Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

Uma Jovem Católica

Sou uma jovem católica portuguesa.Neste blog partilho a minha caminhada em busca da santidade, da fé, da misericórdia, da caridade, do amor a Deus e ao próximo.Espero que ele vos possa ajudar a encontrar a Alegria do Evangelho!

O valor das tamareiras

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

 

O homem justo é como a tamareira

Este é um provérbio frequentemente usado no Egipto, conta-nos o nosso guia Samuel. Eu nunca tinha visto antes uma tamareira na minha vida mas nesta peregrinação até à Terra Santa aquilo que eu mais vi foram tamareiras. Estavam por todo o lado, em especial no Egipto e na Jordânia, parecia que cresciam em todos os lugares possíveis!

tamareira.jpg

A tamareira é uma árvore da família das palmeiras, que se adaptou muito ao clima destas regiões e por isso ela é muitas vezes referida nas Sagradas Escrituras (às vezes sob o nome de palmeira).

Aliás, quando Deus promete a Abrãao e a Moisés uma terra rica em mel e leite, não se está a referir a mel de abelhas (as pobres abelhas não conseguem aguentar as temperaturas altas destes países) mas sim a mel das tâmaras

Também quando Jesus chegou a Jerusalém, antes de celebrar a Sua Páscoa, os habitantes desta cidade receberam-no com ramos de tamareira (sim, na celebração do Domingo de Ramos!)

 

Sabiam que a tamareira é uma árvore com a qual podemos aprender bastante? E que podemos inclusivamente retirar autênticas lições para a nossa vida, só de a contemplarmos e meditarmos nas suas características?

 

Na cultura egípcia é costume dizer-se que, quem planta uma tamareira, raramente comerá dos seus frutos, apenas os seus filhos e netos o farão - mas é exactamente por este motivo, por este valor sacrificial e doador de vida para as gerações seguintes, que os egípcios as plantam. 

A tamareira demora pelo menos 18 anos a crescer e a começar a dar os seus primeiros frutos, as doces tâmaras. Mas, a partir do momento em que começam a produzir os seus frutos, fazem-no para o resto das suas vidas (entre 100 a 200 anos!), durante o ano inteiro, sem cessar - aliás, é comum dizer-se que a tamareira não se cansa de dar o seu doce fruto, mesmo para aqueles que lhes atiram pedras, a fim de fazerem cair estes frutos até ao nível do chão...

Porque demora tanto tempo até dar fruto? Porque primeiro é necessário que as suas raízes cresçam; primeiro, é preciso que as suas raízes se tornem fortes e profundas, e se prolonguem por vários metros, até alcançarem as fontes de água mais profundas (raramente alcançadas por outras plantas ou árvores); deste modo, a tamareira terá como certa uma longa e frutuosa vida.

As tamareiras podem crescer em altura até atingirem 30m; aliás, quanto mais alta for a tamareira, mais sol poderá apanhar e mais doces serão as suas tâmaras - mas isto só será possível se mantiver sempre as suas raízes profundamente enraizadas na terra ...

A tamareira é também uma árvore muito resistente às intempéries da vida. No Egipto são comuns as tempestades de areia, que por vezes destroem e arrancam diversas árvores. Quando surge uma tempestade de areia, a tamareira é capaz de se ir inclinando, a favor da direção do vento, por vezes até chegar ao chão, mas raramente é arrancada do seu lugar. Aliás, quanto mais árido for o clima à volta da tamareira, mais doces serão os seus frutos!

Mas, apesar de todas estas ricas características, a tamareira, com as suas longas folhas, viradas para baixo, é um dos símbolos mais belos da humildade e da simplicidade ... 

 

"Como a palmeira (tamareira) florescerão os justos,

que se elevarão como o cedro do Líbano"

(Sl 91, 13)

 

  †   Peregrinação: do EGIPTO à TERRA SANTA ~  2019   †  

 ~  Egipto - Jordânia - Israel - Palestina  ~ 

Jesus que nos chama

Encontro-me (mais uma vez) numa altura de grande necessidade de discernimento, para poder tomar em breve decisões importantes na minha vida. Períodos de discernimento levam-me sempre a colocar grandes questões ...

Porque é que alguns são favorecidos em tudo o que fazem e outros têm de sofrer tanto e alcançar tão pouco?

Porque é que parece que alguns santos tiveram vidas tão simples, fáceis, lineares, humildes e outros vidas tão duras e complicadas, perigosas, de martírio?

Porque é que eu nasci num país em paz, enquanto outra rapariga teve de nascer em plena guerra em África ou na Ásia?

Porque é que eu nasci no ano em que nasci, e não noutra altura da História; porque é que eu nasci nesta família e não noutra, porquê neste contexto socio-cultural e não noutro?

Porque é que Deus me chamou a mim de volta a casa, à Igreja Católica, e não o parece fazer com outras pessoas? 

 

Um dia destes, ao ler as Sagradas Escrituras, por alguma razão, a minha atenção focou-se nestas palavras....

 

Jesus, tendo subido a um monte, chamou a Si os que Ele quis, e foram ter com Ele.   Mc 3, 13

 

Jesus chamou os doze Apóstolos e começou a enviá-los ...  Mc 6, 7

(leitura do Evangelho deste domingo, XV Semana do Tempo Comum)

 

E pouco depois, leio também:

"Durante muito tempo perguntei a mim própria porque tinha Deus preferências, porque não recebiam todas as almas um grau igual de graças; admirava-me por O ver prodigalizar favores extraordinários aos Santos que O tinham ofendido, como São Paulo, Santo Agostinho, e que forçava, por assim dizer, a receberem as suas graças; ou então, ao ler a vida de santos a quem aprouve a Nosso Senhor acarinhar desde o berço ao túmulo, sem deixar no seu caminho nenhum obstáculo que os impedisse de se elevarem para Ele (...); perguntava-me por que razão os pobres selvagens, por exemplo, haviam de morrer em tão grande número sem sequer terem ouvido pronunciar o nome de Deus..." 

Santa Terezinha, História de uma Alma, Manuscrito A, cap.I

Florido.JPG

 

O Evangelho de São Marcos responde-me em poucas palavras - a iniciativa de cada chamamento à santidade é de Jesus. A iniciativa parte sempre Dele, e está continuamente a surgir, oportunidade atrás de oportunidade, misericórdia seguida de perdão seguido de amor e uma nova oportunidade, uma nova tentativa, sempre, sempre, sempre... sem nunca desistir de cada um de nós, até à altura do nosso último sopro de vida ...

Jesus chama, a cada momento e para cada pequena (ou grande) tarefa, aquele(s) que Ele quer.

O Evangelho não nos oferece nenhuma explicação acerca dos critérios que levam a essa escolha - o chamamento de cada um, a vocação de cada um, única, irrepetível, insubstituível, especialmente criada, planeada e desejada por Deus para ser de tal maneira - é um mistério, insondável, que só conseguiremos compreender no Céu.  

 

Outra bela lição de humildade para ti, Marisa ... 

Uma Rainha diferente de todas as outras

Por causa do recente casamento real britânico, durante várias semanas (ou melhor durante meses!) quase toda a gente andou a falar de reis e rainhas, príncipes e princesas, e a discutir como seriam as suas vidas....

Como deve ser a educação duma princesa, duma futura, possível rainha?

O que deve saber, o que deve fazer, como se deve vestir, como deve falar?

Ninguém duvida que para se ser princesa ou rainha é necessária uma esmerada preparação; afinal, é um cargo de tanta importância e impacto....

 

Domingo, oração do Santo Terço.

Mistérios Gloriosos: 5° Mistério, a coroação de Nossa Senhora como Rainha do céu e da terra.....

Pai Nosso, que estais nos Céus ....

Meu Deus, que diferença tão grande! A diferença não podia ser maior!

Como a vida, a história e a pessoa de Nossa Senhora é imensamente diferente da das outras rainhas deste mundo...

 

consagração.jpg

 

Avé Maria, cheia de graça ... 

Maria nasceu numa família pobre e humilde, longe de qualquer realeza ou regalias... 

Viveu grande parte da sua vida numa pequena aldeia, na escondida e esquecida Galileia ....

Segundo a Tradição da Igreja, terá recebido alguma forma de educação no Templo de Jerusalém, mas não consigo deixar de pensar que muito mais terá ela aprendido ao lado das outras mulheres simples, comuns judias, mães de famílias numerosas, que trabalhavam de sol a sol ... e não de professoras de etiqueta...

Maria terá planeado na sua juventude uma vida de serviço, consagrada unicamente a Deus ... muito longe da vida rodeada de repórteres, de curiosos e de bajuladores que a realeza deste mundo tem de viver ... 

Mas, ainda assim, Maria aceitou livremente, cheia de amor e graça, a mudança radical de vida que Deus lhe propôs, sem deixar que o medo do futuro desconhecido a dominasse um só segundo ...

A vida simples de ser esposa dum mero carpinteiro, cheia de pequenas santificações e renúncias no dia a dia, sem criados à sua volta para fazer tudo e mais alguma coisa ...

Maria que, nem sequer grávida de termo, em pleno trabalho de parto, ninguém aceitava receber nas suas casas e nos seus corações ....

Nossa Senhora que conheceu a dor de ter um esposo que, se mo permitirem dizer assim, chegou a ponderar o divórcio ... que conheceu a dor da viuvez e a dor de ver o seu único filho morrer... 

Nunca houve na sua vida nada semelhante a uma tiara de diamantes ... mas apenas uma coroa de espinhos e um coração transpassado ...

Uma Rainha, que nunca sonhou, nunca imaginou ser uma. Uma Rainha apenas coroada, com uma coroa de estrelas, após a sua morte, após ter sido levada pelos Anjos em corpo e em espírito até ao Céu ...

E assim 10 Avés-Marias ...

 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo ...

E, apesar de ter sido coroada Rainha, ainda assim é a primeira a estender os braços a qualquer pobre e imundo pecador que lhe peça auxílio e intercessão, está sempre acessível para nos ouvir e ajudar em qualquer instante, está sempre pronta para ser nossa Mãe. 

 

Não temos só uma maravilhosa e extraordinária Rainha no Céu a rogar por nós, temos uma Mãe! 

Salvé Rainha, Mãe de misericórdia ... 

As voltas de Deus e as lições de cada Quaresma

Estamos na Semana Maior, na semana mais importante de todo o ano!

Chegou depressa este ano - parece que esta Quaresma passou a correr...

São sempre tantas as lições que cada Quaresma me ensina, que me faz finalmente ver e verdadeiramente compreender ... que ás vezes é difícil escolher qual a mais importante, qual a que teve maior impacto na minha vida.

 

Hoje, queria contar-vos uma das lições desta Quaresma.

Não sei se já deram a Deus essa oportunidade, mas se sim, já descobriram que Deus gosta muito de nos "trocar as voltas". Deus gosta de vento! Deus gosta muito de baralhar e de bagunçar aquilo que nós tínhamos tão cuidadosamente planeado. Mas Deus é assim - Ele não deseja o nosso conforto nem a nossa comodidade, mas sim a nossa santidade. 

 

Cruz quaresma.jpg

 
Ora, para esta Quaresma, eu tinha planeado uma série de pequenas penitências, renúncias e actividades, após várias semanas (achava eu) a rezar e a meditar no assunto.
Deus, aparentemente, tinha outras ideias... e, quando me apercebi, dei por mim perante situações muito pouco usuais, particularmente desconfortáveis ... mas que, lá me apercebi um dia, após muito refilar delas, eu podia usar como mortificações nesta Quaresma!
 
Refiro-me a coisas simples mas que, para mim, são bastante difíceis: esforçar-me para ser mais sociável na paróquia; tentar começar conversas com pessoas que eu já tinha visto mas nunca tinha tido a coragem de falar; tentar conhece-las, ouvir as suas histórias, e deixar que elas me conheçam; ficar um pouco (ou muito) mais depois da missa; estar presente em actividades que eu normalmente não estaria, como na ceia antes da via sacra que a nossa paróquia organiza. 
Estas situações podem parecer insignificantes aos vossos olhos. Mas para mim, que sou tão tímida e envergonhada e introvertida ... para mim, pareciam autênticas aventuras, rumo ao desconhecido, sem saber o que iria acontecer a seguir. 
 
A verdade é que, esta Quaresma, como todas as outras, não é minha, não me pertence - é do Senhor e deve ser sempre Ele a decidir o que acontece e como acontece ... e não eu. Ele sabe, melhor que eu, qual o caminho que devo seguir para alcançar a santidade e tornar-me na santa que só eu posso ser.
 

 

Este Tríduo Pascal vai ter algo muito especial - vou viver uma aventura com Jesus!

Depois, conto-vos tudo   Vemo-nos depois do 1º dia da Páscoa!

As Quinze Promessas do Santo Rosário

O Santo Rosário é sem dúvida uma enorme fonte de graças e de protecção, como tenho descoberto na minha vida. A irmã Lúcia, a quem Nossa Senhora apareceu em Fátima várias vezes, disse um dia:

"A Santíssima Virgem, nestes últimos tempos nos quais vivemos, deu nova eficácia à récita do Rosário. Tal, que não existe nenhum problema, não importa quão difícil possa ser, temporal ou sobretudo espiritual, na vida pessoal de cada um de nós, das nossas famílias...que não possa ser resolvido com o Santo Rosário. Não existe nenhum problema, digo-vos, não importa quão difícil possa ser, que não possamos resolver com a oração do Rosário. "

Irmã Lúcia dos Santos

 

Visto estarmos no mês dedicado à Virgem Santíssima, gostava de partilhar convosco as 15 promessas que Nossa Senhora prometeu a quem rezasse o Terço, nas Suas próprias palavras. 

Nossa Senhora revelou estas promessas a São Domingos, o santo a quem foi revelado pela primeira vez o Santo Rosário, no século XII.  

 

  1. "A todos os que rezarem o meu Rosário com devoção, prometo a minha protecção especial e grandíssimas graças."
  2. "Aquele que perseverar na oração do Meu Rosário receberá uma graça especialíssima."
  3. "O Rosário será uma defesa poderosíssima contra o Inferno; destruirá os vícios, libertará do pecado, dissipará as heresias."
  4. "O Rosário fará florescer as virtudes e as boas obras, e obterá para as almas a mais abundante misericórdia Divina; fará que, nos corações, o amor ao mundo seja substituído pelo amor a Deus, elevando-os ao desejo dos bens celestes e eternos. Quantas almas se santificarão por esse meio!"
  5. "Quem se confiar a Mim, por meio do Rosário, não perecerá."
  6. "Quem rezar o meu Rosário com devoção, meditando nos seus mistérios, não será oprimido pela desgraça. O pecador se converterá; o justo crescerá em graças e se tornará digno da vida eterna."
  7. "Os verdadeiros devotos do meu Rosário não morrerão sem os Sacramentos da Igreja."
  8. "Aqueles que rezam o meu Rosário encontrarão, durante sua vida e na sua morte, a luz de Deus e a plenitude das Suas graças, e participarão dos méritos dos bem-aventurados."
  9. "Libertarei muito prontamente do Purgatório as almas devotas ao meu Rosário."
  10. "Os verdadeiros filhos do meu Rosário gozarão de uma grande glória no Céu."
  11. "O que pedirem por meio do meu Rosário, obterão."
  12. "Aqueles que defenderem o meu Rosário serão socorridos por Mim, em todas as suas necessidades."
  13. "Obtive do meu Filho que todos os membros da Irmandade do Rosário tenham por irmãos, durante a vida e na hora da morte, os santos do Céu."
  14. "Aqueles que rezarem fielmente o meu Rosário serão todos meus filhos amantíssimos, irmãos e irmãs de Jesus Cristo."
  15. "A devoção ao meu Rosário é um grande sinal de Predestinação" [ou seja, é uma boa indicação de que o devoto estará no caminho para o Céu].

 

Rosario.jpg

 

Mas o que são estas graças?

Na maior parte das vezes, quando nos referimos às graças que recebemos, falamos acerca de pequenas coisas na nossa vida diária, como a resposta a uma pergunta feita durante a oração ou sobre pequenos incentivos na direcção do caminho e da vontade de Deus.

Não se deve cair no erro de pensar (como eu inicialmente pensava) que as graças têm de ser coisas grandiosas, como ouvirmos directamente uma voz vinda do Céu, ou uma aparição dum Anjo, ou algum acontecimento sobrenatural ...

As graças que recebemos do Senhor, como tento mostrar em cada post que escrevo para este blogue, são coisas extraordinariamente simples e subtis, como as “coincidências” que surgem tantas vezes ao longo do nosso dia. Como encontrarmos uma rosa florida em pleno centro da cidade de Lisboa, logo a seguir a terminarmos a oração do Terço, de manhazinha a caminho da faculdade …

 

A oração do Terço é realmente algo tão simples (como tentei explicar no post anterior) e que demora apenas 15 a 20 minutos … o que são 15 a 20 minutos no total de 1440 minutos que tem cada um dos nossos dias?

 

Para aqueles que, mesmo assim, acham que não têm tempo para o fazer, ou se pensam que são péssimos a rezar o Terço, ou se vos parece uma autêntica seca, saibam que estou a tentar escrever um post com algumas dicas que fui descobrindo aos poucos.
O mais provável, contudo, é que apenas o conseguirei terminar depois dos exames, em Julho.... 

 

Fonte: Revista 30 Dias

Recomendo também a leitura deste pequeno post.