Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

O Corpo Místico de Jesus e os Mistérios do Rosário

Pego no terço para rezar. À minha volta, no silêncio da noite, não se encontra mais ninguém. Pode parecer que irei rezar o terço sozinha, falando sozinha, meditando sozinha, lutando e intercedendo sozinha. Mas, pela graça do Senhor, desde que comecei a rezar o Terço todos os dias, já há 6 anos atrás, que sei, perfeitamente, que nunca o fiz sozinha.

Toda a Igreja me acompanha. Todo o Corpo Místico de Jesus me acompanha.

 

Sábado e segunda-feira, meditamos nos Mistérios Gozosos, os Mistérios da alegria, mas também dos obstáculos e das longas viagens. Aprendemos com Maria a dizer "sim" à vontade de Deus, mesmo que isso provoque uma revolução na nossa vida, mesmo que isso nos leve para longe de casa, para nos pormos imediatamente ao serviço dos irmãos, na figura de Isabel que aceita ser visitada e servida, alegrando-se com os milagres do Senhor na sua vida. Logo a seguir, pomo-nos a caminho de Belém, levando connosco o nosso maior tesouro, Jesus Encarnado, apenas para ninguém O aceitar receber no calor dos seus lares nem das suas famílias. Ainda com Ele pequenino, voltamos para Jerusalém, para agradecer e dedicar este Dom tão grande do Senhor e ficamos a conhecer como é a recompensa, do final da vida, daqueles que temem a Deus, como Simeão e Ana, e que seguem o que o Espírito Santo lhes diz. Por fim, inesperadamente, no 5º Mistério, encontramo-nos no nosso maior pesadelo - perder o Senhor e assim parecer que perdemos tudo, tudo ... para assim descobrirmos a alegria do (re)encontro eterno com Ele! São os Mistérios da Igreja peregrina, da Igreja militante, que peregrina ainda nesta terra a caminho do Céu, com uma missão para cumprir, numa vida cheia de obstáculos e de desafios, alegrias e surpresas, lutando para alcançar, um dia, a santidade ... São os Mistérios da vida de cada um de nós.

miguel angelo juizo final.jpg

Imagem do puzzle que fizemos este verão - "Juizo Final" do pintor Miguel Ângelo, com a representação da Igreja militante, penitente e triunfante (imagem retirada daqui)

 

Terça e sexta-feira, meditamos nos Mistérios Dolorosos, os Mistérios da Agonia. Acompanhamos Jesus nos momentos mais importantes da Sua vida terrena e da Sua missão de redenção de toda a humanidade. No 1º Mistério, aprendemos o valor da oração de intercessão pelos outros, no jardim do Getsémani. Depois, aprendemos o valor redentor do sofrimento, quando oferecido em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro, no Mistério da flagelação e da coroação de Cristo. Aprendemos a seguir Jesus, agarrados à nossa cruz, até ao topo do Calvário, meditando no 4º Mistério. Por fim, pela Sua perfeita obediência, pela Sua perfeita entrega de amor, aprendemos o enorme valor da purificação das nossas almas, através do fogo ardente do amor. São os Mistérios da Igreja padecente, da Igreja purgante, da Igreja penitente, da Igreja expectante. Aquelas almas que, apesar de salvas, têm de passar pelo Purgatório, para completarem totalmente a purificação e a santidade de todo o seu ser. São aquelas almas que vivem profundamente o efeito da nossa oração de intercessão. São aquelas almas que vivem expectantes e vigilantes, desejando ardentemente que chegue, por fim, o dia da última vinda do Senhor ... 

 

Domingo e quarta-feira, meditamos nos Mistérios Gloriosos, nos Mistérios da vitória de Cristo sobre todos os nossos inimigos - o pecado, a morte, a dor, o medo, a solidão. Primeiro, regozijamo-nos com a ressurreição de Jesus e da Sua plena soberania sobre o pecado e a morte, no 1º e 2º Mistério. Depois, somos intensamente vivificados pelo fogo do amor do Espírito Santo. No 4º Mistério, enchemo-nos de esperança pela assunção aos Céus de Nossa Senhora, em corpo e alma, como primícias do que irá acontecer, um dia, a cada um de nós. E, por fim, festejamos a coroação celeste da nossa humilde Mãe. São os Mistérios da Igreja Triunfante, das almas dos santos, que vivem já, neste preciso momento, a alegria eterna das Bodas do Cordeiro, da inimaginável glória de Deus ... 

 

Eis o reflexo da Igreja militante, da Igreja padecente, da Igreja triunfante, de todo o Corpo Místico de Cristo, aqui mesmo, neste mero terço de contas, neste poço tão rico e profundo, que são os Mistérios do Rosário, que Nossa Senhora nos deu e ensinou ... 

Coroa de Espinhos

Hoje não consigo ter palavras para vos expressar o que sinto ... assim, deixo-vos com uma das melhores canções da belíssima cantora norte-americana Danielle Rose - Crown of Thorns (Coroa de Espinhos).
 

3º Mistério Doloroso: A Coroação de Espinhos de Jesus

 

Letra escrita com base nos Evangelhos de S.Mateus 27: 27-31, S.Marcos 15: 16-20, e S.Lucas 23:11

A letra da canção descreve o ponto de vista da Rosa

 

 

 

 

My seed was born
One bright spring morn
In gardens grown by God.
Out of the earth
My stem gave birth
To petals red as blood.

 

The gentle rain
My growth sustained,
And like each seed God sows,
I dreamed one day
That I’d be named
A king’s most precious rose.

 

***

 

One day a soldier
Bent me over,
Tore me from my bed.
All beaten, battered,
My stem tattered,
Wanted but for dead.

 

In cruel hands gripped,
My beauty stripped,
‘Twas not the dream I chose.
And filled with shame,
I wept in pain,
No more a precious rose.

 

***

 

Then I did see
The soldiers lead
A man through palace doors.
Was this my king?
Why did they bring him in,
This man so poor?

 

A purple garment
Hid the torment
None but I could see.


They mocked and laughed,
Gave him a staff,
And bowed on bended knee.

 

***

 

They bent me ‘round
And wove a crown
And placed me on his head.


My petals found
Crushed on the ground,
Like tears of God turned red.

 

With each small sin
I was pressed in.
I pierced with self-disdain.


In thought and deed
I made him bleed,
My selfishness, his pain.

 

***

 

“Behold!” they’d sing,
“Behold your King! Hail,
King of the Jews!”
With each reeds’ blow,
Our pain did grow.


As one we were abused.

Despite the crown,
He did not frown.


He smiled with love instead,
And carried me
For all to see
Upon His tender head.

 

***

 

Once placed with awe
In manger straw,
Anointed by John’s hands,
Transfigured on
A mountain dawn,
Now wore a mangled branch.

 

Once gently kissed
By Mary’s lips,
And blessed with magi’s myrrh,
Baptized by
A parting sky,
Now streamed with blood so pure.

 

***

 

An innocent brow
Calls to us know
To follow this example:
To let our thorns
And all that scorns
Be healed within His Temple.

 

Though dreams may fade,
Each one was made
In seed that Jesus sows.
And now I see
I’m called to be
The King’s most precious rose.

 

***

A minha semente nasceu

Numa manhã clara de primavera

Nos jardins cultivados por Deus.

Fora da terra

O meu caule deu à luz

Pétalas vermelhas como o sangue.

 

A chuva suave

O meu crescimento continuou,

E como cada semente que Deus semeia,

Eu sonhei (que) um dia

Seria chamada

A rosa mais preciosa do rei.

 

***

 

Um dia, um soldado

Inclinou-se sobre mim,

(E) arrancou-me da minha cama.

Totalmente espancado, golpeado,

O meu caule esfarrapado,

Procurado, mas para morrer.

 

Agarrada em mãos cruéis,

Fui despida da minha beleza,

Este não era o sonho que eu escolhi.

E cheia de vergonha,

Chorei de dor

Nunca mais (seria) uma rosa preciosa.

 

***

 

Então, eu vi

(Que) os soldados conduziam

Um Homem através das portas do palácio.

Seria este o meu Rei?

Porque trazem eles

Este Homem tão pobre?

 

Um manto de púrpura

Escondeu a tortura

Mas eu (ainda) podia ver.

 

Eles ridicularizaram(-No) e riram-se (Dele),

Deram-Lhe uma equipa,

E se inclinaram ajoelhados.

 

***

 

Eles dobraram-me sobre mim mesma

E teceram uma coroa

E colocaram-me sobre a Sua cabeça.

 

As minhas pétalas encontravam-se

Esmagadas pelo chão,

Como se fossem as lágrimas vermelhas de Deus.

 

Com cada pequeno pecado

Eu estava pressionando-O.

(E) eu perfurei-O com auto-desprezo.

 

Em pensamentos e em acções,

Eu fi-Lo sangrar,

O meu egoísmo, a Sua dor.

 

***

 

"Eis", eles cantam,

"Eis o vosso Rei! Saúdem,

O Rei dos judeus!"

Com cada golpe dos juncos,

A nossa dor aumentava.

 

Como (se fossemos) um, nós fomos maltratados.

Apesar da coroa,

Ele não franziu as sobrancelhas.

 

Em vez disso, Ele sorriu com amor,

E carregou-me

Para todos verem

Sobre a Sua querida cabeça.

 

***

 

Outrora colocado com reverência

Sobre as palhas duma manjedoura,

Ungido pelas mãos de João,

Transfigurado

Numa montanha ao amanhecer,

Agora usava um ramo destruído.

 

Outrora beijado delicadamente

Pelos lábios de Maria,

E abençoado com mirra dos Magos,

Baptizado por

Um céu que se dividiu (ao meio),

(Estava) agora raiado do sangue mais puro.

 

***

 

Uma fronte inocente

Chama-nos a conhecer

(E) a seguir este exemplo:

Deixemos que os nossos espinhos

E tudo o que nos despreza

Seja curado no interior do Seu Templo.

 

Embora os sonhos possam desaparecer,

Cada um (deles) foi criado

Nas sementes que Jesus semeou.

E agora eu vejo

(Que) fui chamado a ser

A Rosa mais preciosos do Rei.

 

***

 

 

Se quiserem, podem ouvir as canções dos outros Mistérios Dolorosos e seguir a letra de cada uma aqui.