma e outra vez ...

Ah, tal não deverá ter sido a sua cara de vergonha, quando se apercebeu da presença duma sombra sobre a sua mesa e, levantando os olhos, encontrou os de Jesus. Nunca ninguém o tinha olhado assim, com tanto amor e misericórdia, apesar do seu pecado evidente...

Imagino a transformação que ocorreu na alma de Mateus, o arrependimento sobrepondo-se à culpa e à vergonha; o acreditar em ser possível começar de novo, em deixar a sua velha e triste vida para trás, tão cheia de ganância e egoísmo; e a confiança numa nova vida, purificada e generosa, a desabrochar no seu coração, após aquele olhar tão cheio de amor e misericórdia de Jesus ... 

Segue-Me, diz-lhe o Senhor ... Como Lhe poderia dizer que não? 

E assim, seguro do amor de Deus, Mateus pôs-se de pé, abandonou para sempre o seu passado e caminhou atrás de Jesus ... 

 

Cafarnaum 8.jpg

Foi aqui, nesta cidade, talvez quem sabe numa destas ruas entre as ruínas das casas que os meus olhos veem e que a minha imaginação reconstrói de novo à vida, que Jesus curou o servo do Centurião romano que humildemente pediu o Seu auxílio, como também S. Mateus nos conta:

Entrando em Cafarnaúm, aproximou-se [de Jesus] um centurião, suplicando nestes termos: «Senhor, o meu servo jaz em casa paralítico, sofrendo horrivelmente.» Disse-lhe Jesus: «Eu irei curá-lo.» 

Respondeu-Lhe o centurião: «Senhor, eu não sou digno de que entres debaixo do meu tecto; mas diz uma só palavra e o meu servo será curado. Porque eu, que não passo de um subordinado, tenho soldados às minhas ordens e digo a um: ‘Vai’, e ele vai; a outro: ‘Vem’, e ele vem; e ao meu servo: ‘Faz isto’, e ele faz.»

Jesus, ao ouvi-lo, admirou-Se e disse aos que o seguiam: «Em verdade vos digo: Não encontrei ninguém em Israel com tão grande fé!» 

Disse, então, Jesus ao centurião: «Vai, que tudo se faça conforme a tua fé.» Naquela mesma hora, o servo ficou curado.

Mt 8,5-10.13

Lembrai-me-ei eu, sempre, de toda esta história, quando repito as mesmas palavras que o Centurião - Senhor, eu não sou digna de que entreis em minha morada, mas dizei uma só palavra e eu serei salva! - durante a Santa Missa? 

Porque é realmente verdade - todos os Santos nos afirmam e confirmam - se tivermos verdadeiramente Fé, se acreditarmos firmemente que a Palavra de Deus, que nos é lida e proclamada e partilhada em cada Eucaristia, é capaz de nos vivificar e purificar, também nós seremos salvos, uma e outra vez, vezes e vezes sem conta ... 

 

Cafarnaum 7.jpg

Foi aqui, nesta cidade, talvez nesta mesma sinagoga (a 2ª maior sinagoga dos primeiros séculos alguma vez encontrada até hoje!), que Jesus realizou outro dos Seus grandes milagres, a cura dum homem possesso por um espírito maligno - ali mesmo, em plena sinagoga, à vista de todos, em pleno Sábado.

[Jesus e os Seus discípulos] entraram em Cafarnaúm. Chegado o Sábado, [Jesus] veio à sinagoga e começou a ensinar. E maravilhavam-se com o Seu ensinamento, pois os ensinava como quem tem autoridade e não como os doutores da Lei.

Na sinagoga encontrava-se um homem com um espírito maligno, que começou a gritar: «Que tens a ver connosco, Jesus de Nazaré? Vieste para nos arruinar? Sei quem Tu és: o Santo de Deus.»

Jesus repreendeu-o, dizendo: «Cala-te e sai desse homem.» Então, o espírito maligno, depois de o sacudir com força, saiu dele dando um grande grito. 

Tão assombrados ficaram que perguntavam uns aos outros: «Que é isto? Eis um novo ensinamento, e feito com tal autoridade que até manda aos espíritos malignos e eles obedecem-lhe!» E a sua fama logo se espalhou por toda a parte, em toda a região da Galileia.

Mc 1, 21-28

As palavras «que entreis em minha morada» continuam a ressoar no meu coração, ao ouvir outro peregrino ler esta passagem nas ruínas desta antiga sinagoga. Parece-me que quase que oiço Jesus dizer claramente àquele demónio: «Sai imediatamente da Minha morada! A alma, o corpo e o coração desse homem são a morada que Eu mais desejo, aquela que o Meu Pai preparou para Mim! Sai! Deixa-o! Ele pertence-Me!»

Realmente, um pouco mais tarde, Jesus dir-nos-á de forma bastante clara:

«Se alguém Me ama, guardará a Minha palavra e o Meu Pai o amará, e Nós viremos a ele e nele faremos a Nossa morada»                                                                     Jo 14,23

Vem, Senhor, vem!

Expulsa de dentro de mim tudo o que esteja impuro e maligno, com a força da Tua Palavra! 

Vem, Senhor, vem e faz de mim Tua morada ... 

Amén

 

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

No barco com São Pedro

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

 

Continuamos a nossa visita pela recém descoberta cidade de Magdala... e continuamos a seguir, quase linha por linha, os relatos dos Evangelhos. Tanto São Mateus, como São Marcos e São João nos contam que, logo após ter alimentado a multidão de 5000 famílias, perto da praia de Tagba, mostrando, uma vez mais, o quanto a matemática de Deus é diferente da nossa, Jesus realizou outro grande milagre, igualmente cheio de simbolismo e tão, tão cheio de ensinamentos profundos para a nossa vida ... 

Depois, Jesus obrigou os discípulos a embarcar e a ir adiante para a outra margem, enquanto Ele despedia as multidões. Logo que as despediu, subiu a um monte para orar na solidão. E, chegada a noite, estava ali

Mt 14, 22-23

Bolas, Jesus! - parece que oiço o apóstolo Pedro a refilar (ou serei eu própria?) 

Fazes um milagre absolutamente incrível, alimentas mais de 5.000 homens a partir de 5 pãezinhos de cevada e 2 peixes ... e em vez de ficares connosco e de nos explicares o simbolismo deste Teu acto, mandas-nos para o outro lado da margem do Mar das Tiberíades....

Fogo Jesus, aquilo que eu mais queria era ficar, agorinha mesmo, bem aqui, perto de Ti - e Tu pedes-me para seguir caminho, para avançar e ir para a outra margem ... Não era bem isso que eu tinha em mente, sabes? Era mais uma noite descansada, connosco sentados na praia à Tua volta, a ouvir-Te falar a cada um dos nossos corações ... Jesus, tem mesmo de ser?

 

Sim, Pedro, tem. Sim, Marisa, tem. 

Jesus estava bastante magoado, tinha acabado de receber a notícia da morte de João Baptista. Mal teve tempo de chorar a sua morte e de sentir a sua falta ... e logo uma grande multidão O tinha procurado, implorando pela Sua ajuda. Jesus esquece-se de Si mesmo e da Sua dor, e ensina-nos que é ao doarmo-nos aos outros que, por vezes, acabamos por curar as nossas próprias feridas....

O dia estava já no fim e Jesus estava tão cansado - não apenas aquele cansaço do corpo, depois dum dia longo de trabalho; mas aquele cansaço da alma, que só Deus pode aliviar. E Jesus dá-nos o exemplo do que devemos, sempre, fazer - encontrarmos um momento para estarmos a sós com Deus e falar-Lhe de coração aberto, agradecendo as Suas incontáveis bênçãos e graças, e pedindo o auxílio e a perseverança para levar a bom porto aquilo que Ele nos pede para fazer a seguir....

 

magdala 11.jpg

Igreja na cidade de Magdala - sim, o altar tem mesmo o feitio dum barco! Não é absolutamente lindíssimo?

 

A custo, lá vencemos a nossa vontade e cumprimos a Tua ordem, Jesus. Pomo-nos no barco e avançamos mar adentro. Pode ser que a noite seja calma ... 

O barco encontrava-se já a várias centenas de metros da terra, açoitado pelas ondas, pois o vento era contrário.

Mt 14, 24

A sério, Jesus? Estamos a cumprir aquilo que Tu nos disseste para fazer - não é suposto dar sempre tudo certo? Donde vem este vento contrário? Porquê esta tempestade, porquê esta dificuldade tão grande? Tem mesmo de ser assim tão difícil e custoso?

 

Na verdade, este vento de que nos fala os Evangelhos tanto pode representar as dificuldades que encontramos sempre que tentamos fazer a vontade do Senhor e as Suas obras; como pode, também, representar a força dos nossos próprios medos e dúvidas ... Ouvimos as palavras de Deus no nosso coração, confiamos em Jesus, arregaçamos as mangas e atiramo-nos às tarefas que nos são pedidas - em casa, no trabalho, na escola, na paróquia, na rua - mas, quando damos por isso, os problemas e as dificuldades parecem abanar o nosso barco por todos os lados, os nossos medos e dúvidas paralisam-nos e, quase sem darmos conta, permitimos que a água comece a entrar para dentro do nosso barco e comece a afundar-nos ...

 

Senhor, Senhor, onde estás Tu? Porque nos abandonaste?

De madrugada, Jesus foi ter com eles, caminhando sobre o mar. 

Ao verem-n'O caminhar sobre o mar, os discípulos assustaram-se e disseram: «É um fantasma!» E gritaram com medo. 

No mesmo instante, Jesus falou-lhes, dizendo: «Tranquilizai-vos! Sou Eu! Não temais!» 

Mt 14, 25-27

magdala 12.jpg

 

É verdade Jesus ... como pude eu esquecer-me? Tempestade nenhuma, por mais terrível ou assustadora que pareça, Te poderá afastar de mim ... Por mais poderosas que pareçam as águas do mar, Tu consegues, sempre, abrir um caminho até mim. Tu vens, sempre, até mim. Tu vens, sempre, socorrer-me. Por mais que eu me tenha afastado da margem segura. Por mais afastado que eu  esteja de Ti... Tu vens, Jesus, até junto de mim - sempre.

É verdade, Senhor, eu nem sempre reconheço os Teus passos. Eu nem sempre consigo perceber que és Tu que estás a vir na minha direção, em meu auxílio, quando me encontro em plena noite escura da minha alma ...

Mas, ainda assim, Tu vens até mim - sempre. 

Pedro respondeu-lhe: «Se és Tu, Senhor, manda-me ir ter conTigo sobre as águas.» 

«Vem» - disse-lhe Jesus.

Mt 14, 28

Sim, ver o amor que Jesus nos tem, capaz de enfrentar qualquer vento contrário, qualquer noite escura, faz-nos ganhar coragem. Faz-nos aumentar a nossa Fé. Faz-nos acreditar que, sim, conseguimos.

E Jesus convida-nos a irmos ao Seu encontro. Vem, não tenhas medo, vem! Pode parecer impossível, Eu sei, mas acredita, a Minha graça será suficiente. A Minha graça é, realmente, tudo o que tu precisas ...

Se acreditares nas Minhas palavras, então verás o poder do Meu amor; então verás todas as coisas impossíveis que o Meu amor será capaz de fazer na tua vida ...

Vem, até Mim, e Eu guiar-te-ei, Eu cuidarei de ti, Eu suportar-te-ei, Eu serei a tua força ... 

E Pedro, descendo do barco, caminhou sobre as águas para ir ter com Jesus. 

Mt 14, 29

Tu chamas-me, Senhor? Então eu vou!

Agarro-me à proa do barco. Ponho uma perna de fora e depois a outra. Os meus companheiros olham para mim e pensam que estou louco. O vento não pára de soprar. O mar não pára quieto. É tudo tão instável e inseguro...

Mas eu olho para Ti, Jesus, olho bem nos Teus olhos, e recebo, de Ti, a coragem que necessito. Abandono todos os meus medos e inseguranças, e confio - em Ti e nas Tuas promessas.

Confiante no Teu eterno amor, sou capaz de largar tudo o que eu achava que possuía e controlava... Sim, a Tua graça será suficiente!

magdala 8.jpg

Igreja em Magdala

Mas, sentindo a violência do vento, [Pedro] teve medo e, começando a ir ao fundo, gritou: «Salva-me, Senhor!» 

Imediatamente Jesus estendeu-lhe a mão, segurou-o e disse-lhe: «Homem de pouca fé, porque duvidaste?» 

E, quando entraram no barco, o vento amainou. Os que se encontravam no barco prostraram-se diante de Jesus, dizendo: «Tu és, realmente, o Filho de Deus!»

Mt 14, 30-33

Ah, maldito vento! 

O vento parece ser tão forte e eu tão fraco. Esta noite escura, interminável, parece tão aterradora e eu apercebo-me que tenho tanto medo. As águas das dúvidas e dos medos, dos problemas e das dificuldades, querem-me engolir .... oh, que me poderá acontecer? 

 

Mas agora eu sei o que devo fazer. E, com toda a confiança, clamo por Ti - Jesus!

Com alta voz chamo por Ti - Vem Senhor Jesus! Vem e salva-me! Só Tu o podes fazer! Só Tu!

 

E Tu, sem qualquer demora, estendes a Tua forte mão para me ajudar. Tu desces até mim, até às profundezas onde me encontro, e elevas-me à Tua altura. Com todo o Teu poder, libertas-me das águas opressoras. 

E, nos Teus braços, descubro que a tempestade acalmou ... Oh, Tu que és, realmente, o Filho de Deus!

Nada te perturbe, minha querida e frágil alma, pois a Deus, nada é impossível....

 

E tu? O que te impede de segurares na mão que Ele te estende?

 

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

A matemática de Deus

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

 

Passámos uma bela manhã nesta lindíssima praia em Tagba. Está na altura de seguirmos caminho - há ainda tantas maravilhas à nossa espera na Terra Santa! - mas temos ainda tempo para ouvir o relato dum último (grande!) milagre de Jesus, que terá ocorrido não muito longe desta praia tão especial  ... 

Jesus foi para a outra margem do lago da Galileia, ou de Tiberíades. Seguia-o uma grande multidão, porque presenciavam os sinais miraculosos que realizava em favor dos doentes. Jesus subiu ao monte e sentou-se ali com os seus discípulos.

Estava a aproximar-se a Páscoa, a festa dos judeus. Erguendo o olhar e reparando que uma grande multidão viera ter com Ele, Jesus disse então a Filipe: «Onde havemos de comprar pão para esta gente comer?» Dizia isto para o pôr à prova, pois Ele bem sabia o que ia fazer.

Filipe respondeu-lhe: «Duzentos denários de pão não chegam para cada um comer um bocadinho.» 

Disse-lhe um dos seus discípulos, André, irmão de Simão Pedro: «Há aqui um rapazito que tem cinco pães de cevada e dois peixes. Mas que é isso para tanta gente?» 

Jesus disse: «Fazei sentar as pessoas.»

Ora, havia muita erva no local. Os homens sentaram-se, pois, em número de uns cinco mil. Então, Jesus tomou os pães e, tendo dado graças, distribuiu-os pelos que estavam sentados, tal como os peixes, e eles comeram quanto quiseram

Quando se saciaram, disse aos seus discípulos: «Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca». Recolheram-nos, então, e encheram doze cestos de pedaços dos cinco pães de cevada que sobejaram aos que tinham estado a comer.

Aquela gente, ao ver o sinal milagroso que Jesus tinha feito, dizia: «Este é realmente o Profeta que devia vir ao mundo!» 

                                                                                                                                     Jo 6, 1-14

multiplicação 1.jpg

Praia em Tagba, junto da Mensa Christi e do Primado de Pedro

 

Ah, a matemática de Deus ... que é tão diferente da nossa!

Na escola, facilmente aprendemos a não gostar muito das contas de subtração ou de divisão - afinal, ficamos quase sempre com menos no final da conta do que quando começámos!  Depois crescemos e, ao longo da nossa vida, também o mundo nos tenta ensinar isso mesmo ... Quantas vezes ouvimos - "Estás a dar demais! Não dês tanto ou não haverá para ti também..." ou "Dividir o que é meu contigo? Assim fico eu a perder e isso não pode ser... "

Mas Jesus veio ensinar-nos que, nas contas de Deus, quem se subtrair aqui na terra, pelo contrário, no final da equação somará bênçãos e graças infinitas no Céu! Quem dividir com os irmãos tudo o que tem, quem der e der e der - até doer - receberá mil por cada cem!

Tomando a palavra, Pedro disse-lhe: «Nós deixámos tudo e seguimos-te. Qual será a nossa recompensa?» 

Jesus respondeu-lhes: «Todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou campos por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá por herança a vida eterna.»

Mt 19,27.29

Neste mundo, quanto mais damos, com menos (aparentemente) ficamos. Mas, nas contas de Deus, quanto mais damos ao outro, nosso irmão - amado, ou talvez não - mais tesouros estaremos a acumular no Céu. Dizem-nos os Santos que, para o Céu, levaremos apenas connosco, não nada daquilo que tivermos acumulado nesta terra, mas sim tudo o que tivermos oferecido, abdicado e sacrificado ao longo da nossa vida - por amor ao outro, por amor a Deus....

 

Oh, tantas e tantas vezes que Jesus nos diz nos Evangelhos: aquele que muito junta, acabará por ficar sem nada e de mãos vazias; mas aquele que divide o que tem, receberá ainda mais. Porque não O ouvimos nós?

Sim, quem desejar salvar a sua vida, perdê-la-á. Mas quem a oferecer, em sacrifício, por amor, salva-la-á e entrará no Reino dos Céus.

 

Pelas contas de Deus, vale a pena largar as noventa e nove ovelhas que estão seguras, para ir atrás daquela única que se perdeu. Dizem-nos também os Santos nossos amigos que, por cada pecador que se converte, por cada alma que é salva - quem sabe, talvez por ação da oração de alguém que vive do outro lado do planeta! - há uma festa no Céu maior do que qualquer Casamento Real aqui da terra...

Grao-de-mostarda-in-tile.jpg

Imagem retirada daqui

Pensem no pequenino grão de mostarda - tu e eu, querido leitor - que, quando lançado à terra, se não morrer para si próprio, não poderá gerar vida e dar origem a uma árvore de tal porte magnífico que consegue acolher, debaixo dos seus ramos e folhas, outras criaturas que em si procuram abrigo...

 

À nossa volta, no mundo, vemos tanto desperdício ao todo o lado - plástico, cartão, embalagens, mobílias fora de moda, brinquedos que já não são novidade, e comida, oh tanta comida...

Mas nas contas do Senhor? Nem uma única lágrima nossa se perde! Nem um único suspiro ou prece passa despercebida! Nem um pequeno ou invisível acto ou renúncia deixa de ter o seu efeito - eterno!

 

Achas que tens pouco para oferecer ao Senhor e aos irmãos? Parece-te que tens apenas cinco pães de cevada e dois peixinhos... e pedem-te que alimentes cinco mil homens, mais as suas mulheres e filhos?....

Parece loucura, eu sei.... Sim, segundo aquilo que o mundo nos diz, é impossível...

Mas, o teu pouco, colocado nas mãos do Senhor? Abençoado pela Sua tremenda graça? Oh, a todos, sem faltar nenhum, conseguirás alimentar, nutrir e fortalecer - e ainda sobrará, abundantemente, o suficiente para ti e toda a tua família!

 

Oh, a maravilha da matemática de Deus!

 

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

O vento novo da Galileia

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

 

Sabem qual é uma das coisas que mais me lembro da Galileia? Do vento! Sim, do vento!

Missa Campal 4.jpg

Desde criança que eu sempre gostei muito de vento, mas o vento da Galileia parecia ser ainda mais especial ... 

Ah, só de me lembrar do vento da Galileia ....

Um vento que nos chamava a rir, ao brincar com o nosso cabelo e as nossas roupas; um vento que nos chamava a dançar, como se fosse uma criança a puxar por nós; um vento que nos refrescava o corpo cansado da viagem; um vento que nos sussurrava ao ouvido acerca do tremendo amor e misericórdia de Deus; um vento que surgia de repente, aparentemente do nada, e que "bagunçava" a nossa vida, tirando-nos do nosso conforto e comodismo, à semelhança do Espírito Santo; um vento que nos impelia a avançar, sempre, em frente ...

 

Também nós avançamos na nossa viagem, até uma linda capela ao ar livre, que parecia esperar por nós, escondida entre as árvores, as flores e as plantas - como se sempre estivesse estado ali desde o tempo de Jesus, como se aquele sempre tivesse sido o seu devido lugar ...

Missa Campal 1.jpg

Foto tirada por outro peregrino na nossa viagem - obrigado pela partilha!

 

Pela graça de Deus, temos oportunidade de celebrar a Santa Missa neste preciso local - a nossa primeira Eucaristia celebrada na Terra Santa, depois de termos celebrado uma no Egipto e outra na Jordânia. Estamos a 9 de Agosto de 2019 e eu não posso deixar de sorrir e sorrir e sorrir quando me apercebo que a primeira leitura do dia é uma das minhas leituras favoritas e mais queridas do meu coração ... 

 

É assim que a vou seduzir:

ao deserto a conduzirei, para lhe falar ao coração.

Dar-lhe-ei então as suas vinhas

e o Vale de Acor será como porta de esperança.

Aí, ela responderá como no tempo da sua juventude,

como nos dias em que subiu da terra do Egipto.

Naquele dia – oráculo do Senhor –

ela me chamará: «Meu marido»

e nunca mais: «Meu Baal.»

Tirarei da sua boca os nomes de Baal,

de modo que tais nomes não voltem a ser recordados.

Farei em favor dela, naquele dia,

uma aliança com os animais selvagens,

com as aves do céu e com os répteis da terra;

farei desaparecer da terra o arco, a espada e a guerra,

e farei com que eles repousem em segurança.

Então, te desposarei para sempre;

desposar-te-ei conforme a justiça e o direito,

com amor e misericórdia.

Desposar-te-ei com fidelidade,

e tu conhecerás o Senhor.

                                      Oseias 2,16-22

Missa campal 5.jpg

Foto tirada por outro peregrino na nossa viagem - obrigado pela partilha!

 

Não consigo ler esta passagem sem me recordar sempre da belíssima música que a Danielle Rose compôs, cantou e tocou - como já tinha partilhado convosco no início deste ano. Esta foi uma das músicas que mais me acompanhou durante os primeiros 6 meses deste ano de 2019, uma altura da minha vida que, devido a uma grande conjugação de factores, se veio a revelar tão espiritualmente difícil para mim ... 

 

Ao trazer estas memórias de volta ao coração e ao reflectir naquilo que vivi e experienciei naquela bela manhã de Missa campal, consigo finalmente compreender uma última coisa que o Senhor desejava dizer-me, através daquele vento especial da Galileia ... É que aquele vento, novo e rejuvenescedor, era também um vento de mudança, de muitas mudanças, que se sucederiam, umas a seguir às outras, mal eu chegasse de volta a Portugal, cada uma mais bela e maravilhosa que a anterior ... 

 

Oh, louvado sejas, Senhor meu, para todo o sempre!

Missa Campal 2.jpg

Foto tirada por outro peregrino na nossa viagem - obrigado pela partilha!

 

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

No Monte das Bem-Aventuranças

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

[Jesus] começou a percorrer toda a Galileia, ensinando nas sinagogas, proclamando o Evangelho do Reino e curando entre o povo todas as doenças e enfermidades.

E seguiram-no grandes multidões, vindas da Galileia, da Decápole, de Jerusalém, da Judeia e de além do Jordão.

Ao ver a multidão, Jesus subiu a um monte.

Mt 4, 23.25; 5,1

nazaré 9.jpg

 

Estamos junto do Mar da Galileia e a nossa primeira paragem do dia é bem no topo do Monte das Bem-aventuranças em Tagba. E eu, oh, sinto-me no paraíso ... a beleza deste local é de tal grandeza que até parece que perco o fôlego! (o que fez com que quase me esquecesse de tirar fotos, perdoem-me ...)

À nossa volta, a natureza parece que permanece intocada e preservada, tal como seria no tempo de Jesus. Como é belo, Senhor, o local que Tu escolheste para anunciar um dos Teus ensinamentos mais importantes e revolucionários ...

Ao ver a multidão, Jesus subiu a um monte.

Depois de Se ter sentado, os discípulos aproximaram-se Dele. Então tomou a palavra e começou a ensiná-los, dizendo:

«Felizes os pobres em espírito, porque deles é o Reino do Céu
                                                                                                                               Mt 5,1-3

monte bem aventuranças 1.jpg

No topo do Monte encontramos a Igreja das Bem-Aventuranças ou das Beatitudes, desenhada pelo arquitecto Antonio Barluzzi (vão ouvir-me falar várias vezes deste arquitecto ao longo de toda a nossa peregrinação pelas terras de Israel - ele desenhou e restaurou tantos monumentos em Israel, que ficou conhecido como o "Arquitecto da Terra Santa"). É uma igreja construída de forma octogonal, ou seja, com 8 lados, à semelhança das 8 Beatitudes proclamadas por Jesus no topo deste Monte santo. 

«Felizes os que choram, porque serão consolados.»
                                                                                                         Mt 5,4

monte bem aventuranças 2.jpg

Por fora, as paredes pretas e brancas - que nos relembram da nossa luta diária e constante, entre o bem e o mal, a luz e as trevas, a virtude e o pecado - escondem, na verdade, uma igreja incrivelmente luminosa e arejada ... 

«Felizes os mansos, porque possuirão a terra.
Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.»
                                                                                                    Mt 5,5-6

monte bem aventuranças 3.jpg

Do altar sagrado - localizado bem no centro desta igreja, visível de todos os ângulos e lugares - a disposição dos mosaicos minúsculos - como tu e eu, as pedras vivas do Templo do Senhor, somos - fazem-nos pensar numa fonte inesgotável e perpétua de água refrescante, a única capaz de nos saciar a sede, aquela sede tão profunda de amor, um amor capaz de tudo, um amor mais forte que tudo, um amor sem fim ... 

«Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.»
                                                                                                                         Mt 5,7

monte bem aventuranças 4.jpg

Ergo os olhos e sinto-me, mais uma vez, no Céu... Mais uma vez, uma série de minúsculos mosaicos, dourados e reluzentes - tantos quantos os Santos no Céu - rodeiam a "Estrela maior", azul como a cor de Nossa Senhora, aquela que é "o caminho fácil, curto, perfeito e seguro para chegar à união com Deus, na qual consiste a perfeição cristã” (TVD 152). 

Meu Deus, quanta beleza em tal simplicidade ... 

«Felizes os puros de coração, porque verão a Deus.
Felizes os pacificadoresporque serão chamados filhos de Deus
                                                                                                                  Mt 5,8-9

monte bem aventuranças 5.jpg

Rezamos por breves momentos; a igreja é demasiado pequena para receber tantos peregrinos e por isso dirigimo-nos novamente lá para fora. Sentamo-nos no chão e em rochas, provavelmente à semelhança dos Apóstolos e da multidão que seguia Jesus naquele dia, debaixo duma grande árvore, protegidos do Sol que começava a aquecer o dia. Ouvimos então o Sermão das Bem-Aventuranças, na sua totalidade, e reflectimos acerca da Sua mensagem....

«Felizes os que sofrem perseguição por causa da justiça,
porque deles é o Reino do Céu
                                                                                                                             Mt 5,10

monte bem aventuranças 6.jpg

Rodeia-nos uma bela floresta - oh tão bela! - à beira do mar, cheia de flores de todas cores, de plantas e árvores e tantos, tantos passarinhos que cantam maravilhosamente para nós! Cantarão eles, como Nossa Senhora, acerca das maravilhas do Senhor?

Nem me tinha apercebido das saudades que eu tinha de ouvir cantar os passarinhos no cimo das árvores (desde que viemos de Portugal que eu não ouvia passarinhos a cantar!) e aqui há tantos e cantam tão bem...

«Felizes sereis, quando vos insultarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o género de calúnias contra vós, por Minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque grande será a vossa recompensa no Céu; pois também assim perseguiram os profetas que vos precederam.»

Mt 5,11-12

Até hoje me consigo lembrar do cheiro e do som do mar, mesmo ali ao nosso lado... 

Felizes, felizes sereis . . . 

 

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

Nazaré e a vida da Sagrada Família

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

A anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem chamado José, da casa de David.

Lucas 1,26-27

 

Morto Herodes, o anjo do Senhor apareceu em sonhos a José, no Egipto, e disse-lhe: «Levanta-te, toma o Menino e sua mãe e vai para a terra de Israel, porque morreram os que atentavam contra a vida do menino.» Levantando-se, ele tomou o Menino e sua mãe e voltou para a terra de Israel.

Advertido em sonhos, retirou-se para a região da Galileia e foi morar numa cidade chamada Nazaré; assim se cumpriu o que foi anunciado pelos profetas: «Ele será chamado Nazareno».

Mt 2,19-20.23

nazare 6.jpg

 

Estamos em Nazaré, a terra natal de Maria e de José e a região onde Jesus passou a maior parte da Sua vida, desde o Seu regresso da terra do Egipto, por volta dos seus 6 a 7 anos de idade, até ter iniciado a Sua pregação (depois de ter passado pelas águas do rio Jordão), por volta dos seus 30 anos.

 

Nazaré situa-se na parte Norte do país de Israel, num vale rodeado por altas montanhas. Este vale, se o seguíssemos para Noroeste, levar-nos-ia até ao Mar Mediterrâneo; e se o seguíssemos para Sudeste, levar-nos-ia em direcção ao rio Jordão.

 

nazareth.png

Imagem adaptada daqui

A Sul da cidade de Nazaré, localiza-se a Planície de Esdrelão (ou Vale de Jezrel), que é uma zona muito fértil, cheia de campos de colheitas, de plantas, árvores e flores - ena, que contraste tão grande em relação a todas as terras áridas e desérticas pelas quais temos passado nos últimos dias! 

 

Nazaré é hoje uma cidade grande, próspera e bonita; mas no tempo de Jesus terá sido apenas uma pequena aldeia judaica, de pouca importância, com pouco mais que 20 a 30 famílias, que viveriam da agricultura, do pastoreio e do trabalho de artífices como a carpintaria de S.José. Esta aldeia estaria rodeada de olivais e de vinhas que desceriam pelas encostas dos montes. É provável que tivesse uma única sinagoga, pequena e simples, à imagem dos seus habitantes, e que talvez fosse, tal como as casas destas famílias eram, parcialmente construída à mão e parcialmente escavada na encosta dos montes. 

nazaré 7.jpg

 

A Sagrada Família viveu durante tantos anos em Nazaré e ninguém suspeitava que o próprio Deus vivesse ali, bem juntinho do Seu povo tão amado. Como é que foi possível? Oh, que mistério tão grande! 

Penso nos incontáveis Santos que povoam o Céu, já neste preciso momento, cujos nomes nós nem sequer sabemos, cujas vidas nem conhecemos; tantos Santos escondidos, silenciosos, que levaram vidas simples, humildes, sem grande alarido, sem feitos extraordinários, à semelhança da Sagrada Família, à semelhança (assim o espero e desejo) da minha vida, da tua vida, da nossa vida ... 

 

Alguém muito querido do meu coração, um dia destes perguntou-me se eu alguma vez tinha pensado que nunca na História da humanidade tinha havido, como hoje, tantos Santos e Santas, Beatos e Veneráveis, Servos e Servas de Deus, conhecidos ou não, a viver, a rezar e a interceder por todos nós no Céu ... como é que eu nunca tinha pensado nisso?! Quão maravilhoso! Louvado seja Deus!

nazaré 4.jpg

Planície de Esdrelão (ou Vale de Jezrael)

 

E como terá sido a vida quotidiana da Sagrada Família?...

Penso em Jesus como criança, a receber o início da Sua educação escolar e de Fé (só a nossa sociedade actual é que tenta separar as duas coisas ...), através dos ensinamentos e do exemplo vivo de Maria e de José; ao aprender na carpintaria a trabalhar a madeira e a pedra com as Suas mãos e instrumentos, enquanto ouvia, vezes e vezes sem conta, José a contar-Lhe toda a História do povo de Deus, até a saber de coração...

Jesus a brincar com os outros meninos e meninas da Sua idade... Jesus como menino na escola da sinagoga, a aprender a ler e a interpretar as Sagradas Escrituras ... Oh, será que Jesus chegava a pensar: Hum ... isto parece-me familiar... sim, acho que fui Eu que fiz e disse isto tudo  

 

Penso em Maria, como esposa e mãe, exercendo na perfeição todas as facetas do «génio feminino» que o Santo Papa João Paulo II nos ensinaria tantos séculos mais tarde ... Maria a lavar e a estender a roupa, a limpar a casa, a fazer as refeições, a ir buscar água aos poços e cisternas, enquanto cantava continuamente todas as maravilhas que o Senhor fez ...

Sabem, desde que me tornei catequista, dou por mim muitas vezes a imaginar (e a tentar inspirar-me) acerca de como é que Maria ensinaria e cativaria todas as meninas e meninos com os quais contactasse, ao longo da sua vida, acerca do amor, da misericórdia e da justiça de Deus ... (tento, mas garanto-vos que falho redondamente a tentar fazer o mesmo! )

 

nazaré 5.jpg

 

Durante muito tempo pensei que Maria e José tivessem dedicado as suas vidas, em exclusividade, um ao outro e a Jesus, depois de casarem. Que todas as outras facetas anteriores das suas vidas - restante família, profissão, actividades na comunidade, amizades e tarefas - tivessem sido completamente abandonadas e esquecidas e postas de parte, para que tudo girasse apenas à volta de Jesus ... o que é, bem, em parte verdade. 

Mas apenas em parte verdade. Graças aos ensinamentos das Famílias de Caná, percebi que a Sagrada Família, protótipo perfeito das Famílias-Cântaro a que somos chamados a ser, não só não terá renunciado às diversas tarefas e funções que anteriormente possuía, como as deverá ter, sim, abraçado e dedicado ainda mais intensamente, com ainda mais amor, auto-doação e sacrifício! 

Sim, claro que sim! Claro que tanto Maria como José se terão disponibilizado para servir ainda mais cada elemento das suas comunidades e das suas famílias; claro que se terão dedicado com ainda mais fervor e amor às suas profissões e tarefas; claro que terão crescido ainda mais em generosidade; claro que terão aberto as portas (e as janelas e o telhado!) da sua casa a todos os que precisassem, ou duma simples palavra amiga e dum sorriso, ou duma fatia de pão com doce de tâmaras, ou dum colo e ombro amigo para chorar, ou duma cama para passar a noite; claro que raramente haveria apenas 3 pratos e 3 copos e 3 talheres na mesa da Sagrada Família, mas sim sempre mais, sempre espaço e comida e amor para mais um (ou dois ou três ou mais!), por mais tarde que chegassem; claro que se terão oferecido e dedicado e gasto mais e mais e mais, depois da chegada de Jesus às suas vidas ...

Oh, que o mesmo aconteça na minha vida também!...

 

O nosso autocarro está quase a chegar a um dos locais que eu mais desejava ver e tocar, sentir e estar, como Jesus tantas e tantas vezes o fez - o Mar das Tiberíadas, o Mar da Galileia - oh, ei-lo em toda a sua beleza, bem aqui à nossa espera ... 

nazaré 9.jpg

 

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

O Baptismo de Jesus no rio Jordão

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

 

Partimos do Monte Nebo e chegamos a Betânia da Jordânia - e está tanto, tanto calor!

É preciso deixarmos para trás o conforto do ar condicionado do nosso autocarro, respirar fundo uma última vez e mergulhar na onda de calor. Ao fim de 6 dias de peregrinação, continuo sem me conseguir habituar ao calor tão intenso e sufocante (duvido muito que alguma vez consiga). Mas estamos em Betânia da Jordânia! E tantas coisas importantes aconteceram aqui ...

baptismo jordão 6.jpg

Naqueles dias, apareceu João, o Baptista, a pregar no deserto da Judeia. Dizia: «Convertei-vos, porque está próximo o Reino do Céu.»  Iam ter com ele os de Jerusalém, os de toda a Judeia e os da região do Jordão, e eram por ele baptizados no Jordão, confessando os seus pecados.

Disse-lhes: «Eu baptizo-vos com água, para vos mover à conversão; mas Aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu e não sou digno de Lhe descalçar as sandálias. Ele há-de baptizar-vos no Espírito Santo e no fogo

Mt 3,  1-2; 5-6; 11

 

Disseram [a João]: «Quem és tu, para podermos dar uma resposta aos que nos enviaram? Que dizes de ti mesmo?». Ele declarou:

‘«Eu sou a voz de quem grita no deserto:
Rectificai o caminho do Senhor’,
como disse o profeta Isaías.»

Ora, havia enviados dos fariseus que lhe perguntaram: «Então porque baptizas, se tu não és o Messias, nem Elias, nem o Profeta?» João respondeu-lhes: «Eu baptizo com água, mas no meio de vós está Quem vós não conheceis. É Aquele que vem depois de mim, a Quem eu não sou digno de desatar a correia das sandálias.» 

Isto passou-se em Betânia, na margem além do Jordão, onde João estava a baptizar.

Jo 1, 22-28

baptismo jordão 2.jpg

Foi aqui, aqui mesmo, neste lado da margem do rio Jordão que agora pertence à Jordânia, que São João começou a baptizar o povo de Deus. Em tempos, as águas do rio Jordão chegavam até aqui; agora, temos de andar largos minutos a partir deste local, até chegarmos perto da água do rio... 

A foto de cima mostra as ruínas de uma das primeiras igrejas aqui construídas, inicialmente sobre as águas do rio. Desde cedo, peregrinos de todo o mundo vieram até este local, a fim de serem baptizados nas águas do rio Jordão, e assim foram sendo construídas diversas igrejas perto destas águas, tal como o mosaico da foto de baixo nos mostra.

Ainda hoje, muitos cristãos vêm aqui de propósito para se baptizarem nas águas do rio Jordão - como, aliás, estava a acontecer, no lado israelense do rio Jordão, quando aqui chegámos. Quase que me apetecia gritar-lhes: Pessoal, enganaram-se! Leiam lá bem a Bíblia - foi deste lado do rio, não desse ...

baptismo jordão 1.jpg

Então, veio Jesus da Galileia ao Jordão ter com João, para ser baptizado por ele. João opunha-se, dizendo: «Eu é que tenho necessidade de ser baptizado por ti, e Tu vens a mim?» Jesus, porém, respondeu-lhe: «Deixa por agora. Convém que cumpramos assim toda a justiça.» João, então, concordou.

Uma vez baptizado, Jesus saiu da água e eis que se rasgaram os céus, e viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e vir sobre Ele. E uma voz vinda do Céu dizia: «Este é o meu Filho muito amado, no qual pus todo o meu agrado.»

Mt 3, 13-17

No dia seguinte, ao ver Jesus, que se dirigia para ele [João], exclamou: «Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! É Aquele de quem eu disse: ‘Depois de mim vem um Homem que me passou à frente, porque existia antes de mim.’ Eu não O conhecia bem; mas foi para Ele se manifestar a Israel que eu vim baptizar com água.» 

E João testemunhou: «Vi o Espírito que descia do céu como uma pomba e permanecia sobre Ele. E eu não O conhecia, mas Quem me enviou a baptizar com água é que me disse: ‘Aquele sobre quem vires descer o Espírito e poisar sobre Ele, é o que baptiza com o Espírito Santo’. Pois bem: eu vi e dou testemunho de que Este é o Filho de Deus

Jo 1, 29-34

baptismo jordão 4.jpg

Tenho de ser sincera convosco e admitir que fiquei um pouco desiludida quando finalmente vi o rio Jordão - a água era verde e suja e não cheirava propriamente bem ... mas a Igreja diz-nos que se trata de água abençoada e portanto toca a benzer-nos com ela!

Fez-me lembrar do meu processo de aceitação do Mistério da Sagrada Eucaristia - a hóstia consagrada não parece nada ser o corpo de Jesus, mas Jesus (e por isso a Igreja também) disse-nos que é, mesmo, realmente, apesar dos nossos olhos não verem nada de diferente naquela pequena hóstia ...

 

"Padre Miguel, podemos renovar as nossas promessas de Baptismo aqui?" - pergunto eu.

"Não!" - é a resposta bem enfática. Por esta é que eu não esperava ... 

Na verdade, iríamos sim renovar as nossas promessas de Baptismo, uns dias mais tarde, na Igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém, junto do local onde Jesus foi crucificado e junto do local onde Ele ressuscitou.

Mas porquê???... Estava na altura de mais uma catequese 

baptismo jordão 3.jpg

Ora, o baptismo que João realizava no rio Jordão era um baptismo de conversão, de arrependimento, de penitência. Quando alguém desejava e aceitava ser baptizado por João, estava a reconhecer os seus pecados perante Deus (e também publicamente). A água do baptismo de João pretendia representar a lavagem das nossas impurezas e a preparação para uma vida nova, um novo nascimento ...

Este baptismo foi importante, sim, porque serviu como preparação para o verdadeiro Baptismo, que Jesus nos ofereceria mais tarde. Este baptismo pretendia ser um sinal para algo maior e mais profundo que iria acontecer em breve.

 

João, como protótipo dos fiéis que tentam sempre escutar e fazer a vontade de Deus, sabia disto tudo e é por esta razão que fica bastante atordoado quando vê Jesus na fila dos que se querem baptizar, na fila dos pecadores. É por isso que João tenta opor-se a baptizar Jesus naquelas águas. Então, diz ele, «Eu é que tenho necessidade de ser baptizado por ti, e Tu vens a mim?» - oh, quantas e quantas vezes ficamos também nós atordoados com a humildade de Deus ...

 

Não se baralhem, Jesus, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, jamais pecou. Em tudo Ele foi semelhante a nós na Sua vida terrena, em absolutamente tudo - excepto no pecado. Assim, é óbvio que Ele não precisava de passar por um baptismo de conversão e arrependimento ...

Mas, ainda assim, fê-lo. Porquê? Pelo menos, por duas razões.

 

Quando Jesus aceitou tornar-se homem, Ele assumiu, voluntariamente, a nossa carne, a nossa natureza humana, a nossa natureza pecadora. Assim, pergunto-vos, quando Jesus foi imergido nas águas do rio Jordão, quem é que afinal foi baptizado naquela altura? Ele ou nós, o homem velho, o velho Adão, ou seja, toda a humanidade? 

Este baptismo simbolizava a preparação para o início duma nova vida, lembram-se? E foi apenas depois de ter sido baptizado por João, que Jesus iniciou o Seu ministério, a Sua pregação, a Sua missão - e, assim, o início da nossa nova vida.

Além disso, foi depois de Jesus ser baptizado que o Espírito Santo se manifestou e a voz do Pai se fez ouvir, «Este é o meu Filho muito amado, no qual pus todo o meu agrado».

 

Então, quando é que o Sacramento do Baptismo foi instituído?

Na Cruz!

Quando, do coração aberto de Jesus, foi derramado sangue e água. Esse é o verdadeiro Baptismo, que não só nos purifica totalmente dos nossos pecados como (que grande mistério este!) nos torna verdadeiros filhos de Deus! 

 

Como não podia deixar de ser, as canções da minha querida Danielle Rose acompanharam-me em toda esta peregrinação à Terra Santa. Assim, partilho convosco a canção que ela compôs para o 1º Mistério Luminoso do Terço, o baptismo de Jesus no rio Jordão.

Behold the Lamb of God

From the perspective of John the Baptist

(Matthew 3:13-17, Mark1:9-11, Luke 3:21-22, John 1:19-34, 4:29-30)

 

It is I who need you, and yet you come to me.
I must grow smaller, so you will increase.
God said, “This is my Beloved Son, with whom I am well pleased.”
So this joy of mine has been made complete.

I was buried with you in the water, but I rose again gasping to take a new breath.
Drowned by your grace on the altar, I drink of your cup, I drink of your death.

Behold the Lamb of God.
Behold the Lamb of God,
Who takes away the sin of the world. Behold the Lamb of God.

The veil shrouding heaven was torn from my eyes, 
Then a waterfall of grace tumbled down from the sky. 
The Spirit swirled ‘round with wings white as a dove,
Descending upon the Father’s Beloved.

We were buried with you in the water, but we rose again gasping to take a new breath.
Drowned by your grace on the altar, we drink of your cup, we drink of your death.

I am not worthy.
I am not worthy to touch your feet.
I am not worthy to receive you,
But only say the word and I shall be healed!

Eis o Cordeiro de Deus

A partir da perspectiva de João Baptista

(Mt 3:13-17, Mc 1:9-11, Lc 3:21-22, Jo 1:19-34, 4:29-30)

 

Sou eu que preciso de Ti e, no entanto, és Tu que vens até mim
Eu devo decrescer, de modo a que Tu aumentes.
Deus disse: “Este é o meu Filho Amado, em Quem Eu muito Me comprazo”.
Então esta minha alegria ficou completa.

Fui enterrado conTigo na água, mas levantei-me desejoso dum novo fôlego
Imergido pela Tua graça no altar, eu bebo do Teu cálice, eu bebo da Tua morte.

Eis o Cordeiro de Deus.
Eis o Cordeiro de Deus
Que tira o pecado do mundo. Eis o Cordeiro de Deus.

O véu que cobria o céu foi arrancado dos meus olhos, 
E assim uma cascata de graças desceu dos Céus. 
O Espírito Santo girou com umas asas brancas como uma pomba,
Descendo sobre o Amado do Pai.

Nós fomos enterrados conTigo na água, mas levantamo-nos desejosos dum novo fôlego
Imergidos pela Tua graça no altar, nós bebemos do Teu cálice, nós bebemos da Tua morte.

Eu não sou digno.
Eu não sou digno de tocar nos Teus pés.
Eu não sou digno de Te receber
Mas dizei apenas uma palavra e eu serei salvo!

 

Louvado seja Deus, para sempre!

 

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~