Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Se ao menos eu Lhe tocar ...

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

Continuamos a explorar a líndissima igreja recém terminada na cidade de Magdala, uma cidade com tanta importância nas Sagradas Escrituras para nós, mas que esteve perdida e escondida debaixo da areia durante séculos e séculos ...

O nome desta Igreja, em latim, 'Duc In Altum', consagrada em 2014 pelo Patriarca de Jerusalém, foi inspirado nas palavras que Jesus disse aos Seus primeiros Apóstolos, entre eles Simão Pedro, após uma noite de pesca infrutífera. Depois de ter ensinado uma multidão inteira, Jesus diz-lhes 

"Lançai [as redes] para as profundezas"   

ou "Duc in altum"                                                   (Lc 5,4)

E eles assim fizeram, eles assim obedeceram, apesar de algo hesitantes. O resultado? Bem, nada menos que uma rede de pesca quase a rasgar-se com o peso de tal pescaria extraordinária ... 

Na verdade, toda a construção desta bela igreja (cujas fotos partilhei já convosco no post anterior) serve para nos relembrar e inspirar a não ter medo de confiar nestas palavras de Jesus, nosso Mestre, que nos incentiva a lançar-nos nas profundezas do Seu tremendo e infinito amor... Ouçamos, confiemos, obedeçamos e lancemo-nos - sem qualquer medo ou receio. Jesus estará lá - sempre - connosco e Ele promete-nos que os frutos de tal acto de coragem serão - sempre - imensamente numerosos ...

 

Nós avançamos também, explorando esta bela e ampla igreja, construída para receber multidões de peregrinos ... mas quase só estamos aqui nós, os 40 peregrinos vindos de Portugal. E eu lembro-me das outras palavras de Jesus

Como é estreita a porta e quão apertado é o caminho que conduz à vida,

e como são poucos os que o encontram!

                                                                                               Mt 7,14

magdala 10.jpg

 

Encontramo-nos sob o manto de Nossa Senhora de Guadalupe (cuja festa celebramos esta semana, a 12 de Dez!), pintado no tecto da igreja - e que nos faz sentir quase como se, também nós, à semelhança de Jesus neste período de Advento, estivéssemos dentro do ventre desta querida Mãe, que nos acolhe e protege com a sua perpétua oração e intercessão...

A nossa guia indica-nos que devemos seguir através duma porta estreita. Porque sorris tanto Marisa? - perguntam-me os outros peregrinos. Oh, Deus tem cá um sentido de humor! . 

Esta porta estreita leva-nos, tão adequadamente, até às profundezas desta igreja e, bem, até às profundezas do meu coração quando, através dum quadro nesta modesta e simples capela, chamada Capela do Encontro, sem qualquer aviso, Jesus me leva às lágrimas...

 

magdala 13.jpg

[Havia uma ] certa mulher, vítima de um fluxo de sangue havia doze anos, que sofrera muito nas mãos de muitos médicos e gastara todos os seus bens sem encontrar nenhum alívio, antes piorava cada vez mais ...

                                                                                                                          Mc 5, 25-26

Começo eu a recitar esta parábola de Jesus que, talvez, mais que qualquer outra, eu sei quase de cor, de tantas e tantas vezes que a li e reli e reli ... E de tantas vez que a cantei - graças a uma das minhas músicas favoritas da Danielle Rose - If I touch Him (se eu Lhe tocar).

Estava escrito no livro do Levítico que

«Quando uma mulher tiver o fluxo de sangue que corre do seu corpo, permanecerá durante sete dias na sua impureza. Quem a tocar ficará impuro até à tarde. Todo o objecto sobre o qual ela se deitar, durante a sua impureza, ficará impuro; tudo aquilo em que se sentar, ficará impuro. Quem tocar no seu leito, deverá lavar as vestes, banhar-se-á em água e ficará impuro até à tarde. Quem tocar em qualquer objecto em que ela tenha estado sentada lavará as vestes, banhar-se-á em água e ficará impuro até à tarde. Quem tocar nalguma coisa que estiver sobre a cama ou sobre o móvel em que ela se sentou, ficará impuro até à tarde. Se um homem coabitar com ela e a sua impureza o atingir, ficará impuro durante sete dias, e todo o leito em que se deitar ficará impuro.

Quando uma mulher tiver um fluxo de sangue durante vários dias, fora do tempo normal de impureza, isto é, se o fluxo se prolongar para além do tempo da sua impureza, ficará impura durante todo o tempo desse fluxo, como no tempo da sua impureza. Durante todo o tempo desse fluxo, todo o leito em que se deitar será para ela como o leito em que se deitava durante a sua impureza; qualquer móvel sobre o qual se sentar ficará impuro, como no tempo da sua impureza; quem os tocar ficará impuro; deverá lavar as suas vestes, banhar-se-á em água e ficará impuro até à tarde. Quando terminar o fluxo de sangue, contará sete dias e, depois, ficará pura.»

Lev 15, 19-28

Conseguem imaginar o profundo e intenso sofrimento desta mulher, que há 12 anos mantinha este fluxo de sangue?

Há 12 anos que não podia tocar em ninguém, nem ninguém lhe podia tocar. Teria ela uma família, um marido e filhos? Meu Deus, imaginar 12 anos sem lhes poder tocar... Oh, quanto desejava fazê-lo ... Mas ela sabia que, se o fizesse, os tornaria impuros ... E o amor de mãe e o amor de esposa é muitíssimo maior que este desejo - então, por amor aos outros, lutando contra os desejos do seu próprio coração, mantinha-se firme na resolução de não tornar os outros impuros, de não levar os outros a pecar ... 

Ela tinha procurado ajuda em tudo quanto fosse lugar, tinha gasto tudo o que tinha, tinha-se colocado nas mãos de todos os que eram chamados de sábios e de médicos ... e nada, absolutamente nada, era capaz de sarar aquela ferida aberta, aquela profunda ferida aberta, que lentamente, gota por gota, lhe retirava toda a vida ... 

Até que surgiu Jesus. É sempre assim, também nas nossas vidas - chega Jesus e nunca nada é o mesmo!

Tendo ouvido falar de Jesus, veio por entre a multidão e tocou-lhe, por detrás, nas vestes, pois dizia: «Se ao menos tocar nem que seja as Suas vestes, ficarei curada.» 

                                                                                                                        Mc 5, 27-28

Ela tinha-se tentado esconder por entre a multidão. Já estava tão habituada a isso ... Durante anos tinha vivido com intensos sentimentos de vergonha e de culpa. Durante anos tinha-se sentido suja .... Terá sido, muito provavelmente, expulsa de muitos locais pela sua situação. Oh, o que aconteceria se alguém a reconhesse? Oh, se alguém descobrisse que ela se tinha atrevido a estar no meio duma multidão! ...

Pela primeira vez, ao fim de tantos e tantos anos, um sentimento mais forte que a culpa e a vergonha tinha surgido na sua vida - a Fé. Sim, apenas Ele a poderia salvar, oferecendo-lhe o amor misericordioso que ela tanto procurava. A que tem origem no amor de Deus torna-nos corajosos e audazes...

♫ Se ao menos eu Lhe tocar, Ele curará o meu coração que sangra

Se eu Lhe tocar, Ele dar-me-á tudo o que eu preciso

Se apenas esticar a minha mão e Lhe tocar na orla das Suas vestes

Eu acredito que serei tornada inteira novamente ... ♪

                                                                        (refrão da música da Danielle Rose - If I touch Him)

magdala 14.jpg

Apreciem bem todo o realismo desta pintura belíssima do artista Daniel Cariola ...

De facto, no mesmo instante se estancou o fluxo de sangue, e sentiu no corpo que estava curada do seu mal. Imediatamente Jesus, sentindo que saíra Dele uma força, voltou-se para a multidão e perguntou: «Quem tocou as minhas vestes?» 

Os discípulos responderam: «Vês que a multidão te comprime de todos os lados, e ainda perguntas: ‘Quem me tocou?’» Mas Ele continuava a olhar em volta, para ver aquela que tinha feito isso. 

                                                                                                                    Mc 5, 29-32

Oh, o poder dum simples toque ...

Jesus tinha acabado de ser chamado, à pressa, para ir acudir a filha de Jairo, uma menina de 12 anos, que estava à beira da morte ... Também esta mulher tinha estado a morrer, esvaindo-se em sangue que brotava do seu corpo e da profunda ferida aberta da sua alma, nos últimos 12 anos .... 

À filha de Jairo, Jesus segurará na sua mão e ressuscita-la-á dos mortos ... Também a esta mulher bastará um simples toque, único e especial, incomparável a qualquer outro, para a trazer de novo à vida ... 

Num instante toda a vergonha, toda a culpa, toda a imundice, toda a solidão, toda a dor, oh tão forte e profunda, desapareceu ... terminou ... para sempre!

Então, a mulher, cheia de medo e a tremer, sabendo o que lhe tinha acontecido, foi prostrar-se diante Dele e disse toda a verdade. 

Disse-lhe Ele: «Filha, a tua fé salvou-te; vai em paz e sê curada do teu mal.»

                                                                                                                           Mc 5, 33-34

 

Como é grande o amor de Deus por nós! Tão grande e belo e imenso, que nos tira o fôlego e faz tremer o nosso corpo com toda a Sua intensidade! Que nos leva a desejar colocar-nos de joelhos diante d'Aquele que nos dá uma nova vida ...

Então a criança dentro da minha alma, que eu pensava que tinha morrido há tanto tempo atrás

Foi ressuscitada de novo à vida e eu senti uma alegria até nos meus ossos. 

Então eu fui a correr contar - aos cegos, aos coxos, aos que andavam de coração partido, aos que sentiam vergonha

Aos ricos, aos pobres, aos jovens, aos velhos - a verdade que precisa de ser proclamada! ♪

♪ Se tu Lhe tocares, Ele curará o teu coração que sangra,

Se tu Lhe tocares, Ele te dará tudo o que tu precisas,

Se tu ao menos esticares as tuas mãos e tocares no Pão do Céu,

Acreditas que Ele será capaz de te tornar inteiro novamente? ♫

                                                                                (estrofe e refrão final da música da Danielle Rose - If I touch Him)

E tu? Agora que também foste curado, tens coragem para ir proclamar todas as maravilhas que Deus fez na tua vida?

 

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

A matemática de Deus

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

 

Passámos uma bela manhã nesta lindíssima praia em Tagba. Está na altura de seguirmos caminho - há ainda tantas maravilhas à nossa espera na Terra Santa! - mas temos ainda tempo para ouvir o relato dum último (grande!) milagre de Jesus, que terá ocorrido não muito longe desta praia tão especial  ... 

Jesus foi para a outra margem do lago da Galileia, ou de Tiberíades. Seguia-o uma grande multidão, porque presenciavam os sinais miraculosos que realizava em favor dos doentes. Jesus subiu ao monte e sentou-se ali com os seus discípulos.

Estava a aproximar-se a Páscoa, a festa dos judeus. Erguendo o olhar e reparando que uma grande multidão viera ter com Ele, Jesus disse então a Filipe: «Onde havemos de comprar pão para esta gente comer?» Dizia isto para o pôr à prova, pois Ele bem sabia o que ia fazer.

Filipe respondeu-lhe: «Duzentos denários de pão não chegam para cada um comer um bocadinho.» 

Disse-lhe um dos seus discípulos, André, irmão de Simão Pedro: «Há aqui um rapazito que tem cinco pães de cevada e dois peixes. Mas que é isso para tanta gente?» 

Jesus disse: «Fazei sentar as pessoas.»

Ora, havia muita erva no local. Os homens sentaram-se, pois, em número de uns cinco mil. Então, Jesus tomou os pães e, tendo dado graças, distribuiu-os pelos que estavam sentados, tal como os peixes, e eles comeram quanto quiseram

Quando se saciaram, disse aos seus discípulos: «Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca». Recolheram-nos, então, e encheram doze cestos de pedaços dos cinco pães de cevada que sobejaram aos que tinham estado a comer.

Aquela gente, ao ver o sinal milagroso que Jesus tinha feito, dizia: «Este é realmente o Profeta que devia vir ao mundo!» 

                                                                                                                                     Jo 6, 1-14

multiplicação 1.jpg

Praia em Tagba, junto da Mensa Christi e do Primado de Pedro

 

Ah, a matemática de Deus ... que é tão diferente da nossa!

Na escola, facilmente aprendemos a não gostar muito das contas de subtração ou de divisão - afinal, ficamos quase sempre com menos no final da conta do que quando começámos!  Depois crescemos e, ao longo da nossa vida, também o mundo nos tenta ensinar isso mesmo ... Quantas vezes ouvimos - "Estás a dar demais! Não dês tanto ou não haverá para ti também..." ou "Dividir o que é meu contigo? Assim fico eu a perder e isso não pode ser... "

Mas Jesus veio ensinar-nos que, nas contas de Deus, quem se subtrair aqui na terra, pelo contrário, no final da equação somará bênçãos e graças infinitas no Céu! Quem dividir com os irmãos tudo o que tem, quem der e der e der - até doer - receberá mil por cada cem!

Tomando a palavra, Pedro disse-lhe: «Nós deixámos tudo e seguimos-te. Qual será a nossa recompensa?» 

Jesus respondeu-lhes: «Todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou campos por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá por herança a vida eterna.»

Mt 19,27.29

Neste mundo, quanto mais damos, com menos (aparentemente) ficamos. Mas, nas contas de Deus, quanto mais damos ao outro, nosso irmão - amado, ou talvez não - mais tesouros estaremos a acumular no Céu. Dizem-nos os Santos que, para o Céu, levaremos apenas connosco, não nada daquilo que tivermos acumulado nesta terra, mas sim tudo o que tivermos oferecido, abdicado e sacrificado ao longo da nossa vida - por amor ao outro, por amor a Deus....

 

Oh, tantas e tantas vezes que Jesus nos diz nos Evangelhos: aquele que muito junta, acabará por ficar sem nada e de mãos vazias; mas aquele que divide o que tem, receberá ainda mais. Porque não O ouvimos nós?

Sim, quem desejar salvar a sua vida, perdê-la-á. Mas quem a oferecer, em sacrifício, por amor, salva-la-á e entrará no Reino dos Céus.

 

Pelas contas de Deus, vale a pena largar as noventa e nove ovelhas que estão seguras, para ir atrás daquela única que se perdeu. Dizem-nos também os Santos nossos amigos que, por cada pecador que se converte, por cada alma que é salva - quem sabe, talvez por ação da oração de alguém que vive do outro lado do planeta! - há uma festa no Céu maior do que qualquer Casamento Real aqui da terra...

Grao-de-mostarda-in-tile.jpg

Imagem retirada daqui

Pensem no pequenino grão de mostarda - tu e eu, querido leitor - que, quando lançado à terra, se não morrer para si próprio, não poderá gerar vida e dar origem a uma árvore de tal porte magnífico que consegue acolher, debaixo dos seus ramos e folhas, outras criaturas que em si procuram abrigo...

 

À nossa volta, no mundo, vemos tanto desperdício ao todo o lado - plástico, cartão, embalagens, mobílias fora de moda, brinquedos que já não são novidade, e comida, oh tanta comida...

Mas nas contas do Senhor? Nem uma única lágrima nossa se perde! Nem um único suspiro ou prece passa despercebida! Nem um pequeno ou invisível acto ou renúncia deixa de ter o seu efeito - eterno!

 

Achas que tens pouco para oferecer ao Senhor e aos irmãos? Parece-te que tens apenas cinco pães de cevada e dois peixinhos... e pedem-te que alimentes cinco mil homens, mais as suas mulheres e filhos?....

Parece loucura, eu sei.... Sim, segundo aquilo que o mundo nos diz, é impossível...

Mas, o teu pouco, colocado nas mãos do Senhor? Abençoado pela Sua tremenda graça? Oh, a todos, sem faltar nenhum, conseguirás alimentar, nutrir e fortalecer - e ainda sobrará, abundantemente, o suficiente para ti e toda a tua família!

 

Oh, a maravilha da matemática de Deus!

 

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

Vai

Estávamos a poucos dias do fim da Quaresma, a poucos dias da Semana Santa.

No Evangelho de São Marcos, capítulo 10, leio que Jesus dirigia-se em subida para Jerusalém, a Cidade Santa, para aquela que seria a Páscoa da Sua cruz e ressurreição. Na berma da estrada estava sentado um mendigo, cego, chamado Bartimeu. Ao saber que Jesus se encontrava perto, ele põe-se a gritar: «Jesus, Filho de David, tem misericórdia de mim!», sem cessar. Jesus convida-o a aproximar-se. O cego suplica-Lhe «Mestre, que eu veja!» e Jesus responde «Vai, a tua fé te salvou!». Bartimeu recuperou a vista «e seguiu Jesus pelo caminho» (Mc 10, 47-52)

 

Vai.

Escolham um Evangelho para ler e analisem as palavras de Jesus a cada pessoa que se encontrava com Ele pelo caminho. Vão encontrar quase sempre esta resposta de Jesus - Vai. Agora que já te encontraste Comigo, agora que já Me conheceste - Vai.

 

Não é possível ter um verdadeiro encontro com Jesus e permanecer na mesma. É impossível que a nossa vida permaneça na mesma. Se permanecer, quer apenas dizer que afinal não O encontrámos realmente, que não O chegámos a conhecer. 

Vai, mexe-te. Vai e conta a toda a gente acerca de Mim, da Minha misericórdia, do Meu infinito amor. Vai e vive a tua nova vida que Eu te dei. Vai, por Mim. Vai, Comigo.

 

open hand of jesus.jpg

Imagem retirada daqui

 

Quem tenta seguir Jesus mas sem querer perder nada deste mundo, desta sociedade ... na verdade, está a perder tudo, porque não está a seguir Jesus. É simplesmente impossível ter as duas coisas. É preciso escolher. E todas as escolhas, todas, implicam perdas. Ao escolhermos algo, estamos a dizer não a tudo o resto. 

 

É difícil? É...Vai.

Vêm poucas pessoas por este caminho?  Sim .... Vai.

Vais ter de desistir de muita coisa? Sim.... Vai

Jesus precisa de ti. Sim, de ti! Vai!

 

No fim, é o Amor que Salva

  Missão País 2016 - 8ºdia (2ªparte)  

 

Missão País 2016.jpg

Foto de todos os participantes na Missão País 2016 na Chamusca.

 

Conclusão da Parábola do Filho Pródigo

Como vimos ao longo da "viagem" que foi esta série de posts, a Parábola do Filho Pródigo é uma história extremamente rica e cheia de diferentes sentidos, significados, imagens e analogias. 

Em apenas algumas frases, com base numa pequena história, Jesus resume toda a Boa Nova que Ele nos veio trazer, todo o Evangelho e até, atrevo-me a dizer, toda a mensagem da Bíblia....

 

Jesus mostra-nos, por um lado, o rosto dum Pai misericordioso, bondoso e compassivo, sempre capaz de perdoar e de aceitar de volta todos os seus filhos perdidos. 

E, por outro, mostra-nos as duas formas principais pelas quais cada um de nós se pode afastar do amor do Pai.

 

Em algumas fases da nossa vida, podemo-nos comportar como o Filho mais novo: procurando uma vida fisicamente longe da casa do Pai; perdendo-nos numa busca desenfreada do prazer, do excesso material, do desperdício e da insensatez; e desperdiçando toda a “herança” que nos foi dada gratuitamente pelo nosso Pai.

Mas, incrivelmente, todos estes pecados são carinhosamente perdoados pelo nosso misericordioso Pai.

 

Contudo, talvez na maior parte da nossa vida católica, acabamos por nos comportar como o Filho mais velho. Nas palavras do Papa Francisco:

“Temos uma atitude “justiceira”, ou seja, presumimos que pelos nossos méritos somos justos e que, por causa desse facto, temos a autoridade para julgarmos o outro. Julgamos até Deus, porque pensamos que Ele deveria castigar os pecadores e condená-los à morte. E não somos capazes de aceitar a atitude misericordiosa do Pai para com um irmão.

Desta forma, corremos um enorme risco de permanecermos fora da casa do Pai, como Irmão mais velho. Se no nosso coração não há misericórdia e não há a alegria do perdão, então não estamos em comunhão com Deus, ainda que observemos todos os Seus preceitos – porque é o amor que salva, e não a prática dos preceitos. É o amor a Deus e ao próximo que dá cumprimento pleno a todos os mandamentos.”

Papa Francisco, no Angelus do dia 15 de Setembro de 2013

 

Na verdade, os dois Filhos desta Parábola são Filhos Pródigos, porque ambos são exemplos da negação e da rejeição do amor de Deus que conduz ao pecado. É necessário apercebermo-nos da nossa própria condição, da nossa pobreza e do nosso nada sem o amor de Deus, para finalmente encontrarmos o acolhimento, a reconciliação, a ternura, a alegria e a misericórdia do nosso Pai!

 

Para terminar, partilho convosco um vídeo feito por uma colega/missionária da nossa missão, em que cada um de nós tenta explicar o que é a Missão País:

 

 

 

 † ALEGRA-TE, FOSTE ENCONTRADO! † 

 Missão País 2016 

 

O Filho Mais Velho Também Estava Perdido

   Missão País 2016 - 8ºdia (1ªparte)  

 

Hoje terminamos o estudo da Parábola do Filho Pródigo, com os versículos que, a meu ver, são os mais surpreendentes e desconcertantes:

 

"Ora, o filho mais velho estava no campo. Quando regressou, ao aproximar-se de casa ouviu a música e as danças. Chamou um dos servos e perguntou-lhe o que era aquilo. Disse-lhe ele: ‘O teu irmão voltou e o teu pai matou o vitelo gordo, porque chegou são e salvo.’

Encolerizado, não queria entrar; mas o seu pai, saindo, suplicava-lhe que entrasse. Respondendo ao pai, disse-lhe: ‘Há já tantos anos que te sirvo sem nunca transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito para fazer uma festa com os meus amigos; e agora, ao chegar esse teu filho, que gastou os teus bens com meretrizes, mataste-lhe o vitelo gordo.’

O pai respondeu-lhe: ‘Filho, tu estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. Mas tínhamos de fazer uma festa e alegrar-nos, porque este teu irmão estava morto e reviveu; estava perdido e foi encontrado.’»”

Lucas 15:25-32

 

O Filho mais velho também se afastou ...

Ao lermos atentamente estes versículos, acabamos por constatar que, apesar de sempre ter vivido na casa do seu Pai, o Filho mais velho também se sentia longe dela ...

Ele vê-se como sendo um filho fiel e exemplar, que sempre cumpriu todos os seus deveres e que sempre seguiu todas as ordens do seu Pai. E, por causa disso, dos seus méritos e acções (aparentemente) exemplares, pensa que devia ser recompensado.

Mas, apercebemo-nos depois, o Filho mais velho, na verdade, não se comportava como verdadeiro filho, mas sim como um escravo obediente. O Filho mais velho demonstra ser capaz de fidelidade, sem dúvida, mas também demonstra uma incapacidade em amar e deixar-se ser amado. 

É por esta razão, simultaneamente tão simples mas tão decisiva, que o Filho mais velho não consegue compreender o amor que perdoa manifestado pelo Pai.

Para ele, o mais importante é o mérito prático, os sacrifícios públicos e visíveis, e as formalidades rígidas e indiferentes - o que muito me lembra o comportamento dos fariseus descritos nos Evangelhos e que Jesus tanto criticava ....

Para ele, não existe lugar para a solidariedade, nem para a gratuidade, muito menos para a caridade ou o amor desinteressado….

Na verdade, o Filho mais velho estava tão afastado do Pai tanto quanto o Irmão mais novo...

 

Rembrandt - Return of the Prodigal Son

 O Regresso do Filho Pródigo (1668) - Rembrandt

 

O Filho mais velho também estava perdido ...

Nestes versículos, vemos o Filho mais velho a acusar o Pai de cegueira e de injustiça. De notar que, ao falar, ele usa expressões como "esse teu filho" e "os teus bens", demonstrando uma frieza, um isolamento, uma separação, um afastamento e um sentimento de não pertença na sua família.

Assim, verifica-se que ocorreu com o Filho mais velho o mesmo que com o seu irmão, ou seja, também ele estava perdido e precisava voltar...

Porém, o seu regresso, ao contrário do irmão, ainda não aconteceu. Ele encontra-se ainda perdido, no interior da própria cada do seu Pai. Também ele é o Filho Pródigo... 

 

 

O Filho mais velho também foi encontrado pelo Pai...

O Pai que, momentos antes saíra da sua casa ao encontro do Filho mais novo, parte agora em busca do Mais velho. Pede-lhe, suplicando, que participe da sua alegria, que só será completa quando houver verdadeira comunhão entre todos os filhos. Vemos um Pai que anseia por uma completa união e reconciliação da sua família.

Portanto, «é preciso» que também o Filho mais velho "caia em si", reconhecendo os seus erros e experimentando também ele o perdão do Pai. 

Na verdade, ao rivalizar com o irmão, o Filho mais velho não se apercebe que o amor do Pai não tem preferências nem predilecções; e é tão grande que chega para todos…

 

 

 † ALEGRA-TE, FOSTE ENCONTRADO! † 

 Missão País 2016 

 

O Filho Mais Novo é Encontrado

  Missão País 2016 - 7ºdia  

 

Ao lermos a Parábola do Filho Pródigo, quase inconscientemente achamos que o Filho Mais Novo é a personagem principal - porque é a personagem mais falada e acerca da qual a parábola parece girar. Mas, finalmente, nos versos 20 a 24, apercebemo-nos que o Pai, uma personagem quase secundária até aqui, é na verdade a personagem mais importante.

 

"Quando ainda estava longe, o pai viu-o e, enchendo-se de compaixão, correu a lançar-se-lhe ao pescoço e cobriu-o de beijos. O filho disse-lhe: ‘Pai, pequei contra o Céu e contra ti; já não mereço ser chamado teu filho.’ Mas o pai disse aos seus servos: ‘Trazei depressa a melhor túnica e vesti-lha; dai-lhe um anel para o dedo e sandálias para os pés. Trazei o vitelo gordo e matai-o; vamos fazer um banquete e alegrar-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi encontrado.’ E a festa principiou."

Lucas 15:20-24

 

O Pai, representando Deus, espera durante muito tempo pelo regresso do seu Filho mais novo a casa. E, quando o vê, corre de braços abertos para o receber! Quando o recebe, não lhe pergunta por onde andou nem o que fez, mas dá-lhe, simplesmente, de volta toda a dignidade de filho que se arrependeu.

Por muitos pecados que possamos ter cometido, Deus espera-nos sempre e está pronto a acolher-nos e a festejar connosco e por nós! Deus nunca se esquece de nenhum de nós. Deus nunca nos abandona. Ele é um Pai infinitamente paciente, que nos espera sempre!

 

Porque, como disse o Papa Francisco, "Deus nunca se cansa de nos perdoar! ... nós é que nos podemos cansar de Lhe pedirmos perdão."

 

Crucifixo HPV

Disse também o Sumo Pontífice, no Angelus, a 15 de Setembro de 2013:

"Se vivermos segundo a lei do «olho por olho, dente por dente», jamais sairemos da espiral do mal. O Maligno é astuto e ilude-nos que, com a nossa justiça humana, podemos salvar-nos a nós mesmos e ao mundo...

Na realidade, só a justiça de Deus nos pode salvar! E a justiça de Deus revelou-se na Cruz: a Cruz é o juízo de Deus sobre este mundo. 

Mas como nos julga Deus? Dando a vida por nós!

Eis o gesto supremo de justiça, que derrotou de uma vez por todas o Príncipe deste mundo. E este gesto supremo de justiça é também, precisamente, o gesto supremo de misericórdia. Jesus chama a todos nós a seguir este caminho: «Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso» (Lc 6:36)

 

Realço também que, apesar de não ser dito directamente, pode-se inferir que é só neste momento que o Filho mais novo se apercebe que a verdadeira herança do Pai não era a posse material, mas o sim Seu amor!

 

O nosso Deus é um Pai que espera.

O nosso Deus é um Pai alegre - e a Sua alegria é perdoar!

 

 † ALEGRA-TE, FOSTE ENCONTRADO! † 

 Missão País 2016 

 

O Filho Mais Novo Volta Para o Pai

   Missão País 2016 - 6ºdia  

 

Uma das maiores surpresas que tive na Missão País foi a quantidade de tempo dedicada à oração de que dispúnhamos, ou seja, em Missão Pessoal e Interna!

Eu pensava inicialmente que iríamos passar os dias a fazer voluntariado - o que foi verdade! - mas não estava à espera que praticamente metade do nosso dia fosse passado na nossa pequena Capela, em oração!!

E estou mesmo a falar a sério: entre a(s) hora(s) de oração da manhã e oração da noite diárias, a Missa e o Terço também diários, e a oportunidade que tivemos de estar em Adoração ao Santíssimo durante uma noite inteira ... nós acabámos por estar o mesmo número de horas em Missão Interna (ou seja, em oração) como em Missão Externa (ou seja, em serviço na comunidade)! O que foi pra lá de mega-maravilhoso!!!! :)

 

Foi num destes momentos de oração e silêncio que, no 6ºdia da nossa Missão, ao continuarmos o estudo da Parábola do Filho Pródigo nos versículos 17 a 20, me dei conta dum pormenor:

 

"E, caindo em si, disse:

‘Quantos jornaleiros de meu pai têm pão em abundância, e eu aqui a morrer de fome!

Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e vou dizer-lhe:

Pai, pequei contra o Céu e contra ti; já não sou digno de ser chamado teu filho;

trata-me como um dos teus jornaleiros.’

E, levantando-se, foi ter com o pai."

Lucas 15:17-20

 

O Filho mais novo só deu conta do seu pecado e da sua miséria quando, finalmente, ficou sozinho e em silêncio pela primeira vez na sua vida!

O silêncio não é, como o mundo nos diz, algo passivo. Não é ausência de comunicação. Não é sinal de fraqueza. Não significa indiferença da nossa parte. Não quer dizer: "Desisti ... "

 

Luz.jpg

 

O silêncio é, vim eu a descobrir nesta semana, uma atitude bastante activa. Já experimentaram? Eu achei bastante difícil estar em silêncio por tanto tempo - sim, até mesmo para alguém que é naturalmente calada como eu!

Mas, também vim a descobrir, é no silêncio da nossa voz, da nossa mente e do nosso coração que, aos poucos, vai surgindo um voz suave e leve, doce e meiga, que me canta e que me fala até ao mais profundo do meu ser…

 

Quando regressei a casa, li na primeira página do mini-jornal da nossa paróquia, as seguintes palavras do nosso Prior:

 

"Num mundo que fala, que grita (...) é cada vez mais imperioso que se faça silêncio. É necessário fazer silêncio. É necessário ouvirmos Jesus, que diz: «quando não tens nada de bom a dizer, cala-te». Cala-te!

A Quaresma é isto, o silêncio de Deus que fala no meu silêncio. Sem silêncio não há Quaresma, não há Deus, não há conversão, não há perdão."

 

Oh, sem dúvida!

Tal como o Filho mais novo descobriu, sem silêncio não há conversão; sem silêncio não ouvimos a voz de Deus; sem silêncio não podemos encontrar a misericórdia e o perdão que o Nosso Querido Pai, a todos, quer tanto oferecer!

  

 † ALEGRA-TE, FOSTE ENCONTRADO! † 

 Missão País 2016 

 

O Filho Mais Novo Está Perdido

  Missão País 2016 - 5ºdia  

 

No 5°dia da nossa Missão, reflectimos acerca dos versículos 14 a 16 da Parábola do Filho Pródigo:

 

“Depois de gastar tudo, houve grande fome nesse país e ele começou a passar privações.

Então, foi colocar-se ao serviço de um dos habitantes daquela terra,

o qual o mandou para os seus campos guardar porcos.

Bem desejava ele encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam,

mas ninguém lhas dava.”

Lucas 15:14-16

 

Nesta passagem vemos o Filho mais novo perdido e na miséria.

Tal como falei nos dois posts anteriores, também nós, volta e meia, nos perdemos. Também nós nos encontramos repetidamente, ao longo da nossa vida, neste estado de miséria que só o nosso pecado nos pode colocar.

Perante esta situação temos duas opções - ou permanecemos nesse estado ou fazemos qualquer coisa para o alterar. Deus chama-nos continuamente a escolhermos a segunda opção.

E Deus pede-nos, incessantemente, que olhemos para nós próprios e para a nossa situação com o mesmo olhar que Ele - repleto de Misericórdia.

 

Nós não somos as nossas misérias. Os nossos pecados não nos definem. Nós não fomos criados para viver nas nossas misérias nem para elas.

 

O Senhor, na Sua Sabedoria Infinita, concede-nos sempre a chance de usarmos os nossos erros e os nossos pecados como novas “janelas de oportunidade” - para O amarmos cada vez mais e, assim, amarmo-nos uns aos outros como verdadeiros irmãos.

E as Missões Externas que realizámos na Chamusca permitiu-nos concretizar isso mesmo.

 

Missão País 2016.jpg

Adivinhem? Sou novamente a rapariga do casaco vermelho ... 

 

As Missões Externas eram um dos três componentes-chave da Missão País, onde tínhamos a oportunidade de estar em serviço directo à população da cidade. Basicamente, o que fizemos foi dividir-nos em 6 grupos e cada um esteve encarregue duma área/forma de serviço:

  • Um grupo esteve encarregue da creche, brincando com as crianças e ajudando em tudo o que era necessário.
  • Outro grupo esteve na escola primária, onde também através da brincadeira tentaram evangelizar as crianças. Esta actividade foi um autêntico sucesso, como podem ver pelas fotos aqui, aqui e ainda aqui)
  • Outro grupo foi responsável por dar as aulas de Educação Moral e Religiosa Católica na escola básica e secundária – o que foi outro sucesso gigantesco! Nem imaginam a quantidade de jovens que se interessaram imenso pelas aulas que os meus colegas deram!! Oh, quantos corações se incendiaram!
  • Outro grupo esteve encarregue de alegrar e animar o lar de idosos (onde eu estive). Não foi fácil lidar com tantas histórias de vida complicadas e cheias de sofrimento. Também não foi fácil animar as pessoas que nos diziam que desejavam morrer. Foi uma experiência que me ensinou muitas coisas …
  • Outro grupo esteve na unidade de cuidados continuados, também na tentativa de acompanhar, conversar e animar os doentes
  • Por fim, o 6º grupo esteve responsável por encenar um teatro evangelizador, que foi apresentado aos habitantes no último dia de Missão e que teve um êxito tremendo! (podem ver fotos desta actividade aqui)

 

Além desta componente, também fazia parte das nossas Missões Externas o Porta-a-Porta, em que (literalmente) batíamos à porta e visitávamos a casa de cada habitante, à procura daquelas que se sentiam mais sós e desamparadas. O nosso serviço foi, na realidade, muito simples – conversar, escutar, sorrir, animar e alegrar, fazer companhia, apoiar, perceber, estimar, ou dar uma pequena ajuda no que fosse preciso. Coisas tão simples mas frequentemente esquecidas, e que podem fazem toda a diferença na vida das pessoas….

                                                                                       

E de todas estas diferentes e pequenas formas, tentámos ser, o mais humildemente possível, as mãos, os pés e a boca de Jesus para cada habitante da Chamusca.

 

 † ALEGRA-TE, FOSTE ENCONTRADO! † 

 Missão País 2016